E se tudo começasse pelo final?

Se assistirmos ao filme X de trás para a frente, ele conta-nos a história de Y…..” é uma fórmula divertida, que nasceu online e que consiste em narrar a sinopse de um filme popular, começando a história pelo fim.


backwards, cinema, contrario, fim, humor, principio, tempo

A brincadeira começou com uma montagem, tendo por base um mega êxito do cinema (“Tubarão”, 1975) colocada online pelo utilizador do Youtube BigShot210, em Junho de 2007. Em Fevereiro de 2009, o utilizador sixdoublefive321, do Reddit publicou um thread épico, com o título “Se virmos o filme Tubarão de trás para a frente, conta-nos a história de um tubarão que regurgita imensas pessoas, até que eles têm que abrir uma praia.”

O thread rapidamente se tornou viral e obteve mais de 3500 votos, com outros tantos comentários e versões de “Se assistirmos ao filme X de trás para a frente, conta-nos a história de Y….” que foram surgindo. A fórmula foi sendo aplicada a uma extensa lista de filmes, enfatizando, normalmente, os aspetos hilariantes ou ridículos do filme. Vejamos alguns exemplos:

“Se virmos o Karaté Kid de trás para a frente, conta a história de um campeão de Karaté que, lentamente, se transforma num medricas e acaba por se mudar para New Jersey.”

“Se virmos o Rambo de trás para a frente, conta a história de um homem que ressuscita pessoas com a sua arma aspiradora mágica.”

“Se virmos “O Discurso do Rei” de trás para a frente, conta a história do Rei de Inglaterra que perde a sua coroa e, lentamente, a sua capacidade de falar.”

“Se virmos o “Cisne Negro” de trás para a frente, conta a história de uma bailarina que cura a sua insanidade ao dormir com a Mila Kunis.”

“Se virmos a série LOST de trás para a frente apercebemo-nos que é exactamente a mesma coisa que se a virmos do início até ao fim.”

“Se virmos o filme “O Estranho caso de Benjamin Button” de trás para a frente, conta-nos a história de um homem normal.”

“Se assistirmos ao Harry Potter de trás para a frente, conta-nos a história de um jovem mágico que é colocado num programa de proteção de testemunhas, após um conflito violento.”

Se virmos o “Pretty woman” de trás para a frente, conta-nos a história de um homem, Richard Gere, que tenta transformar Julia Roberts numa prostituta.

Se virmos o “Ocean’s 11” de trás para a frente, conta-nos a história de 11 pessoas que doam uma quantia substancial de dinheiro a um casino e depois saem em grande estilo.

Qualquer “Sexta feira 13” de trás para a frente conta a história de um homem que reconstitui jovens desmembrados, para que estes possam ter relações sexuais.

“Se assistirmos ao Pac-Man de trás para a frente, vemos um tipo amarelo a vomitar pequenos pontos. Uma sujeira, se pensarmos bem no assunto.”

Dentro deste espírito, seria impossível não recordar as palavras de George Carlin, reinventadas posteriormente por Chaplin e Woody Allen:

Na minha próxima vida, quero viver de trás para a frente. Começar morto, para despachar logo o assunto. Depois, acordar num lar de idosos e ir-me sentindo melhor a cada dia que passa. Ser expulso porque estou demasiado saudável, ir receber a reforma e começar a trabalhar, recebendo logo um relógio de ouro no primeiro dia. Trabalhar 40 anos, cada vez mais desenvolto e saudável, até ser jovem o suficiente para entrar na faculdade, embebedar-me diariamente e ser bastante promíscuo. E depois, estar pronto para o secundário e para o primário, antes de me tornar criança e só brincar, sem responsabilidades. Aí torno-me um bébé inocente até nascer. Por fim, passo nove meses flutuando num “spa” de luxo, com aquecimento central, serviço de quarto à disposição e com um espaço maior por cada dia que passa, e depois: voilá, desapareço num orgasmo.”


marisa antunes

apaixona-se por tudo e pelos nadas e passa a vida a sonhar acordada. Tem uma assumida tentação pelo abismo e pelas quedas livres - sem rede - e acredita que tudo é possível.
Saiba como escrever na obvious.

deixe o seu comentário

Os comentários a este artigo são da exclusiva responsabilidade dos seus autores e não veiculam a opinião do autor do artigo sobre as matérias em questão.

comments powered by Disqus
version 1/s/cinema// @obvious, @obvioushp //marisa antunes