8 anos de obvious

O obvious é, e continuará a ser, um espaço de tudo e de nada; de coisas importantes aparentemente sem importância; de coisas intemporais; de coisas simples que, afinal, nos seduzem.


obvious_8anos_600.png

Hoje é um dia especial para todos aqueles que fazem parte deste projeto. Exatamente há oito anos, ainda num formato muito amador, surgia o primeiro artigo na obvious. Apesar de oito anos não serem propriamente uma eternidade, para um espaço de internet que surgiu sem nenhuma pretensão, é uma data que nos dá gosto assinalar.

O problema destas datas é que ao fim de algum tempo a comemorar mais um ano, faltam-nos as palavras adequadas para expressar aquilo que sentimos. Passa a ser o momento em que, simplesmente, nos recordamos das motivações que estiveram na génese de tudo e deram corpo ao que vocês agora presenciam.

Este é também o momento para vos re-afirmar que as pessoas que atualmente compõem este espaço estão empenhadas em torna-lo ainda melhor. Se no passado ele era composto por apenas dois indivíduos, hoje são quase 30 pessoas espalhadas por 3 continentes, unidas pela língua portuguesa e pela paixão de partilharem com o mundo tudo aquilo que merece um olhar mais demorado.

Atualmente, o obvious é lido mensalmente por mais de 1 milhão e meio de pessoas, dos mais diversos países de língua portuguesa e de língua inglesa. Apesar disso, continuamos a olhar para este espaço sem qualquer pretensão. O obvious é, e continuará a ser, um espaço de tudo e de nada; de coisas importantes aparentemente sem importância; de coisas intemporais; de coisas simples que, afinal, nos seduzem e dão sentido à vida.

Correndo o risco de escrever mais do mesmo, ficam algumas mensagens dos nossos colaboradores.

Isabella Kantek isabella_ZZ75C4AF85.jpg Lembro-me do ano, 2007, mas não dos detalhes deste encontro que alargou o meu horizonte. De certo que foi culpa daquele olhar enigmático. Chegava a passar um tempo largo na página embalada pelos artigos e suas imagens. Ali descobri a Priscilla Santos e a Tajana e foi impossível deixá-las. Em seguida, o Seven, o Luis e o Benjamin e tantos outros escritores que passaram por lá. Altas leituras. "Santo Obvious" era como eu me referia ao sítio no começo, até ser convidada para participar do projeto Cidades e começar a acreditar que Ele operava milagres. :) Sem dúvida alguma uma das experiências mais felizes e férteis enquanto escritora desde então. Agradecimento especial aos leitores. Antigos e mais recentes, mas sempre ali. Uma espécie de termômetro das minhas palavras. O meu outro. Obrigada.

Fabio Machado fabio_ZZ429BE27C.jpg Faz parte do ser humano buscar ligações e significados maiores em sistemas e fenômenos do dia-a-dia: intempéries são causadas por seres superiores, ouvimos o som do mar dentro de conchas, espelhos quebrados nos garantem uma cota de azar e datas especiais possuem grande força cabalística. O 11.11.11. passou há pouco, não? Números são cria nossa, mas a matemática certamente superou nossa imaginação. Uma data representa um marco, uma ideia, expõe um pedaço de história sem necessitar de palavras e adatptações cinematográficas. Assim são estes 8 anos de Obvious completados em 18.11.11: Oito anos, trinta colaboradores, milhões de acessos e um sem-número de artigos, imagens e e-mails partilhados entre Brasil, Portugal e EUA para o resto do mundo. O oito para mim têm valor estético. Não me lembra apenas do meu começo no Obvious, do fatídico texto sobre a Lady Gaga, portas abertas, comentários ácidos (por vezes nonsense) e amigos queridos. É o "Infinito de Pé" cantado por André Abujamra, uma ampulheta que desenhamos com um traço só; um aviso de que o tempo, assim como os números, é mera abstração - pode ser alongado, contraído e quando você presta atenção boa parte dele já se "esvaiu". Por isso é importante nosso olhar mais demorado, para perceber esse espírito do tempo e não deixar passar em branco coisas que infelizmente passam batido por nossas telas e rotinas. Nosso tempo é hoje, mas o atemporal melhor nos convém. Que venham mais 8x8 anos, artigos e amigos, pois.

Mariana carrillo mariana_carrillo_ZZ362F8E40.jpg É muito difícil falar o que para nós já é totalmente obvious. Como começar o dia sem ler um delicioso artigo? Conhecer sobre o que nem fazia ideia que existia? Viajar do culto ao bizarro? Obvious entrou na minha vida como a fala, a leitura e a escrita; tão natural que não dá nem para explicar. Fazer parte desse mundinho é dividir um pouco de tudo o que amamos com nossos leitores: exigentes, ácidos, empolgantes. E aí a gente fica meio assim, procurando coisas novas aonde quer que a gente vá.

