OBVIOUS dá 40% desconto na Amazon

George Orwell - 1984

Fotografia de Francis Giacobetti: poesia e sensualidade

Para o fotógrafo francês Francis Giacobetti, o fator humano está sempre no centro de seu trabalho - desde seus retratos inventivos e profundos até seus nus sensuais e poéticos, passando pelos editoriais de moda e design. Por sua câmara passaram as mais belas mulheres, os artistas mais geniais e os intelectuais. Sua produção eclética é possuidora de uma linguagem única.



01_Motions_4_01.jpg © Francis Giacobetti, "Motion 4".

Apesar de o advento da fotografia pertencer ao século XIX, esta renasceu para ocupar seu posto atual em meados da década de 1960. A linguagem que revolucionou as formas de representação da arte e também realizou uma ruptura nos modos de fruição pelas pessoas possuía um papel secundário na história. Em diversos momentos a produção fotográfica foi entendida como uma questão mais ligada à publicidade e ao documental do que às artes.

02_Egg_water_life_02.jpg © Francis Giacobetti, "Egg, Water. Life".

03_National_treasures_of_Japan_03.jpg © Francis Giacobetti, "National Treasures of Japan".

04_National_treasures_of_Japan_04.jpg © Francis Giacobetti, "National Treasures of Japan".

05_National_treasures_of_Japan_05.jpg © Francis Giacobetti, "National Treasures of Japan".

No entanto, nem todos os fotógrafos se conformavam com essa situação e passaram a realizar trabalhos experimentais e inovadores, em que a fotografia descobria um discurso próprio e entrava no mundo dos museus com uma poética particular.

Assim a fotografia vai galgando seu espaço no mundo das artes. A transformação no entendimento da linguagem fotográfica – de produto a arte -, não incluiu apenas a produção de fotógrafos já renomados como Alexander Rodchenko e Alfred Stieglitz, mas também a fotografia de moda e publicidade.

06_motions_5_06.jpg © Francis Giacobetti, "Motion 5".

07_Motions_2_07.jpg © Francis Giacobetti, "Motion 2".

A partir desse momento, em cada produção fotográfica poderia existir um artista em potencial e uma obra de arte. Nesse cenário encaixa-se a produção de Francis Giacobetti. Sua produção transita totalmente entre a publicidade, a moda e a arte. Mesclando-se. De fotógrafo publicitário, seu trabalho alçou ao mundo das artes, museus e galerias. O fotógrafo ganhou um novo mercado ao qual não pertencia e do qual não participava.

08_India_song_1_08.jpg © Francis Giacobetti, "India Song".

09_Waves_Draps_09.jpg © Francis Giacobetti, "Waves/Drapes".

10_Waves_Draps_10.jpg © Francis Giacobetti, "Waves/Drapes".

11_Dreamlight_11.jpg © Francis Giacobetti, "Dreamlight".

12_Pleats_Please_12.jpg © Francis Giacobetti, Ensaio "Pleats-Please" para Issey Miyake em 1993.

Francis Giacobetti (Marselha, 1939) começou sua carreira de fotógrafo ainda jovem, em 1957. Ficou mundialmente famoso por suas fotografias de moda e design, e ainda por seus nus. Trabalhou entre as décadas de 1960 e 1980 como fotógrafo e repórter da revista masculina francesa "Lui". Em seu currículo ainda estão passagens pelas revistas "Paris Match", "Life" e "Look". Atuou como diretor de arte da empresa de cosméticos "Shiseido" e desenvolveu projetos de câmaras de fotografia e vídeo para a empresa Canon.

Por essa trajetória, em 1970, Giacobetti foi convidado pelo "Calendário Pirelli" para oferecer seu olhar e interpretação sobre as mulheres. No ensaio "Beleza Natural", o fotógrafo clicou a modelo Paula Martine nas praias das Bahamas. Em toda sua história, apenas Francis Giacobetti – e mais dois fotógrafos – imortalizaram suas fotografias por dois anos consecutivos no calendário.

13_Shy_dancer_1970_Pirelli_Calendar_13.jpg © Francis Giacobetti, "Shy Dancer", Calendário Pirelli, 1970.

14_Bimini_Bahamas_1970_Pirelli_Calendar_14.jpg © Francis Giacobetti, "Bimini, Bahamas", Calendário Pirelli, 1970.

15_Calendario_Pirelli_-1970_15.jpg © Francis Giacobetti, Calendário Pirelli, 1970.

16_Moonset_Pirelli_Calendar_16.jpg © Francis Giacobetti, "Moonset", Calendário Pirelli, 1970.

