Quando o ringue vai para o cinema

Muitos boxeadores famosos tiveram as vidas retratadas nas telas. Estas histórias trouxeram para o cinema papéis fortes e premiaram os atores que assumiam a dura tarefa de interpretá-los. Mais do que um esporte multimilionário, o boxe é composto de homens e mulheres e suas lutas pessoais. Coube ao cinema enxergar estas histórias e dar oportunidade para o grande público ver esses espetáculos.



boxe, cinema, esporte O invencível (The champion, 1949): Midge Kelly (Kirk Douglas) e Grace Diamond (Marilyn Maxwell)

Charles Chaplin teve a oportunidade de subir no ringue em Luzes da Cidade (1931). O personagem lutaria pelo dinheiro de que precisava para pagar uma cirurgia e devolver a visão à sua amada. Mesmo não sendo propriamente um filme sobre o esporte, Chaplin cria uma cena icônica e engraçadíssima, o que não é de surpreender se tratando de um trabalho irretocável do mestre do humor preto e branco. Mesmo assim, ele apontou o conceito que mais tarde permearia todos os filmes do gênero: o lutador por trás do lutador.

O Campeão (1931), filme sobre o pugilista Andy “Champ” Purcel, conta sua jornada de lutador profissional, e contra o alcoolismo, ao lado do filho. Foi refilmado em 1979, com John Voigt no papel principal atuando no mesmo nível de excelência que o primeiro Purcel, Wallace Beery (Oscar de melhor ator).

O Invencível(1949), de Mark Robson, mostra a ascensão do boxeador e, pela primeira vez em um filme do gênero, a sua queda após a consagração. Já Punhos de Campeão (1949), cujo tempo dramático é contínuo (se passa momentos antes de uma luta e pouco depois da mesma), retrata a franca decadência de Bill “Stocker” Thompson (Robert Ryan), boxeador que mantém a confiança de seu retorno mas é desacreditado por todos. Punhos de Campeão é elogiado como uma obra-prima, e foi a maior fonte de inspiração de Martin Scorcese para rodar outro filme icónico: Touro Indomável (Raging Bull) (1980).

boxe, cinema, esporte Pôster do filme Punhos de campeão (The set-up, 1949).

Scorcese, por muito tempo, até durante as filmagens, não sabia se realmente queria fazer Touro Indomável . Ele não conhecia o funcionamento do esporte, nem o que o ringue significava. Isto o deixou com muitas incertezas quanto ao risco de filmá-lo. Quem estava convicto da sua importância era Robert De Niro, que procurou o diretor e não desistiu do projeto. O filme conta a história verídica de Jake La Motta (De Niro), pugilista de vida conturbada e repleta de altos e baixos. Um homem cuja brutalidade não se reservava apenas ao adversários profissionais, mas a todos que o cercavam. No processo, Scorcese acabou entendendo que o ringue está em toda a parte, depende do quanto se é lutador na vida, e que a luta mais dura é contra você mesmo.

boxe, cinema, esporte Robert De Niro e Martin Scorcese no set de Touro indomável (Raging bull, 1980).

Apesar do valor dos filmes citados, o grande mérito do sucesso do boxe no cinema atual se deve a Sylvester Stallone, o eterno Rocky Balboa. O ator dos filmes de ação partira para um drama da vida real, rendendo momentos antológicos. Rocky, o Lutador (1976) foi um grande sucesso de público e crítica, concorreu a 10 oscares e levou os de melhor Direção, Edição e Filme. Suas continuações, no entanto, não conseguiram alcançar a humanidade presente no primeiro, mas o personagem em si tornou-se uma lenda tanto dentro como fora das telas.

boxe, cinema, esporte Rocky Balboa (Sylvester Stallone), Adrian (Talia Shire) e a glória.

Durante um tempo o gênero passou adormecido, mas retornou com Ali (2001) e Menina de Ouro (Million Dollar Baby) (2004). O primeiro, de Michael Mann, conta a história de Muhammad Ali (Will Smith), o boxeador de personalidade forte e suas polêmicas midiáticas. O segundo, de Clint Eastwood, finalmente deu o papel de pugilista a uma mulher e rendeu o Oscar de melhor atriz para Hillary Swank, além do de Melhor Ator Coadjuvante para Morgan Freeman, e ainda os de Melhor Direção e Melhor Filme.

boxe, cinema, esporte Ali (2001): Will Smith interpreta o lutador do título (Cassius Clay / Cassius X / Muhammad Ali).

boxe, cinema, esporte br.: Menina de ouro, pt.: Million dollar baby - Sonhos vencidos (2004): Maggie Fitzgerald (Hilary Swank), Eddie Scrap-Iron Dupris (Morgan Freeman) e Frankie Dunn (Clint Eastwood).

Desde Touro Indomável, os diretores têm se preocupado em reconstituir as lutas em todos os seus detalhes, isto sem sacrificar os efeitos cinematográficos, descobrindo-se um casamento perfeito. O realce de toda a emoção, glória e desespero, impressionou os próprios lutadores interpretados. O público passou a fazer parte da luta, apanhando, caindo e levantando com o ator. Ao final, o mérito é a identificação com a personagem, com a realidade apresentada. Filmes assim mostram que as grandes histórias surgem das grandes pessoas.

boxe, cinema, esporte Jim Braddock (Rossel Crowe) no pôster do filme A luta pela esperança (Cinderella man, 2005).

boxe, cinema, esporte br.: O vencedor, pt.: The fighter - Último round (2010): Micky Ward (Mark Wahlberg) e seu meio-irmão Dicky Eklund (Christian Bale, Oscar de melhor ator coadjuvante).

mauricio de boni

volta e meia é encontrado em livrarias admirando títulos e capas, e, esporadicamente, na cozinha criando coragem ao assumir experiências cada vez mais complexas (o mesmo ocorre com a escrita).
Saiba como escrever na obvious.

deixe o seu comentário

Os comentários a este artigo são da exclusiva responsabilidade dos seus autores e não veiculam a opinião do obvious sobre as matérias em questão.

comments powered by Disqus
x2
 
Site Meter