Um mistério chamado Lana Del Rey

Era uma vez uma artista muito talentosa, muito bonita e muito tímida. De repente, ela resolveu se transformar em outra, atendendo pelo nome de Lana Del Rey. O sucesso chegou e ela continuou muito talentosa, muito bonita, muito misteriosa e muito triste. Conheça este enigma chamado Lana Del Rey.



del, indie, lana, rey, rock © Lana Del Rey, (Pedro A. Pina para a Antena 3 - Flickr, CC).

Lana Del Rey nasceu Elizabeth Woolridge Grant, em Nova York, a 21 de junho de 1986. A garota teve uma adolescência conturbada e um começo de carreira bastante difícil. Ela ingressou na música de forma descompromissada. Depois que a descobriu, passou a cantar em diversos clubes da cidade, usando pseudônimos. Aos 18 anos, já cantava em boates do Brooklyn, tornando-se famosa na cena underground nova-iorquina. Apesar de algum reconhecimento adquirido, ela não encarava a música de forma profissional. Segundo a própria, "Quando eu cheguei em Nova York, quando eu tinha 18 anos, eu comecei a cantar em clubes no Brooklyn - eu tenho bons amigos e fãs devotados na cena underground, mas nós estávamos tocando uns para os outros naquele momento - e foi isso."

Depois de anos de tentativas frustradas, seu primeiro EP foi finalmente lançado em outubro de 2008, pelo selo independente do produtor David Kahne, o primeiro a levar a sério o trabalho dela. No EP intitulado Kill Kill, que trazia três canções, já é possível identificar os elementos que marcam seu trabalho atualmente - referências do jazz, blues e eletrônica, com vocais que lembram Marilyn Monroe.

Seu primeiro álbum foi lançado em 2010, também pela 5 Points Records de David Kahne, incluindo treze faixas - a maioria compostas apenas por ela; outras, em parceria com Kahne. O álbum, chamado Lana Del Ray a.k.a. Lizzy Grant, não chegou a ter grande repercussão, apesar de ter sido lançado digitalmente na loja iTunes - principalmente, por ter sido tirado repentinamente de catálogo, segundo ela, porque a gravadora era incapaz de financiá-lo. Vários "mistérios" cercam o rompimento de Grant e Kahne. Segundo boatos, ela teria começado a trabalhar com um novo empresário e a partir daí resolveu redirecionar seu estilo. Grant também comprou os direitos do álbum e mandou tirá-lo de circulação.

del, indie, lana, rey, rock Capa do álbum "Lana Del Rey Aka Lizzy Grant".

Após a nebulosa separação de Kahne, Grant deu início à verdadeira reviravolta de sua carreira. Ela empreendeu uma grande mudança de visual, como pode observar-se no clipe da canção "Video Games", seu primeiro grande hit, lançado no fim de 2011 pela Stranger Records. Grant aparece com cabelos longos e castanhos, bem diferente da capa do primeiro disco, em que ela está de cabelos curtos e descoloridos, com atitude rock. Alguns também apontam que ela teria feito até preenchimento de botox nos lábios. Foi a partir daí que ela definitivamente adotou o nome "Lana Del Rey" - combinação dos nomes da atriz Lana Turner (diva de Hollywood nas décadas de 40 e 50) e do carro Del Rey (modelo clássico dos anos 80 da automobilística Ford).

del, indie, lana, rey, rock © Lana Del Rey, (Pedro A. Pina para a Antena 3 - Flickr, CC).

Ao lançar "Video Games", já devidamente rebatizada como Lana Del Rey, a cantora atingiu seu primeiro êxito. O videoclipe atingiu rapidamente um enorme sucesso na web, contando hoje mais de 3 milhões de visualizações. O vídeo, todo produzido e editado por ela mesma, contou com enxertos de filmagens de cinema clássico, e da vida cotidiana norte-americana. Além, de aparições da própria Lana, gravadas pela própria, com auxílio de uma webcam. Nostálgico e romântico até dizer chega, assim como a música, o videoclipe de "Video Games" tornou Lana Del Rey conhecida no mundo inteiro.

O sucesso retumbante do single "Video Games" rendeu a Lana uma série de apresentações na tevê e concertos - a maioria, com lotação esgotada em poucas horas. Em seguida, ela assinou contrato com a Interscope Records e Polydor para trabalhar no seu segundo disco, - Born To Die, lançado no dia 31 de janeiro de 2012. O álbum foi, no geral, um grande sucesso comercial. Consagrado como um dos discos campeões de venda de 2012, Born to Die emplacou cinco singles, incluindo "Video Games". E liderou as paradas de sucesso em mais de 10 países, tendo cerca de 3 milhões de cópias vendidas ao redor do mundo, até agora.

del, indie, lana, rey, rock Capa do álbum "Born To Die".

del, indie, lana, rey, rock © Lana Del Rey, (Pedro A. Pina para a Antena 3 - Flickr, CC).

del, indie, lana, rey, rock © Lana Del Rey, (Pedro A. Pina para a Antena 3 - Flickr, CC).

