Alexandre, o senhor da guerra, na batalha de Hidaspes

Em uma de suas últimas batalhas, Alexandre chegou à Índia, enfrentou o caudaloso rio Hidaspes, enganou o general Poros e, com maestria, liderou um ataque surpresa ao oponente, que resultou na expansão de seu território para o Oriente. A tática de Alexandre nesta batalha ficou como uma das mais brilhantes da história militar.



alexandre, batalha, grande, guerra, Hidaspes, historia, macedonia, militar, o, porus © Mosaico de Alexandre, Casa do Fauno em Pompeia (100 a.C.) (Wikicommons, Ruthven).

Ambição e inteligência: esses foram os ingredientes que impulsionaram as conquistas de um dos maiores líderes da história. Alexandre Magno iniciou seus feitos após a morte de seu pai, Filipe II, que tinha dominado e modernizado a Macedônia. Alexandre, um dos discípulos do filósofo Aristóteles, tinha vinte anos, uma grande sabedoria, e decidiu prosseguir com as conquistas do pai. Seu objetivo era chegar à Índia e conquistar o Oriente.

Seu primeiro combate foi a Batalha de Granico, que lhe rendeu a posse da Ásia Menor, território hoje pertencente à Turquia. Síria e Egito também ficaram sob seu comando. O jovem desbravador conseguiu o respeito das populações que conquistou e, aos poucos, mesclou as culturas das sociedades oriental e ocidental.

Ao longo de sua caminhada, Alexandre usou o nome de seus combatentes feridos para nomear algumas cidades ao longo de suas viagens. No Egito, Alexandre tomou o poder de Dario III. Lá, nomeou uma das cidades em homenagem a si mesmo, Alexandria, que tornou-se pólo cultural da Antiguidade.

Em 326 a.C., Alexandre tinha já estendido o seu império até ao território do atual Paquistão. Para continuar, tinha agora pela frente o rio Hidaspes, afluente do rio Indu. Poros, general e rei de Parauvas, foi avisado da invasão. Reuniu sua tropa e acampou em uma das margens do rio à espera do conquistador. O clima de monções tinha feito com que as intensas chuvas elevassem o nível das águas e proporcionassem perigosas correntes. O exército de Poros era formado por soldados, carros e 200 elefantes, animais treinados seguindo a tradição oriental. Seus homens conheciam o território da batalha. Já Alexandre contava com 32 mil guerreiros divididos em grupos distintos, de acordo com suas capacidades. Havia cavalos no grupo, apesar de estes animais temerem os elefantes. Os guerreiros utilizavam escudos de metal pesados, espadas e lanças. A chuva caía incessantemente, a água do rio movimentava-se com rigor. Alexandre pediu trigo para abastecer a tropa; fez com que Poros acreditasse que não atravessaria o rio antes de chegar a primavera, estação em que o nível do rio diminui. Alexandre, no entanto, procurava um ponto no qual pudesse atravessar. E o golpe de gênio militar chegou ao fim de dois meses.

alexandre, batalha, grande, guerra, Hidaspes, historia, macedonia, militar, o, porus © Busto de Alexandre Magno, do Vaticano (Wikicommons, Jastrow).

Primeiro, orientou seus guerreiros para que chamassem a atenção de Poros, dando-lhe a impressão de que afinal pensavam avançar. Assim, o general inimigo iria concentrar-se nessas movimentações.

Ao anoitecer, Alexandre e uma parte de seus soldados caminharam até à margem do rio e se distanciaram alguns quilômetros do acampamento. A tropa entrou na água e, após nadar por algum tempo, Alexandre encontrou duas ilhas que utilizou para esconder seus homens. Poros, ao ser avisado do ataque, montou um grupo com elefantes, carruagens e, logo atrás, cavaleiros armados, para irem ao encontro de Alexandre, pois não sabia de qual direção partiria o ataque.

Ao ver a disposição dos soldados oponentes, Alexandre optou por mudar a tática de ataque e posicionou os arqueiros na linha de frente. Os escudos dos macedônios serviram de proteção contra as flechas e as carruagens dos indianos atolaram no meio da lama resultante da chuva do dia anterior.

alexandre, batalha, grande, guerra, Hidaspes, historia, macedonia, militar, o, porus © Alexandre e Porus, pintura de Charles Le Brun (Wikicommons, Gdr).

alexandre, batalha, grande, guerra, Hidaspes, historia, macedonia, militar, o, porus © Detalhe de Alexandre Magno no seu sarcófogo (Wikicommons, Patrick Neil).

Alexandre eliminou parte da tropa indiana e seguiu ao encontro de Poros. A terça parte dos soldados juntou-se para a continuação da batalha. Alexandre observou o terreno e os soldados inimigos, rapidamente reorganizou seus homens de modo a destruir a formação estratégica montada por Poros. Os arqueiros macedônios se posicionaram na frente e iniciaram os ataques. Também iniciaram as tentativas de atingir os olhos dos elefantes e, assim, desestabilizá-los. Sem elefantes, com homens feridos e sem materiais de proteção como os escudos e as resistentes roupas de fibras de algodão dos oponentes, o exército indiano foi se desfazendo aos poucos. Assim Alexandre surpreendeu seu oponente e venceu mais uma batalha de forma brilhante, honrando seu título de “senhor da guerra”.

Poros, apesar de derrotado, ficou para a história como um dos mais brilhantes opositores de Alxandre- que, reconhecendo o seu valor, lhe manteve o título de rei e lhe conceceu o direito de governar em seu nome aquele território.

alexandre, batalha, grande, guerra, Hidaspes, historia, macedonia, militar, o, porus © Batalha Hydaspes, pintura de Andre Castaigne (Wikicommons, Gdr).

isabela frushio

Num barco modesto, aponta para os sonhos junta fé e rema.
Saiba como escrever na obvious.

deixe o seu comentário

Os comentários a este artigo são da exclusiva responsabilidade dos seus autores e não veiculam a opinião do obvious sobre as matérias em questão.

comments powered by Disqus
v2/s
 
Site Meter