Orquestra Rumpilezz: entre o jazz e os ritmos afrobrasileiros

Na Orkestra Rumpilezz, de formação jazzística, são muito perceptíveis as raízes africanas. Os elementos percussivos fortes traçam uma dinâmica plausível entre o jazz e os ritmos afrobrasileiros.



01_Orquestra_Rumpilezz_Foto_por_FERNANDO_EDUARDO_CREWACTIVE_01.jpg © Orquestra Rumpilezz (foto: Fernando Eduardo - Crewactive).

A Orkestra Rumpilezz foi criada em 2006 pelo instrumentista, arranjador e compositor Letieres Leit. Reune um grupo com quatro músicos de percussão (surdos, timbaus, caixa, agogô, pandeiro e caxixi), 14 músicos de sopro (4 trompetes, 4 trombones, 4 flautas, 2 saxes alto, 2 saxes tenor, 2 sax soprano, 1 sax barítono e 1 tuba) e um alabê (atabaques).

02_Orquestra_Rumpilezz_Foto_por_FERNANDO_EDUARDO_CREWACTIVE_02.jpg © Orquestra Rumpilezz (foto: Fernando Eduardo - Crewactive).

O trabalho da Rumpilezz põe em confronto uma percussão marcante, que defende um ritmo e uma presença muito própria, e um harmonioso trabalho de naipes de sopro que dialogam coerentemente. Uma “conversa” sem excessos, onde muitas big bands exageram em virtuosidades e solos que destoam da formação. Na Rumpilezz podemos observar essa dinâmica plausível entre o jazz e os ritmos afrobrasileiros.

Existe uma aura mística e sacra ao som da Rumpilezz: são muito perceptíveis as raízes africanas em temas que traduzem alguns ritmos do Candomblé. A disposição dos músicos no palco também lembra um altar religioso, com a figura do maestro Letieres Leite ao centro e, no fundo e ao seu redor, os instrumentistas vestidos de branco (quase como encarnações próprias de orixás), reforçando com figuras sonoras um momento sagrado de realização e comunhão musical. O que expõe as referências de agremiações percussivas como o Ilê Aiyê e Olodum, e também dos Sambas do Recôncavo e do culto sagrado afrobaiano do Candomblé. No próprio nome, a orquestra reverencia o Candomblé unindo os seus três atabaques principais: "rum", "rumpi" e "lé", mais os "zz" de jazz = Rumpilezz.

O álbum de estreia, Letieres Leite & Orkestra Rumpilezz (2009), tem a participação de Ed Motta na faixa “Balendoah”, de sua autoria. Alguns críticos apresentam a Rumpilezz em comparação à obra do maestro Moacir Santos e suas modernas orquestrações, que o fizeram transcender a atmosfera rítmica brasileira nos anos 60. Moacir Santos foi um dos responsáveis pelas primeiras experimentações, no formato big band, dos ritmos afrobrasileiros e alcançou seu ponto alto com o disco Coisas (1965).

Os complexos arranjos da Rumpilezz demonstram a contemporaneidade da orquestra do maestro Letieres Leite, que trilhou caminhos diversos dentro de sua sonoridade, e que já colaborou com Nana Vasconcelos, Gilberto Gil, Elba Ramalho, Lulu Santos, Timbalada, Daniela Mercury, Elza Soares, Hermeto Pascoal, Stanley Jordan, Carlinhos Brown, Toninho Horta, Arthur Maia, Marcio Montarroios e Ivete Sangalo. Aliás, a diversidade e facilidade em que Letieres transita pelo pop e pelo jazz foi destacada pela revista Bravo! em 2011. Letieres Leite & Orkestra Rumpilezz atualmente estão em processo de finalização de arranjos e composições que farão parte do novo disco, previsto para 2014.

guilherme cruz

nasceu numa fronteira física e se mantém numa fronteira ambulante de ambiguidades, acasos e dúvidas. Insiste em ter os olhos transcendendo Nhu-Porã e em escrever sobre assuntos incertos.
Saiba como escrever na obvious.

deixe o seu comentário

Os comentários a este artigo são da exclusiva responsabilidade dos seus autores e não veiculam a opinião do obvious sobre as matérias em questão.

comments powered by Disqus
v6/s
 
Site Meter