Nove formas bizarras de morrer

Já dizia o Avô Simpson que “a morte espera por nós em cada esquina”. A mais pura das verdades, já que não é só através de doenças que vemos a nossa estadia na Terra chegar ao fim. Leia de seguida nove insólitos acontecimentos, todos bizarros - improváveis, diríamos - mas que ocorreram mesmo. E foi o fim.


morte bizarro

1 - Cuidado com o wonderbra

É sabido que se deve evitar objectos de metal e a aproximação a zonas de arame farpado durante tempestades. Mas o que nunca ninguém pensou foi que um sutiã também fosse algo de perigoso nestes dias. Duas mulheres morreram precisamente por estarem a usar wonderbras, em Londres. Segundo o jornal New York Times, foram atingidas por um raio.

2 - Como se tivesse saído de uma obra de ficção

Alguns dos mais extraordinários escritores americanos, como Steinbeck ou Fitzgerald, morreram de forma natural. Contrariamente aos seus colegas, Sherwood Anderson não teve a mesma sorte. O facto é que o escritor engoliu um palito de dentes, que provocou uma grave inflamação abdominal. Esta originou uma peritonite e uma morte lenta e bastante dolorosa. Anderson deixou uma eterna marca na história dos contos americanos, e o palito deixou uma eterna marca no seu corpo.

morte bizarro

3 - A moda que mata

Um pescoço partido por causa de um lenço de pescoço é verdadeiramente assustador. Isadora Duncan, uma bailarina apaixonada por este acessório (principalmente os mais compridos), viu o fim chegar quando o seu lenço ficou preso nos pneus do carro onde seguia. Foi projectada para a estrada, tendo morrido estrangulada no pavimento.

4 - Ratos mortais

Os ratos não são propriamente os bichinhos mais amorosos do mundo, nem tão pouco os mais higiénicos. E um deles causou a morte de um irlandês. David Bailey assistia a um jogo de golfe em 1997 quando um rato se aproximou e fez xixi numa das suas pernas. Duas semanas depois, os seus rins deixaram de funcionar e ele não resistiu.

5 - Um doce envenenado

Quem nunca ouviu falar de lendas urbanas sobre strippers que morreram dentro de bolos gigantes? De acordo com o livro Strange Deaths: More Than 375 Freakish Fatalities, isso aconteceu mesmo. Em 1995, uma stripper foi encontrada sem vida dentro de um bolo, preparado especialmente para um evento. Os convidados começaram a achar que algo de errado se estava a passar, visto que a “surpresa” nunca mais aparecia. Diz-se que a mulher esteve mais de uma hora à espera para a sua estreia.

6 - A comédia e tragédia

Cuidado com a cabeça e, já agora, com águias. É que estas podem confundi-la com uma pedra e usá-la como “prato” para o seu jantar. Reza a lenda que o escritor Ésquilo morreu por essa razão: uma águia terá deixado cair uma tartaruga sobre a sua careca.

7 - Uma das piores e mais sujas desgraças

Passar perto de aberturas de esgotos, principalmente em dias quentes, já é mau o suficiente. Agora imagine que os seus últimos momentos são passados presos a um esgoto. Infelizmente, esse foi o caso de um homem do Wisconsin, nos Estados Unidos. Ao tentar recuperar o telemóvel, ficou entalado e morreu debaixo das águas. Outro caso ainda pior aconteceu quando outro homem, tentando também apanhar o seu telefone, escorregou, ficou preso na abertura e afogou-se.

8 - Tão fresco e limpo

Não há nada de mal (muito pelo contrário) em levar a sua higiene a sério, mas há casos de extremo exagero. Jonathan Capewell, um rapaz inglês de dezasseis anos, obcecado por cheiros, “encharcava-se” duas vezes por dia com spray de desodorizante. Depois guardava as latas dentro do quarto. Acredita-se que terá absorvido demasiado gás, o que conduziu a insuficiência cardíaca.

9 - Aventura de alto-risco

Há quem tenha medo de andar na montanha-russa, não só pelas alturas como pelo medo de “cair do céu”. Porém, muitas vezes, mesmo com os pés bem assentes na terra, a tragédia acontece. Quando o chapéu de uma mulher que montava o “Top Gun”, uma das principais atracções nos Estados Unidos, voou, o marido tentou resgatá-lo. Levou um pontapé fatal na cabeça, dado acidentalmente por um dos pilotos. Diz-se que o homem não sabia inglês e, portanto, não leu os sinais de aviso sobre o perigo da zona.

Sim, a morte não é assunto fácil, mas também não há nada que possamos fazer para a evitar. Contudo, não se deixe abalar pelo que leu e continue a viver sem medo de virar a esquina.


diana ribeiro

Gosta de cores, comer algodão doce, ouvir as ondas do mar, cheirar e tocar em livros novos. Não dispensa o uso de nenhum dos sentidos.
Saiba como escrever na obvious.
version 2/s/recortes// @obvious, @obvioushp //diana ribeiro