La Piel que Habito - Um Almodóvar mais profundo

O longa com nome bonito de Almodóvar suscita questões tão atuais e inquietantes, contadas da forma que apenas o espanhol poderia. Como a arte que deve ser.


almodovar filme peil qie habito

Falar que é um filme de Almodóvar já deveria dizer muito. Quem não gosta de um, não dará tanta importância aos outros. Eles têm uma marca. Almodóvar é uma marca; é um estilo que consegue unir como poucos todas as artes: a pintura, o teatro e a música. Ele é a convergência desses elementos.

Em "La Piel que Habito", as criações de Louise Bourgeois quase ganham um papel. E Francisco Goya é carinhosamente lembrado. O cineasta espanhol está mais profundo nas questões que costumam motivá-lo. A transexualidade é tratada de forma mais complexa e séria. Almodóvar está mais minimalista em sua forma.

Não é o melhor de seus filmes, mas é, mais uma vez, grande. Baseado num romance de Thierry Jonquet, narra a história de um cirurgião plástico obcecado em criar a pele perfeita. Como toda boa sinopse – que nada conta -, o longa vai muito além disso, mal passando pelo tema da cirurgia plástica em si. Navega entre sobrevivência, poder e hipocrisia.

A Antonio Bandeiras lhe caiu muito bem o papel de aparências de médico de família - ainda melhor quando entra o lado assustador. O clima do filme é aflitivo. Principalmente se a empatia do espectador se sobressair. Bandeiras é um cirurgião informal, frio e distante. Às vezes faz sentir pena, em outras, deixa-se tachar de monstro. É este o seu verdadeiro papel.

“La Piel que Habito” faz você continuar assistindo-o em sua mente. Pensando. E apesar de suas falhas no final, como a inocência de alguém com uma mente tão insana, ele faz você levá-lo para depois de seu fim. São 117 minutos para indagações da essência do que nos faz ser o que somos. E mais o tempo que você precisar para digerir a questão.

almodovar filme peil qie habito

almodovar filme peil qie habito

almodovar filme peil qie habito

almodovar filme peil qie habito

almodovar filme peil qie habito


mariana carrillo

se contenta se falar e for ouvida.
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/cinema// @obvious, @obvioushp //mariana carrillo