Urban Interiorites, um restaurante invulgar

A ideia é metamorfosear arquitectura e interior, uma só peça/obra. O resultado é o espaço Urban Interiorites - uma peculiar mas convincente paisagem, festiva e estimulante, que foi beber a inspiração à agitação frenética em seu redor. No interior, imaginamo-nos a almoçar dentro de uma planta carnívora e procuramos distinguir uma cadeira duma mesa. A sensação é a de que fomos teletransportados para os Jetsons ou para o planeta Avatar, de James Cameron, em tons de cor-de-rosa e dourado.


bar, japao, pop, restaurante © Urban Interiorites.

E foi exactamente essa a intenção dos estudantes da Escola de Design da Universidade da Pensilvânia que, juntamente com o Professor Ali Rahim, são os responsáveis por este projecto incrível.

A nossa curiosidade é logo provocada pela complexidade da imagem com que nos deparamos. Simplesmente, tentamos perceber o que é. As cores berrantes e a textura interpelam-nos para o pormenor e para o detalhe. É uma massagem ao nosso sentido de visão. Olhando para o Urban Interiorites, não estamos perante um edifício. É uma obra de arte, um objecto em si mesmo, a pedir para ser descodificado.

Este espaço/conceito abriga um bar de saquê, um restaurante de sushi, um lounge com música e outros dois destinados exclusivamente a VIPS. Projectado especialmente para a cultura única da juventude no bairro Harajuku, em Tóquio, no Japão, o espaço responde ao ambiente vibrante e eclético daquele sítio: o bairro super cool de Tóquio onde as raparigas se vestem como bonecas. Não há dúvidas quanto a isto: esta construção é uma interpretação da atmosfera em que se insere, manifestando-se, simultaneamente, como elemento dissonante e central.

bar, japao, pop, restaurante © Urban Interiorites.

A arquitectura é uma arte que procura dar sentido à vida quotidiana e não um objecto fechado dentro do seu próprio significado, ou nos elementos que o compõem. A obra arquitectónica evidencia-se ou insinua-se, com clareza ou com mistério. O seu mistério é, em certa medida, evidente, não sendo necessário induzi-lo por outros meios que não os da natureza dos espaços que a definem. Nesta lógica, este edifício é um óptimo exemplo deste entendimento acerca do que é uma obra arquitectónica.

bar, japao, pop, restaurante © Urban Interiorites.

bar, japao, pop, restaurante © Urban Interiorites.

bar, japao, pop, restaurante © Urban Interiorites.


graça c. moniz

gosta muito de séries, Arte, Cinema, Livros, Viajar, etc,... Aprendeu que o essencial, em quase tudo, é muito simples.
Saiba como escrever na obvious.

deixe o seu comentário

Os comentários a este artigo são da exclusiva responsabilidade dos seus autores e não veiculam a opinião do autor do artigo sobre as matérias em questão.

comments powered by Disqus
version 6/s/arquitetura// @obvious, @obvioushp //graça c. moniz
Site Meter