Addictive TV - Os filmes que se tornam música

O cinema é feito de imagem e som. Algumas músicas passam a ser símbolo dos filmes após entrar para a trilha sonora. Quem dissocia a música de Star Wars de suas imagens, por exemplo? Mas, a trilha sonora não é feita apenas de música, e é ai que a dupla inglesa Addictive TV entra na história!



Addictive_TV_(Mark+Graham)_20111006_bo_02.jpg © Addictive TV, Mark and Graham.

O que os filmes Rocky, Dirty Dancing, Uma linda mulher, Titanic e Missão Impossível tem em comum? Fora todos terem sido campeões de audiência em algum momento, eles possuem músicas que falam mais do que as próprias imagens. Aposto que você que lê este texto agora sabe cantarolar ao menos uma das canções que foram imortalizadas por estes filmes.

O cinema é uma forma de comunicação e expressão pautada no audiovisual. Excetuando-se os primeiros anos da sua história, é feito de imagem e de som simultâneos. Sendo assim, a trilha sonora é um dos componentes fundamentais dos filmes, mesmo que algumas delas não fiquem eternamente na nossa memória. Mas não é só de músicas que uma trilha sonora vive. Existe também aquela parte da trilha que é feita por efeitos sonoros (tiros, explosões, etc) e as que caracterizam o ambiente (se ao ar livre, pássaros, por exemplo). Esta é a matéria-prima para o trabalho do duo Addictive TV.

Addictive-TV-@-Koko-London-2010_20111011_bo_05.jpg © Addictive TV, Koko London, 2010.

Essa dupla inglesa faz músicas para serem vistas e são considerados referências quando o assunto é a nova tendência das pistas pelo mundo afora: a união entre áudio e imagem. Já se apresentaram em mais de 40 países e o principal foco do seu trabalho são filmes, mas eles já produziram para canais esportivos, marcas de games e bebidas. O primeiro trabalho a ganhar fama mundial, foi o remix que fizeram para o filme “Vem Dançar” (Ritmo e Sedução, em Portugal). Após o sucesso deste vídeo, os principais estúdios cinematográficos de Hollywood contrataram a dupla para fazer trailers alternativos para os seus filmes.

AddictiveTV-@-Nouveau-Casino-Paris-2010_20111006_bo_04.jpg © Addictive TV, Nouveau Casino Paris, 2010.

Dentre eles, o que mais me agrada é o remix feito em 2009 para o vencedor do Oscar “Quem quer ser um milionário?” (Quem quer ser bilionário?, em Portugal). A sonoridade latente que o filme possui foi extremamente bem explorada pela dupla, é impossível não sentir vontade de dançar ao ver (e ouvir) o vídeo.

O brasileiro “Cidade de Deus” também foi remixado por eles. Explorando os sons que nos passaram despercebidos durante o filme, o resultado é um misto de som de câmara fotográfica, tiros e samba.

Porém, um dos mais interessantes remixes não foi feito a partir de um filme, mas sim a partir de um dos clipes mais bizarros de que se tem notícia. Em 1978, a inglesa Kate Bush entrou para a história por ser a primeira mulher a alcançar o topo das paradas inglesas com uma música própria. Que música é essa? Wuthering Heights, baseada no romance O morro dos ventos uivantes (em Portugal, O Monte dos Vendavais).

A voz de Kate é bastante incomum e o clipe chega a ser fantasmagórico. Mas, nas mãos da dupla Addictive TV, a bizarria deu lugar ao som dançante que agrada aos fãs das pistas.

A união entre som e imagem foi essencial para o cinema: será assim também o futuro da música?

Iron Man (Addictive TV remix) por AddictiveTV

AddictiveTV-@-Vancouver-2010-Winter-Olympics_20111006_bo_06.jpg © Addictive TV, Vancouver 2010 Winter Olympics.

AddictiveTV-@-Vancouver-2010-Winter-Olympics_20111106_bo_03.jpg © Addictive TV, Vancouver 2010 Winter Olympics.

jéssica parizotto

é uma proparoxítona, interessa-se por haicais, músicas pouco conhecidas e jogo de palavras. Queria voar de balão, mas tem medo de altura.
Saiba como escrever na obvious.

deixe o seu comentário

Os comentários a este artigo são da exclusiva responsabilidade dos seus autores e não veiculam a opinião do obvious sobre as matérias em questão.

comments powered by Disqus
x1
 
Site Meter