Na década de 1990, em meio às várias rememorações da morte de Che Guevara, o fotógrafo realizou um de seus trabalhos mais sensíveis, "Che Compañeros", uma série de retrato de companheiros do revolucionário cubano. Era a recuperação de vinte e um indivíduos que conviveram com Che e traziam a memória desse período. Além dos retratos, Giacobetti fez diversas fotografias das paisagens cubanas.

17_Fidel_Castro_Ruz_Che_Companeros_17.jpg © Francis Giacobetti, "Fidel Castro Ruz - Che Compañeros.

18_Manuel_Pinero_Losada_Barbaroja_Che_Companeros_18.jpg © Francis Giacobetti, Manuel Pinero Losada (Barbaroja) - Che Compañeros.

19_Havana_Cuba_19.jpg © Francis Giacobetti, "Havana - Cuba".

Sensual, controverso, o fotógrafo soube ser crítico e inovador em seu projeto mais impactante e ambicioso. Para o "Projeto Hymn," Giacobetti recorre a seu olhar mais inquieto e através de uma serie de 300 trípticos realiza um inventário da genialidade humana contemporânea. Um tributo em que o fotógrafo registrou a íris, o rosto e as mãos de personalidades como Stephen Hawking, Jacques Costeau, Oscar Niemeyer, Akira Kurosawa, Federico Fellini, Luciano Pavarotti, Gabriel García Márquez, Sebastião Salgado, Roy Lichtenstein, Aung San Suu Kyi, Nelson Mandela e Mikhail Gorbatchov.

20_Hymn_Project_Aung_San_Suu_Kyi_20.jpg © Francis Giacobetti, "Hymn Project" - Aung San Suu-Kyi.

21_Hymn_Project_Claude_Levi_Strauss_21.jpg © Francis Giacobetti, "Hymn Project" - Claude Lévi-Strauss.

22_Hymn_Project_Gerard_Depardieu_22.jpg © Francis Giacobetti, "Hymn Project" - Gérard Depardieu.

23_Hymn_Project_Mikhail_Baryshnikov_23.jpg © Francis Giacobetti, "Hymn Project" - Mikhail Baryshnikov.

24_Hymn_Project_Ray_Charles_24.jpg © Francis Giacobetti, "Hymn Project" - Ray Charles.

O uso radical da sombra e da luz, criando ora trabalhos geométricos, ora dramáticos retratos, as ricas cores que emprega em cada obra, conferem expressividade a cada fotografia, no melhor estilo da tradição fotográfica francesa. Giacobetti dá a supermodelos, ícones do proletariado e da cultura a mesma atenção, interesse, curiosidade e arrojo que transformaram seus trabalhos e lhe renderam o título de um dos 40 fotógrafos mais importantes do século XX.

25_Optic_Stripes_25.jpg © Francis Giacobetti, "Optic Stripes".

26_Optic_Stripes_26.jpg © Francis Giacobetti, "Optic Stripes".

27_Optic_Stripes_27.jpg © Francis Giacobetti, "Optic Stripes".

28_Optic_Stripes_28.jpg © Francis Giacobetti, "Optic Stripes".

29_Optic_Stripes_29.jpg © Francis Giacobetti, "Optic Stripes".

30_Optic_Stripes_30.jpg © Francis Giacobetti, "Optic Stripes".

31_Optic_Stripes_31.jpg © Francis Giacobetti, "Optic Stripes".

32_Optic_Stripes_32.jpg © Francis Giacobetti, "Optic Stripes".

33_Optic_Stripes_33.jpg © Francis Giacobetti, "Optic Stripes".

Se a produção de Giacobetti no passado vivia em uma crise de identidade para a crítica e o público - arte ou publicidade? - o tempo e as instituições vieram reconhecer e consolidar seu trabalho. Suas fotografias já passaram por museus como o Stedelijk Museum Amsterdam, o Grand Palais e o Museu Nacional Centro de Arte Reina Sofia de Madrid. E em 1993 suas obras foram escolhidas – juntamente com outros dois artistas – para um projeto que pretendia introduzir a arte contemporânea no Museu do Louvre.

34_Cesar_in_the_Louvre_Museum_34.jpg © Francis Giacobetti, "Cesar in the Louvre Museum".

35_Last_supper_with_chefs_1979_35.jpg © Francis Giacobetti, "Last Supper with Chefs", 1979.

Conheça aqui mais trabalhos de Francis Giacobetti.

carolina carmini

gosta de pensar que se não tivesse nascido, alguém a teria inventado.
Saiba como escrever na obvious.

deixe o seu comentário

Os comentários a este artigo são da exclusiva responsabilidade dos seus autores e não veiculam a opinião do obvious sobre as matérias em questão.

comments powered by Disqus
x7
 
Site Meter