Um hotel feito de tubos

Se estiver a planear umas férias pelo México, sugerimos-lhe uma hospedagem diferente na cidade de Tepoztlan. Funciona como um albergue, está inserida numa horta orgânica e foi construída com materiais reciclados. No TuboHotel, os dias e as noites são passados (sempre) em círculo, já que este é literalmente feito com tubos empilhados.



tubo_hotel_20111006_bo_02.jpg

O TuboHotel é único. A sua construção feita à base de tubos confere-lhe um design original e muito inovador. O projecto do casal Robb Anderson e Ana Garcia foi posto “de pé” em apenas três meses e localiza-se na cidade de Tepoztlan (a 45 minutos da capital mexicana).

O hotel funciona como um albergue, ou seja, pretende oferecer uma hospedagem económica - mas confortável - aos viajantes. Cada tubo é um quarto. E cada quarto tem capacidade para três pessoas. Para além de uma cama de grande dimensão, há ainda uma mesa-de-cabeceira, um pequeno lavabo, acesso à internet e um ventilador que permite regular a temperatura ambiente. Dado os tubos estarem empilhados em forma de pirâmide, para os quartos mais altos é necessário subir umas escadas.

Os WCs ficam noutro edifício e são partilhadas entre os hóspedes, sendo que as mulheres têm acesso a uns e os homens a outros. O refeitório fica igualmente noutra estrutura e a comida é confeccionada por Ana Garcia. A chef dá ainda aulas e workshops de cozinha tradicional da região aos amantes da culinária.

Este hotel é um exemplo de uma construção realizada com materiais reciclados e sustentável em termos de ambiente. Não foi feita qualquer escavação para a instalação dos edifícios, nem houve corte de árvores. A vida lá dentro é organizada em círculo, dentro de uma horta orgânica, onde os viajantes interagem a cada passo. As estadias custam 500 pesos mexicanos por dia (cerca de 35 euros e 67 reais).

tubo_hotel_20111006_bo_03.jpg

tubo_hotel_20111006_bo_04.jpg

tubo_hotel_20111006_bo_05.jpg

tubo_hotel_20111006_bo_06.jpg

tubo_hotel_20111006_bo_07.jpg

diana ribeiro

gosta de cores, comer algodão doce, ouvir as ondas do mar e cheirar livros novos. Não dispensa o uso de nenhum dos sentidos.
Saiba como escrever na obvious.

deixe o seu comentário

Os comentários a este artigo são da exclusiva responsabilidade dos seus autores e não veiculam a opinião do obvious sobre as matérias em questão.

comments powered by Disqus
v2/s
 
Site Meter