Fotografia de arquitetura: a obra dentro da obra

A fotografia tem a fascinante propriedade de ampliar ou relegar para segundo plano aquilo que o olho humano vê, por defeito, à mesma escala. No caso das imagens de Fernando Guerra, a grandiosidade da arquitetura faz contraste com a humildade das figuras que a observam.


fernando guerra fotografia arquitetura Adega Mayor, Campo Maior, Portugal - Arq. Álvaro Siza © FG + SG

Formado em arquitetura, o português Fernando Guerra possui uma sensibilidade muito particular para retratar aquilo que o homem tão bem funde com a Natureza. Esta é, aliás, uma relação crucial na produção de boas imagens - a luz e as condições atmosféricas têm a última palavra num processo que requer paciência. Trata-se de um trabalho de mediação entre a intenção de quem faz disparar a câmara e a imprevisibilidade do que o rodeia.

O que Fernando Guerra e Sérgio Guerra iniciaram em 1999, com a criação do estúdio FG + SG, foi uma autêntica reportagem da arquitetura contemporânea portuguesa em permanente construção - não é por acaso que o site do projeto se intitula "Últimas Reportagens". Ao todo, produziram já 478 trabalhos onde podem ser vistas as obras de arquitetos de renome como Álvaro Siza Vieira, Carlos Castanheira, Manuel Graça Dias e Egas José Vieira. As fotografias são editadas regularmente em publicações nacionais e internacionais, como as revistas Casabella, Wallpaper*, Dwell, Icon, Domus e A+U.

Mas estas fotografias enquadram também o visitante "en passant", admirando a inevitável imponência do engenho humano, até porque a arquitetura não tem qualquer significado sem um contexto - ou, dito de outra forma, a arquitetura não tem qualquer significado enquanto não a inserimos num determinado contexto (de resto, o mesmo se passa em todas as vertentes da arte).

fernando guerra fotografia arquitetura Fundação Iberê Camargo, Porto Alegre, Brasil - Arq. Álvaro Siza © FG + SG

fernando guerra fotografia arquitetura Residências assistidas em Alcácer do Sal, Portugal - Arq. Aires Mateus © FG + SG

"A pessoa que passa, o carro certo ou a nuvem certa são elementos que gosto de adicionar ao que fotografo. Adicionam escala, mas acima de tudo dão-lhe sentido e fazem a ponte para o meu trabalho pessoal que sempre procurou esses elementos", revelou Fernando Guerra numa entrevista à revista portuguesa da especialidade Arq&Design.

São esses vultos, essas humildes figuras que tornam o trabalho do fotógrafo português tão distinto, afastando-o de um trabalho reduzido a documento - ou seja, da intenção de dotar a imagem de uma única função: a do realismo. Claro que convém não esquecer que, neste domínio, a objetiva está ao serviço de um cliente - o arquiteto - e que a visão artística deve aliar-se ao propósito comercial do trabalho.

Fica ao critério de cada um decidir se, neste contexto, a arquitetura está inserida numa obra maior que é a fotografia ou vice-versa; mas porque é bem mais fácil levar para casa uma fotografia em vez de um museu ou uma fachada de edifício, o estúdio FG+SG já disponibiliza várias das suas imagens para venda e coleção.

fernando guerra fotografia arquitetura Pavilhão de Portugal Expo Saragoça - Arq. Bak Gordon © FG + SG

fernando guerra fotografia arquitetura Capela de Santo Ovídio, Lousada, Portugal - Arq. Álvaro Siza © FG + SG

fernando guerra fotografia arquitetura Escola de Música de Lisboa - Arq. João Luís Carrilho da Graça © FG + SG

fernando guerra fotografia arquitetura Museu Paula Rego (Casa das Histórias), Cascais, Portugal - Arq. Eduardo Souto de Moura © FG + SG

Mais trabalhos no site Últimas Reportagens.


Debora Canbé

Nunca foi nerd, mas gostava de o ser. Mesmo assim, acredita ser capaz de dar um ou outro bitaite sobre uma série de assuntos relativamente interessantes.
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/fotografia// @obvious, @obvioushp //Debora Canbé