Os franceses que queriam voar

Prepare-se para entrar em uma viagem vertiginosa e para ignorar os limites. A motivação da dupla francesa Tancrède Melet e Julien Millot é um sonho antigo do homem: voar. Sob o olhar muito próximo do diretor Sébastien Montaz-Rosset, "I Believe I Can Fly: Flight of the Frenchies" (2011) traduz a busca da dupla em superar limites e se arriscar por sua paixão.



documentário, escalada, Melet, Millot, Montaz-Rosset, Sébastien, slackline, voar © Sébastien Montaz-Rosset - A verificar a existência de linhas a partir da base.

Sébastien Montaz-Rosset é atualmente um dos melhores diretores de filmes vertiginosos. Parte de seu sucesso se deve ao contato que ele próprio tem com os esportes que filma, além da amizade com os praticantes que protagonizam seus trabalhos. Em I Believe I Can Fly: Flight of the Frenchies (2011), Montaz acompanha Tancrède Melet e Julien Millot, amigos inseparáveis e pioneiros no high-lining, uma combinação de escalada, slackline e salto de para-quedas. O resultado é uma jornada fora do comum que tem ganhado os maiores prêmios por festivais mundo afora.

A habilidade de Montaz em contar histórias de esportes de altura vem da sua prática de escaladas e slackline. A partir daí ele conheceu todo um novo mundo de grandes alturas e amizades. Bem reconhecido nos festivais de documentário de aventura, Montaz nunca para de realizar projetos cada vez maiores e mais interessantes. Neste projeto, seu ritmo de filmar acompanha, com uma proximidade alucinante, desde a preparação até o salto.

documentário, escalada, Melet, Millot, Montaz-Rosset, Sébastien, slackline, voar © Sébastien Montaz-Rosset - Aquecimento com a dança da capoeira.

A ideia de Montaz ao fazer I Believe I Can Fly foi, primeiramente, para acompanhar Tancrède e Julien em sua preparação para o base lining (salto a partir da linha), uma ideia de Tancrède em que Julian aceitou se envolver. O projeto da dupla nasceu antes do filme, e as cenas captadas não eram especificamente para tal. As coisas iam acontecendo ao acaso.

Montaz se encantou com a paixão dos dois pela exploração dos lugares onde queriam saltar, desde arranha-céus em Paris até as falésias e fiordes da Noruega. Ele se queixa de que o resultado final continua com várias falhas e erros de edição. Apesar do seu perfeccionismo, I Believe I can Fly é um espetáculo da natureza e do espírito humano.

documentário, escalada, Melet, Millot, Montaz-Rosset, Sébastien, slackline, voar © Sébastien Montaz-Rosset - Base Jumping em estílo capoeira.

documentário, escalada, Melet, Millot, Montaz-Rosset, Sébastien, slackline, voar © Sébastien Montaz-Rosset - Salto de Baseline e Freestyle.

documentário, escalada, Melet, Millot, Montaz-Rosset, Sébastien, slackline, voar © Sébastien Montaz-Rosset - A arranjar apoio dos locais.

documentário, escalada, Melet, Millot, Montaz-Rosset, Sébastien, slackline, voar © Sébastien Montaz-Rosset - Highline Free Solo.

documentário, escalada, Melet, Millot, Montaz-Rosset, Sébastien, slackline, voar © Sébastien Montaz-Rosset - Highline acima das nuvens.

documentário, escalada, Melet, Millot, Montaz-Rosset, Sébastien, slackline, voar © Sébastien Montaz-Rosset - Tempo tipicamente noruegues.

mauricio de boni

volta e meia é encontrado em livrarias admirando títulos e capas, e, esporadicamente, na cozinha criando coragem ao assumir experiências cada vez mais complexas (o mesmo ocorre com a escrita).
Saiba como escrever na obvious.

deixe o seu comentário

Os comentários a este artigo são da exclusiva responsabilidade dos seus autores e não veiculam a opinião do obvious sobre as matérias em questão.

comments powered by Disqus
v1/s
 
Site Meter