Marisa Figueiredo marisa_figgs_ZZ4DA2BF42.jpg Fazer contas é fácil. Oito anos de Obvious. Um ano e meio de envolvimento próprio no Obvious. Mais difícil é a aritmética das experiências ou a soma do que representa tudo isto. Cada texto que escrevo é um reflexo de mim, que partilho com quem queira ler. Cada palavra é um gota de amor, que cai inspirada num artigo por terminar. Exagerado? Talvez. Mas os temas sobre os quais escrevo, a interacção dos leitores e o grupo de colaboradores acabou por significar mais do que podia esperar. Tornou-se um reflexo de mim. Um eu mais colorido, musical e obvious. Espero que, cada vez que leiam um artigo nosso, os vossos “eus” também fiquem assim: como um céu de Magritte numa composição de Picasso. Parabéns Obvious. E venham mais oito!

Rejane Borges rejane_ZZ6C0A567D.jpg A Obvious intrigou-me desde a primeira vez que a vi. E desejar fazer parte de algo criativo e bem feito foi minha primeira reação. Mas não se trata apenas de criatividade e competência. O que percebi na Obvious foi uma arrebatadora paixão por cultura, por arte, por histórias. A Obvious foi criada assim: com paixão, com envolvimento, com sede de conhecimento e, o que é essencial, com muito bom humor. E eu não acredito em nada que não seja criado dessa forma. E post atrás de post, a Obvious hoje é um dos espaços mais deliciosos da internet. De Mozart a Lady Gaga, de Shakespeare a Homer Simpson. De Renoir a Banksy. Dos Bárbaros aos Cupcakes. De dois amigos curiosos e inteligentes, para mim e para você. Um dia meu pai me disse que mais importante que acertar o passo é continuar dançando. Às vezes, a Obvious pode errar o passo, perder um pouco o ritmo, mas nunca deixou de dançar. E dança muito bem há 8 anos. E me ensina. E me inspira. E me dá espaço para eu mostrar minha melhor performance. Só tenho a dizer: obrigada.

Diana Ribeiro _diana_ribeiro_ZZ27142D99.jpg O tempo passa depressa" não é apenas uma frase feita...ele passa mesmo. Parece que foi ontem, mas no mês passado já fez um ano que estou na Obvious. Foi, sem dúvida, um dos melhores acontecimentos do "meu" 2010. Fazer parte desta revista é descobrir todos os dias temas, histórias, autores e projectos extraordinários e poder partilhá-los com os leitores. Nestes oito anos de vida, desejo oito vezes mais oito anos, sempre com a mesma qualidade e os mesmos colegas fantásticos. CHIN-CHIN À OBVIOUS.

Marisa Antunes marisa_antunes_ZZ422C0200.jpg Encontramo-nos, por acaso, e a atracção foi imediata. Atraiu-me as formas, as cores vibrantes, as palavras e as histórias que me contava. Atraiu-me, principalmente, a janela que me abriu para o mundo. Fomos ficando, de vez em quando, até que chegou o dia em que já não conseguia passar sem o visitar; tocá-lo com os meus olhos curiosos e deixá-lo brincar com os meus sentidos. Foi assim que conheci o obvious e foi assim que me apaixonei. A partir daí, tinha um desejo secreto: fazer parte do seu mundo. A minha primeira tentativa não foi correspondida. É normal haver pequenos desgostos nas grandes paixões. Não desisti e cá estou: hoje temos oficialmente uma paixão assumida. Colaborar com o obvious é estar viva; é um constante alimentar os sentidos: os meus, enquanto colaboradora, e os de quem nos lê. Não faz sentido ser de outra forma. Nunca desistam das vossas paixões. Façam acontecer.

Jéssica Parizotto jessica_ZZ31992D09.jpg Eu andava cansada de paisagens superficiais e breves acenos, um dia descobri a obvious magazine e decidi que era hora de degustar com palavras aquilo que me transbordava aos olhos! Espero que os leitores compartilhem da satisfação que a Obvious me proporciona e que continuem lendo nossas palavras-olhares.

Madeleine Alves mad_ZZ35D9C5A0.jpg Havia uma Madeleine formada em letras há dois anos e trabalhando em muitas coisas ao mesmo tempo. Com a obvious crescendo em português, porque não levar todos estes artigos a outros públicos e outras culturas? A tradução da obvious é, antes de tudo, uma fonte inesgotável de referências, ideias, questionamentos e desafios que me fazem encarar as artes da vida de um modo diferente. Mais do que ler os artigos e comemorar 8 anos de Obvious, eu desejo que você que nos lê — desde agora ou desde sempre — dirija o teu olhar mais demoradamente sobre as partes que formam o todo — questionando, concordando, discordando, criticando... Estamos aqui não para aninhar sonos eternos, mas para provocar sonhos despertos.

