Karim Rashid - Mudar o mundo é mudar a natureza humana

Nostalgia é uma palavra que não entra no vocabulário de Karim Rashid. Segundo ele, o mundo poderia ser bem diferente se o ser humano soubesse viver no presente, rodeado de locais, objetos e experiências inspiradoras e contemporâneas. Para Rashid, o mundo é agora e não há espaço para tradições, rituais, objetos kitsch, nem peças sem significado.



01_Switch_Restaurant_01.jpg © Karim Rashid, "Switch Restaurant".

O design de Rashid impressiona. Pela quantidade (mais de 3000 peças produzidas, 300 prémios e presença em 40 países), pela diversidade (design de mobiliário, espaços, produto, novas tecnologias, iluminação, embalagem, moda, identidade, superfícies e não só) e pela modernidade. Ou poder-se-ia dizer, pela atualidade. Ao deparamo-nos com qualquer uma das suas criações, surge-nos a ideia de que se trata de uma peça com um design moderno, quase futurista. Porém, como observa o designer, as suas peças são atuais, algumas têm já duas décadas. E ainda assim, não parece possível que as suas criações coexistam com os espaços e objetos que nos rodeiam, porque o nosso sentimentalismo e apreço pela História e pela tradição não permitem que nos desfaçamos do passado, que acaba por se instalar como sendo o presente.

Para Rashid, há muito que o objetivo do design deixou de ser encontrar a forma que segue a função e passou a ser a procura desmesurada por embelezar tudo o que nos rodeia. A beleza, diz, é uma necessidade coletiva da humanidade. Assim, e apesar de, como refere no seu “Karimanifesto”, o design e a produção industrial serem definidos por incontáveis factores, como a experiência humana, comportamentos sociais, problemas globais, económicos e políticos, os mercados, a facilidade de produção, etc., acima de tudo, o design é definido pela procura da beleza, como, segundo Rashid, todos os negócios deveriam ser. Sendo um facto que o design tem sido o modelador cultural do nosso mundo desde o início, criando infraestruturas, objetos e cidades inteiras, Rashid considera que já foi tudo inventado. O papel do designer atual é o de melhorar as nossas vidas “poética, estética, sensorial e emocionalmente”.

02_Karim_in_white_suit_02.jpg © Karim Rashid.

Inconvencional na maneira de pensar, na maneira de vestir (é conhecido por usar cor de rosa e branco) e na maneira de trabalhar, não é possível contê-lo numa, nem mesmo em duas áreas do design. Rashid não é designer de produto, nem designer de interiores. É “apenas” designer, abrangendo todas as áreas de atuação e experimentando todos os campos.

Um design de linhas fluídas e orgânicas, com cores vibrantes e formas icónicas é o que Rashid nos oferece. Enquanto parte das suas criações se caraterizam por cores planas, uma a duas por peça, outras são povoadas por padrões. Uns de linhas dinâmicas, coloridas e contrastantes e outros constituídos por pequenos símbolos que definem de tal forma a obra de Rashid, que o designer os tem tatuados no corpo, como se também o seu corpo fosse uma peça de design que tem a sua intervenção.

03_Deutsche_Bank_03.jpg © Karim Rashid, "Deutsche Bank".

Certamente já passou por uma ou outra peça da sua autoria, num espaço público ou loja de mobiliário menos convencional. Porém, e apesar de embelezar e automaticamente “modernizar” o espaço onde se encontra, pela necessária adaptação do meio envolvente, nada se compara ao impacto provocado por um espaço totalmente criado e povoado por peças de Rashid. Os espaços de Rashid transportam-nos para outra realidade, onde somos arrancados de tal forma aos nossos cenários habituais que nos sentimos invadidos por uma sensação de leveza e esperança. Tudo no seu design parece mais suave, ao toque e ao olhar, pela sua diferença, estimula constantemente os nossos sentidos, desacostumados, de tal forma que nos faz esquecer os problemas do dia a dia, nem que seja apenas por um instante.

Rashid nasceu no Cairo, Egipto, em 1960, e foi criado no Canadá, onde se formou em design industrial, tendo prosseguido os seus estudos em Itália. Porém, mais uma vez dentro da filosofia do designer, nada disso importa. No seu site, apesar de existir uma secção dedicada à sua biografia, esta apenas refere feitos ao nível do trabalho, o seu crescimento e a sua vida pessoal são mantidos à parte, dando destaque unicamente à sua obra. Sendo assim, para a conhecerem melhor, não deixem de consultá-lo.

04_Corian_Smart_ologic_Living_04.jpg © Karim Rashid, "Smart Ologic Living".

05_MERITALIA_Matrix_Sofa_System_05.jpg © Karim Rashid, "Meritalia, Matrix Sofa System".

06_VELUX_Sensual_Metallic_Blinds_06.jpg © Karim Rashid, "Velux Sensual Metallic Blinds".

07_VONDOM_Lava_Lounger_07.jpg © Karim Rashid, "Vondom, Lava Lounger".

08_VONDOM_Pal_ Collection_08.jpg © Karim Rashid, "Vondom, Pal Collection".

09_VONDOM_Vertex_Dining_Set_09.jpg © Karim Rashid, "Vondom, Vertex Dining Set".

10_ID_EE_RockandRoll_Radiator_10.jpg © Karim Rashid, "ID EE Rock and Roll Radiator".

11_SATURN_Kouple_Bathtub_11.jpg © Karim Rashid, "Saturn Kouple Bathtub".

12_KENZO_Amour_Veronique_Durruty_12.jpg © Karim Rashid, "Kenzo, Amour Veronique Durruty".

13_FREEDOM_OF_CREATION_Cross_Lamp_13.jpg © Karim Rashid, "Freedom of Creation Cross Lamp".

inês petiz

é artista. E não poderia ser nenhuma outra coisa.
Saiba como escrever na obvious.

deixe o seu comentário

Os comentários a este artigo são da exclusiva responsabilidade dos seus autores e não veiculam a opinião do obvious sobre as matérias em questão.

comments powered by Disqus
v3/s
 
Site Meter