Le Royal Monceau Hotel: o glamour ainda vem de Paris

Paris é sinónimo de elegância, luxo e muito charme. Cidade da Torre Effiel, do Louvre e das prestigiadas e caras marcas de roupa. Hotéis de cortar a respiração também não faltam. E desde Junho de 2010 o recém-remodelado Royal Monceau veio trazer mais glamour à cidade-luz. Um hotel de cinco estrelas, que combina originalidade, arte e design por entre objectos de decoração clássica e contemporânea - e com Philippe Starck como mestre de cerimónias.



le royal monceau hotel paris

Localizado apenas a cinco minutos a pé do Arco do Triunfo e dos Campos Elísios, o hotel Royal Monceau foi projectado pelo arquitecto Louis Duhayon e inaugurado em 1928. A sua “nova cara” data já de 2008.

Foi celebrada uma “demoliton party” (festa da demolição) que marcou o arranque das obras. Não sobrou pedra sobre pedra do antigo hotel. Durante dois anos e com um custo de mais de 100 milhões de euros, o designer Philippe Starck ficou encarregue de transformar por completo toda a decoração. O extraordinário resultado começa logo pela entrada. Espaçosa, clássica e muito elegante. Em tons de vermelho e branco, iluminada por diversos candeeiros. Os porteiros que nos recebem fazem jus à mesma: estão todos elegantemente vestidos, très chic (diriam os parisienses).

le royal monceau hotel paris

Os 150 quartos, dos quais 54 suites, são inspirados nas décadas de 40 e 50 e decorados com obras de arte e móveis desenhados por Starck. Há um toque de rock and roll em muitos deles, com direito a guitarra e um estúdio de gravação portátil próprio.

A melhor de todas as suites encontra-se no último piso: um ático com um quarto, sala e casa-de-banho. A cama do quarto, grande e confortável, tem lençóis brancos italianos. Na sala podemos usufruir do serviço de 24 horas do hotel para provar os croissants, as frutas, os biscoitos ou os famosos macarrons disponíveis. A casa-de-banho é um autêntico “banho de luz”. Branca e revestida de espelhos por todos os lados, talvez se possa pensar que acabamos de entrar numa loja de diamantes. E no quarto também existe um outro espelho: encostado à parede, como se de um quadro se tratasse, é capaz de se transformar numa televisão através de um comando remoto.

O hotel é um ponto de encontro entre todos os tipos de arte. Possui a sua própria galeria, a “Art District”, que abriu com vários trabalhos do artista Jean- Michel Basquiat, pertencentes à colecção Enrico Navarra. Tem também uma livraria e um blogue, o “Artforbreakfast”. Quanto ao cinema, existe uma sala reservada para 100 hóspedes.

E na culinária pode optar por dois restaurantes, o “La Cuisine” e o “Il Carpaccio”. No primeiro, são servidas refeições variadas confeccionadas pelo próprio chef do Royal Manceau e as sobremesas têm a assinatura de Pierre Hermé, mais conhecido como o “pai” dos macarrons. O segundo é dedicado à cozinha italiana. Para relaxar a meio da tarde e beber um chá, basta ir até ao “Le Gran Salon”. Mas se lhe estava mesmo a apetecer uma massagem para acompanhar, não hesite. Existe um spa que espera a sua visita.

Aqui, é normal encontrar actores, directores, cantores ou modelos como vizinhos de porta. Se estiver disposto a pagar cerca de 800 euros por noite, então desejamos-lhe uma boa estadia.

le royal monceau hotel paris

le royal monceau hotel paris

le royal monceau hotel paris

ZZ5926ECFA.jpg

ZZ20C50587.jpg

ZZ6819A805.jpg

diana ribeiro

gosta de cores, comer algodão doce, ouvir as ondas do mar e cheirar livros novos. Não dispensa o uso de nenhum dos sentidos.
Saiba como escrever na obvious.

deixe o seu comentário

Os comentários a este artigo são da exclusiva responsabilidade dos seus autores e não veiculam a opinião do obvious sobre as matérias em questão.

comments powered by Disqus
x1
 
Site Meter