Tiago Vargas tiago_vargasZZ4FDF0A32.jpg Estava a pesquisar algo sobre música em 2009 quando fui direcionado para o artigo da Obvious "Os 13 álbuns essenciais do Rock". Desde então comecei a acompanhar as atualizações da revista que sempre me agradaram. Passou-se um bom tempo até que um belo dia eu vi um pequeno chamado no fundo de um artigo "Saiba como fazer parte da Obvious" de maneira despretensiosa eu fiz o teste e desde então é uma honra para mim fazer parte desse time. Somente o aprendizado que obtive nas pesquisas feitas para elaboraçãos dos artigos já foi um ganho notável, junte isso com a satisfação de poder levar algo aos olhos do leitor e lhe contar uma história ao lado de colegas únicos... É simplesmente incrível.Para vocês leitores, quero trocar olhares ainda mais intensos e demorados com vocês. Obrigado por fazerem parte da Obvious!

Izabela Americano bela_americano_ZZ0E14C809.jpg Foi apenas a 8 meses atrás que o obvious entrou em minha vida. Entrou como um diálogo, um espaço para me expressar a respeito as coisas que me despertam. Mas a oito anos que ele existe, um lugar para troca de idéias que nos ocorrem quando exercemos um olhar mais demorado. E que venham os próximos anos! Entrem e descubram conosco o que há de interessante no nosso cotidiano, nas nossas vidas, no nosso mundo!

Ederval Fernandes ederval_ZZ62EA4CBA.jpg Eu estava montando uma revista com alguns amigos, uma revista que circulasse no campus da minha universidade (impressa mesmo, de papel e tudo), quando surgiu de um deles a idéia de se fazer também um blog. Citaram o Obvious como exemplo a seguir. “Obvious?”, eu disse, “não conheço”. Isso faz alguns anos e eu nem me lembro exatamente quando foi. Não importa. Desde então, virei leitor do Obvious e ambicionei ser um colaborador, o que só veio ocorrer este ano. Gosto do Obvious sobretudo pela sua pluralidade e agilidade nos conteúdos, algo que o torna um veículo amplo e eficiente sobre cultura pop, artes e tecnologia – por demais necessário em tempos de dispersão e grande volume de informações na blogfera . Desejo aos nossos leitores a mesma alegria e entusiasmo que eu percebo nas conversas de bastidores do nosso staff e a mesma inteligência e sagacidade que estão presentes nos artigos desta casa. Afinal, o fato de ser quem está aqui escrevendo, e não vocês, é um mero acaso. Paz e sabedoria – sempre.

Eugênio Mira eugenio_ZZ10079239.jpg Quando você abre uma janela, sempre espera ver apenas onde sua visão alcança. Quando o Obvious abriu para mim essa janela, pude ver mais longe e mais atentamente do que antes. Hoje, procuro abrir janelas na mente de cada um dos nossos leitores através de meus humildes escritos. Abra a sua janela e permita-se esse olhar mais demorado.

Liss en Dehors liss_ZZ30731DF0.jpg 8 anos atrás, eu com 16 anos estava na descoberta de livros, cores, sabores, paixões. Cruzei o meu olhar com o Obvious e depois de um olhar demorado a paixão surgiu. Os textos, as cores, os sabores de vários países tudo num só olhar demorado... Virei visita cativa até que o desejo cheio de ousadia jovem se candidatou a ser parte desse olhar, queria estar dentro, ver de perto. E no dia 19 de abril, como um presente de aniversário (que faço dia 24 desse mês) me tornei parte do olhar que tanto admiro! Por isso meu primeiro pedaço de bolo, registrado na foto do dia 24 de abril, também vai para a galeria da família Obvious que mesmo sem saber já entrou na minha vida me presenteando, me motivando e me dando ainda mais razões para escrever e viver! 4 fotos com um par de olhares para registrar nossa data!

Petit Gabi gabit_ZZ51EBF5DC.jpg Afinidade é a palavra que define como a Obvious entrou na minha vida. Tal qual a Lei da Atração, simplesmente nos encontramos em um jogo de palavras cruzadas e, devo dizer, foi impossível resistir ao seu charme. Não poderia ser diferente, afinal cá estou eu no mundo para exprimir em palavras tudo que penso e sinto. Como se escrever fosse parte do todo que me compõe. E aos leitores que acompanham a Obvious nessa estrada, desejo que continuem junto a nós, sempre buscando enxergar a vida com um olhar mais demorado.

Deixo-vos ainda com algumas imagens do que foi o obvious há muitos anos atrás, e convido os leitores a dar uma volta pelos arquivos. Mesmo os mais antigos e assíduos esquecem-se das coisas que já aqui foram publicadas. Eu próprio me esqueço e surpreendo-me com as redescobertas. Será oportunidade também para rever os artigos de alguns colaboradores que por cá passaram e nos deixaram. A todos eles o nosso sentido obrigado. Um agradecimento também para os leitores, que crescem de dia para dia. São vocês que fazem este espaço.

ZZ1764A730.jpg obvious em 2004

ZZ5E369650.jpg obvious em 2007

ZZ764CF7F8.jpg obvious em 2008

ZZ74A8D7E2.jpg obvious em 2010


obvious magazine

There are those that look at things the way they are, and ask why? I dream of things that never were, and ask why not?
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/recortes// @obvious, @obvioushp //obvious magazine