Um rio que passa por ali

Um rio que passa e contorna a história de uma família que vivia por amor e pela fé. A vida familiar, a religião, os vínculos afetivos, os vícios, a liberdade e as tradições são temas que circundam o romance autobiográfico do escritor norte americano Norman Maclean, A River Runs Through It, adaptado para o cinema em 1992 – pelo diretor Robert Redford – no longa que leva o mesmo nome.


brad, filme, maclean, norman, pitt, redford, rio, robert

"Quando estou só, à meia luz, toda existência se desfaz e parece reduzir-se apenas à minha alma e sobram apenas as minhas lembranças. E ouço os sons do rio, correndo em ritmo compassivo. Quase sempre, todas as coisas se fundem em uma só, e um rio passa através dela. O rio foi talhado pela história e corre sobre rochas do início dos tempos. Em algumas rochas há o que o tempo mantém eterno e sob elas estão as palavras. E as palavras são eternas."

A River Runs Through It foi um dos primeiros trabalhos do então ator novato, Brad Pitt, e alavancou sua carreira - não por ser considerado mais um rosto perfeito na tela, mas pelo seu incontestável talento.

Tanto no Brasil, quanto em Portugal os títulos Nada é para sempre e Duas Vidas, respectivamente, deixaram a desejar - o que não ofuscou o sucesso com o qual o público recebeu o filme. Afinal, o elenco escolhido por Redford foi excepcional, ostentando nomes de espetaculares atores como Tom Skerritt e Brenda Blethyn.

brad, filme, maclean, norman, pitt, redford, rio, robert

Com uma narrativa emocionante, o drama familiar se passa na década de 20 e conta a vida de uma família protestante presbiteriana que vive no Estado de Montana, EUA. Os irmãos Normam (Craig Sheffer) e Paul (Brad Pitt) crescem sob uma religiosa e rígida educação imposta pelo pai e pastor, o Reverendo Maclean (Tom Skerritt). Apesar do rigor, os irmãos vivem em um ambiente familiar agradável e de bons costumes. Quando mais velhos, Normam se rebela contra alguns controles baseados na religião, mas sem perder a fé com a qual aprendera a resguardar o coração. Entretanto, para seu irmão caçula, Paul, toda a existência torna-se antagônica, culposa e extremista, numa constante luta com sua própria fé, a qual um dia fora entusiasmada e enérgica, mas que agora retalha sua alma com a força de desilusões.

Normam afasta-se de Paul que, por sua vez, afasta-se de toda a família. Com o tempo, o único elo que ainda resta entre os irmãos é a pescaria, tradição vivida com paixão pela família. O grande rio que corta a cidade de Missoula, onde vivem, é, talvez, o principal personagem da estória. O rio é o porto seguro dos meninos que aprenderam não somente a brincar, como também a repartir momentos, sonhos e estórias. O rio é onde depositam a confiança e o afeto que sentem um pelo outro. O rio é o lugar onde o pai lhes ensinou a perseverança e a disciplina, por meio da pescaria. O rio é a grande metáfora sugerida pelo autor do romance, o qual insinua que tudo corre para o mesmo sentido, que tudo fica como deve ficar, desde o início, quando as relações são ancoradas em respeito e amor.

Assim como o livro, o filme é arrimado por conceitos conservadores, os mesmos que educaram o autor, mas contém um humor suave. O filme mostra que todos, cedo ou tarde, lutamos contra algo em que acreditamos. A narrativa ressalta, principalmente, as fraquezas do ser humano, reduzindo-o à completa dependência de algo maior, limitando-o - uma idéia bem presbiteriana.

brad, filme, maclean, norman, pitt, redford, rio, robert

Aclamado pela crítica, levou o Oscar de Melhor Fotografia pelo lirismo das imagens, além de ter sido indicado às categorias de Melhor Roteiro Adaptado e Melhor Trilha Sonora, ampliando os créditos de Redford na indústria do cinema. A trilha sonora que acompanha o drama é inteiramente instrumental, do fantástico compositor Mark Isham, o mesmo responsável pela música do filme Crash, 2004.

A River Runs Trhough It fala simplesmente acerca do amor, a base de qualquer relação, seja ela entre pessoas com conceitos diferentes ou iguais. O drama nos lembra da grandiosidade do amor gratuito, o qual não é fácil, nem generoso, mas absolutamente gratificante. Pois a liberdade de podermos amar uns aos outros, completamente, sem entendermos uns aos outros, completamente, é a mais livre das sensações.

rivbrad, filme, maclean, norman, pitt, redford, rio, robert

brad, filme, maclean, norman, pitt, redford, rio, robert

brad, filme, maclean, norman, pitt, redford, rio, robert

brad, filme, maclean, norman, pitt, redford, rio, robert

brad, filme, maclean, norman, pitt, redford, rio, robert

brad, filme, maclean, norman, pitt, redford, rio, robert

brad, filme, maclean, norman, pitt, redford, rio, robert


rejane borges

Gosta das cores de folhas secas ao chão. E das cores das folhas velhas dos livros.
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/cinema// //rejane borges