Todas as mulheres de Tarantino

As mulheres de Tarantino são vibrantes, fortes e estão armadas! Nada melhor que isso para curar um dia de TPM ou aliviar a vontade de exterminar os homens. A seguir, uma lista com algumas delas, para inspirar e promover a catarse!



tarantino_jackie_brown_ver8_xlg.jpg Detalhe do poster do filme Jackie Brown Antes é preciso deixar claro que a lista a seguir é baseada unicamente no gosto pessoal desta que vos escreve, queridos leitores! Então esperem grandes doses de parcialidade. Quentin Tarantino é antes de tudo um cinéfilo. Seus filmes são pop: fotografia extremamente colorida e saturada, trilha sonora excelente, atuações ótimas e aquele temperinho especial que fica por conta da metalinguagem, já que o diretor faz filmes sobre filmes. Seus personagens são singelamente complexos: pessoas que poderíamos encontrar ao entrar em um McDonald’s da vida, mas que por outro lado guardam uma capacidade de argumentação (vide Jules de Pulp Fiction) que o deixariam sem palavras e provavelmente sem fome.

À primeira vista, os filmes de Tarantino podem parecer “coisa de macho”, mas não é bem assim. A violência é uma constante e isso pode afastar algumas mulheres, contudo, é preciso dar uma segunda chance às suas películas. Se todas as boas características que já citei não forem suficientes para convencer a ala feminina, apelo ao “girl power” que há dentro de todas nós e garanto: Tarantino é feminista.

Suas “mocinhas” são fortes, sabem usar armas (todas! naturais ou não) e mesmo assim conservam aquela feminilidade que nos capacita a matar com os olhos. Ao iniciar este artigo me propus fazer uma lista com essas mulheres de Tarantino. O título soará falso - não posso falar de todas elas - mas garanto que a essência está toda aqui:

1. Pulp Fiction pulp_uma.jpg Imagem de Pulp Fiction. Quem é que consegue ouvir “You never can tell” de Chuck Berry e não querer decorar os passinhos encantadoramente desengonçados de Uma Thurman? Mia Wallace é uma personagem secundária da trama de Pulp Fiction, mas ela rouba a cena no encontro com Vincent Vega, o matador medroso interpretado por John Travolta. Mia pisa com o seu delicado pezinho (aliás, fetiche maior de Tarantino, podólatra assumido) sobre o coração inseguro de Vincent. A senhora Wallace é uma mulher multifacetada: toma milk shake e participa de concursos de danças e no momento seguinte precisa de uma injeção de adrenalina para sobreviver a uma overdose. Tudo isso, é claro, sem deixar de ser descaradamente sedutora.

2. Jackie Brown tarantino_jackie-brown-1997-01-g.jpg Imagem de Jackie Brown Se em Pulp Fiction o diretor homenageou as revistas populares que recebiam o mesmo nome (pulp), em Jackie Brown ele se volta aos filmes do movimento Blaxploitation, realizados nos anos 70 por atores e diretores negros. Para isso ele contou com uma das principais atrizes desse movimento: Pam Grier, que teve sua carreira revitalizada através do filme de Tarantino. Nele, ela interpreta a aeromoça Jackie Brown, que de forma ardilosa passa todos os homens do filme para trás: o aliado apaixonado, os policiais e até o mafioso para quem trabalhava.

3. Kill Bill, volume 1 e 2 tarantino_killbill.jpg Imagem de Kill Bill Aqui temos a representante maior de todas as outras personagens femininas de Tarantino: Beatrix Kiddo ou A Noiva. Em Kill Bill, o diretor inaugura uma temática que vai permear vários dos seus outros filmes, a vingança. Uma mulher normal quando traída é um perigo, mas se a mulher em questão tem treinamento de samurai a coisa piora consideravelmente. Sem falar em instinto materno e no fato de que a disputa maior era com mulheres igualmente lindas e perigosas, coisa que, podemos confessar, as mulheres adoram!

4. Grindhouse: Death Proof tarantino_deathproof.jpg Imagem de Death Proof Este é, em minha opinião, o filme mais “mulherzinha” de Quentin Tarantino. Death Proof integra o projeto Grindhouse junto com Planet Terror, de Robert Rodriguez. A proposta foi fazer uma homenagem aos filmes de terror dos anos 1970, por isso as histórias são bastante trash. Neste filme temos duas narrativas, ambas estão interligadas através do personagem de Kurt Russell, Stuntman Mike. Na primeira história as amigas Julia, Shanna e Arlene são mulheres bonitas e independentes que saem para se divertir - até que cruzam o caminho do serial killer Mike. O resultado é uma cena muito trash de um acidente automobilístico entre o carro delas e o carro “à prova de morte” do dublê. Um corte temporal nos leva até as mulheres que vão colocar Mike no seu devido lugar: Abernathy, Kim, Lee e Zoe Bell (que se interpreta a si mesma). Zoe decide emprestar um carro para relembrar os tempos de dublê ao lado da amiga Kim, mas enquanto estava amarrada ao carro, o também dublê Mike aparece e quase causa a morte delas. O que ele não esperava era que elas fossem revidar - e revanchismo é o segundo nome das mulheres de Tarantino.

Há ainda outras mulheres que não coloquei na lista, todas interessantes e nervosas. Se a TPM bater, eu aconselho: nada de comédia romântica! Tarantino cura todos os sintomas!

jéssica parizotto

é uma proparoxítona, interessa-se por haicais, músicas pouco conhecidas e jogo de palavras. Queria voar de balão, mas tem medo de altura.
Saiba como escrever na obvious.

deixe o seu comentário

Os comentários a este artigo são da exclusiva responsabilidade dos seus autores e não veiculam a opinião do obvious sobre as matérias em questão.

comments powered by Disqus
x10
 
Site Meter