Moais: os monólitos mais assombrosos da terra

No lugar habitado mais remoto do planeta, a Ilha da Páscoa, foram erguidos monólitos assombrosos: os moais. Construídas entre os anos de 1200 a 1500 pela civilização Rapanui, estas gigantescas estátuas de pedra homenageiam os líderes do povo polinésio e mantêm um fascinante mistério sobre como foram, na realidade, erguidas.



da, escultura, ilha, moai, páscoa, polinesia, pre-historia, rapanui, religiao © Ahu Tongariki, (Wikicommons, Ian Sewell).

Os moais de pedra da Ilha da Páscoa, no sudeste do Pacífico, foram construidos por antigos habitantes da ilha. Estes nativos, que contavam apenas com tecnologia da idade da pedra, esculpiram gigantescas figuras humanas com alturas entre três e dez metros e até 86 toneladas de peso, conhecidas sobretudo pelo tamanho das suas cabeças. Estas são, aliás, muitas vezes chamadas de "Cabeças de Pedra Gigantes da Ilha da Páscoa".

da, escultura, ilha, moai, páscoa, polinesia, pre-historia, rapanui, religiao © Mapa da Ilha da Páscoa, (Wikicommons, Eric Gaba).

Crê-se que estas estátuas representem os antigos líderes mortos e estejam posicionadas de frente para o interior da ilha como símbolo de protecção ao povo Rapanui. Ao todo, são mais de 800 e estão espalhadas pelos diversos Ahu, os pedestais sagrados. Praticamente metade está no maior, em Rano Raraku, cujas encostas possuiam a rocha vulcânica utilizada na sua construção.

Construção histórica

Além disso, os Rapanui serviam-se de ferramentas como os cinzéis de pedra para definir os rostos dos moais: todos eles apresentam uma expressão enigmática de narizes alongados, orelhas compridas e rectangulares, grossas sobrancelhas e lábios muito finos. Os braços foram esculpidos apoiados em várias posições junto ao corpo, com mãos e dedos esguios. Com a excepção de um que se encontra de joelhos, nenhum dos outros mostra(va) ter pernas. Quanto ao tamanho desporporcional da cabeça, explica-se pelo facto de os polinésios acreditarem que a cabeça era a sede da sabedoria.

da, escultura, ilha, moai, páscoa, polinesia, pre-historia, rapanui, religiao © Ahu Tongariki, (Wikicommons, Rivi).

Sem a tecnologia moderna, produzir e deslocar estas estátuas é considerado um feito hercúleo. A maior ficou incompleta – pois se tivesse sido concluída teria 21m e pesaria 270 toneladas. Uma outra, designada Paro, tem quase 10m e pesa 82 toneladas. No entanto, a mais pesada alguma vez erguida está no Ahu Tongariki – que, com 200m de comprimento, alberga 15 moais - e pesa 86 toneladas. Depois de terminadas, os Rapanui poliam-nas com pedra-pomes. Décadas mais tarde, foram ainda descobertos detalhes curiosos marcados nas suas costas. Nos moais que melhor resistiram à passagem de tempo, ou seja, aqueles que se encontavam menos erodidos (os construídos em basalto, por exemplo) era possível ver desenhos tatuados.

Uma vez que não se sabe ao certo como foram, na realidade, transportados, os investigadores inclinam-se para dois métodos possíveis. Em ambos os casos seria necessária muita força humana aliada a cordas, trenós ou rolos de madeira. A partir dos anos 80 (século XX) , começaram a ser feitas experiências para tentar provar estes processos, recriando então o cenário dessa época. Inicialmente, concluiu-se que o moai era amarrado de bruços a um trenó de madeira e movido com a ajuda de 1500 homens. De seguida, foi calculado que estando o trenó sobre (possíveis) rolos, só seriam precisos metade dos homens.

da, escultura, ilha, moai, páscoa, polinesia, pre-historia, rapanui, religiao © Rano Raraku, (Wikicommons, Aurbina). O segundo método envolveria ainda a utilização de uma estrutura que auxiliava no movimento do próprio moai: depois de amarrado numa posição vertical ao trenó, eram passadas cordas à volta da sua cabeça, depois presas a uma faixa plana no chão. Esta técnica permitia arrastá-lo e incliná-lo para a frente e para cima, possibilitando aos Rapanui uma deslocação mais estável ao longo de centenas de metros. Depois de testadas por vários grupos de investigadores na ilha, as evidências apontam para uma prática semelhante a estas hipóteses.

da, escultura, ilha, moai, páscoa, polinesia, pre-historia, rapanui, religiao © Ahu Tahai, (Wikicommons, Bjarte Sorensen).

Em 1868, as estátuas já não estavam na sua posição original. Segundo as lendas da ilha, os conflitos entre os clãs habitantes foram derrubando e até partindo quase todos os exemplares. Gradualmente, graças ao empenho do mundo em recuperar este valioso património, começaram a ser reerguidos nos pedestais. Em 1995, por exemplo, 15 moais voltaram a estar de pé no Ahu Tongariki. Outros tantos estão actualmente protegidos em importantes museus.

da, escultura, ilha, moai, páscoa, polinesia, pre-historia, rapanui, religiao © Moai ajoelhado (Wikicommons, Mila Zinkova).

Afinal têm corpo!

Esta descoberta aumentou ainda mais o fascínio, mas igualmente o mistério à volta dos monólitos. Um grupo de pesquisa privado tem escavado na ilha e feito investigações no subsolo onde se escondiam estes corpos. Só que desde aí novas questões impõem-se: será que sempre estiveram assim ou foi o passar do tempo responsável pelo seu enterro? Para já, a única teoria conhecida aponta para um enorme deslizamento de terra causado por um maremoto - que terá feito com que as estátuas ficassem com o corpo escondido. Mas há também quem afirme que esta teoria já é antiga. Quanto a certezas… a única que existe é que os moais da Ilha da Páscoa ainda têm muito para nos contar.

da, escultura, ilha, moai, páscoa, polinesia, pre-historia, rapanui, religiao © Aku Akivi, (Wikicommons, Ian Sewell).

da, escultura, ilha, moai, páscoa, polinesia, pre-historia, rapanui, religiao © Hoa Hakananai, (Wikicommons, Fallschirmjäger).

diana ribeiro

gosta de cores, comer algodão doce, ouvir as ondas do mar e cheirar livros novos. Não dispensa o uso de nenhum dos sentidos.
Saiba como escrever na obvious.

deixe o seu comentário

Os comentários a este artigo são da exclusiva responsabilidade dos seus autores e não veiculam a opinião do obvious sobre as matérias em questão.

comments powered by Disqus
v8/s
 
Site Meter