Em pouco tempo, Lana conquistou uma legião de fãs e admiradores. Tornou-se assídua das capas de publicações de enorme prestígio, como - GQ Vogue, Vanity Fair, Rolling Stone, Interview, entre várias outras. Ainda em janeiro, a cantora assinou contrato com a NEXT Model Management - uma das três maiores agências de modelos do mundo. Executivos da Jaguar também anunciaram que ela endossaria a campanha do novo modelo Jaguar F-Type, no Salão de Motores de Paris, onde apareceu posando em setembro de 2012. Lana Del Rey também estampou a coleção de outono 2012 da grife H&M, - uma das maiores redes de fast-fashion mundial.

del, indie, lana, rey, rock Capa de Revista Vogue, Reino Unido, Março, 2012.

del, indie, lana, rey, rock Capa de Revista Rolling Stone, Maio, 2012.

del, indie, lana, rey, rock Capa de Revista Interview, Rússia, Fevereiro, 2012.

Visual e musicalmente, Del Rey parece um caleidoscópio de referências. Seu visual é nitidamente inspirado nas divas do passado - de Brigitte Bardot a Priscila Presley - com elementos de Audrey Hepburn e Lolita. Mas isso não a faz ser nem um pouco datada. A cantora tem atitude, sensualidade, e foi buscar até referências dos rappers para compor seu visual. Musicalmente, Lana também é completamente bizantina. Sua música é identificada com a Indie Pop, mas, apresenta elementos distintos de outros gêneros, como, o Hip Hop, o Jazz, e o Blues. Portanto, seu sincretismo musical faz dela a cantora alternativa de maior sucesso da atualidade. Sua voz aveludada e quente pode lembrar as antigas intérpretes de Jazz, mas sua maneira de cantar - quase melodramática - a faz se aproximar mais de Nancy Sinatra ou Marilyn Monroe.

Contudo, se as referências musicais de Lana são o mais distintas possível, a compositora passeia por lugares-comuns. Suas letras falam de amores fracassados, perdidos no passado. Mas ela não é excessivamente romântica, nem piegas. Lana destila sofisticação. Algumas de suas canções passeiam bem próximas a temas como o suicídio e a prostituição. Sendo assim, Del Rey é uma letrista de mão cheia, e suas letras requintadas não são um empecilho à sua popularidade, já que a garota também abusa de melodias de fácil apego e memorização. Sua imagem nostálgica parece exótica e deslocada do mundo atual, como se ela não pertencesse a esta época. Similar a Lana, talvez, só a inglesa Amy Winehouse, que infelizmente já não está entre nós. Mas Del Rey sabe como manter sua aparência enigmática, triste, teatral e absurdamente bela.

Porém, se a garota já mostrou que tem estilo de sobra, ainda falta superar alguns incômodos para definitivamente se consolidar no cenário. Del Rey tem graves deficiências quando se apresenta ao vivo. Em uma de suas primeiras aparições de destaque na tevê, no Saturday Night Live da emissora NBC, a cantora foi muito mal e recebeu uma saraivada de críticas por todos os lados. Os mais intransigentes chegaram até a afirmar que Lana Del Rey era uma farsa, tamanho foi ruim seu desempenho. Ela mesma já disse que sua timidez é sua maior inimiga. Esse é um problema sério, que ela terá de resolver se quiser se firmar na indústria. Os críticos e o público são unânimes em afirmar que ela tem pouca presença de palco, e tem dificuldade em lidar com a plateia. O que é um grave problema numa época em que os artistas sobrevivem substancialmente de suas apresentações ao vivo.

Eleita Mulher do Ano pela Revista GQ, ela é sem dúvida uma das grandes promessas no atual panorama musical. E já se firmou como um grande sucesso. Resta saber se Del Rey conseguirá se manter no topo e navegar com segurança por esta verdadeira tempestade que é a fase que ela está vivendo - a da "explosão" do artista. No seu último lançamento, o EP Paradise, - com oito novas canções - Del Rey já mostrou que manteve a qualidade técnica, artística e vocal, emplacando mais um grande sucesso, incluindo dois singles: "Ride" e Cola". Agora, é esperar para saber se nos próximos trabalhos esta cantora tão bela e tão misteriosa continuará tão triste e tão talentosa.

del, indie, lana, rey, rock Capa do álbum "Born To Die - The Paradise Edition".

del, indie, lana, rey, rock © Lana Del Rey, (Pedro A. Pina para a Antena 3 - Flickr, CC).

vitor dirami

é a inquietação por excelência, está sempre em busca do "algo a mais", e espera estar levando um pouco mais de magia aos seus leitores.
Saiba como escrever na obvious.

deixe o seu comentário

Os comentários a este artigo são da exclusiva responsabilidade dos seus autores e não veiculam a opinião do obvious sobre as matérias em questão.

comments powered by Disqus
x38
 
Site Meter