Honoré Daumier: um homem rindo do seu tempo

Pintor e escultor, Honoré Daumier ficou sobretudo conhecido por suas caricaturas. Nasceu na França em 1808 e começou a estudar arte aos 16 anos. Ajudava os pais trabalhando como entregador e nas horas vagas criava seus esboços.


01_Honore_Daumier.jpg © Honoré Daumier (Wikicommons).

Aos 19 anos decidiu se dedicar somente à carreira artística. Começou trabalhando como litografista no jornal "La Caricature". Com o crescimento do papel da mídia, após a Revolução de 1830 na França, a sátira política se popularizou e Daumier aproveitou essa fase. Passou a trabalhar em algumas editoras e utilizou suas capacidades nas sátiras publicadas na época.

02_Portrait_of_Honore_Daumier.jpg © retrato de Honoré Daumier (Wikicommons).

Considerado um cartunista político mordaz, Daumier publicou uma caricatura do rei Luís Felipe I chamada "Gargântua", em 1832, onde ele é retratado como um monstro devorando os seus súditos e sacos de ouro. A obra levou Daumier a ficar preso por seis meses. Mas isso não o impediu de continuar trabalhando. Logo que saiu da prisão publicou novamente e, ao contrário do que esperavam, conquistou a simpatia da população e teve seu sucesso artístico elevado.

21_Gargantua.jpg © Honoré Daumier, "Gargântua", (Wikicommons).

Em 1834, com a aprovação da lei que proibia as sátiras, Daumier deslocou seus interesses para a pintura, com um estilo totalmente diferente de seus trabalhos gráficos. O artista ainda produzia suas obras litográficas, mas de forma discreta. Apesar de popular, não ganhava muito dinheiro e morava de aluguel com a esposa e filho. A criança viveu apenas até aos dois anos de idade. Para as despesas cotidianas, o artista contava com a ajuda de amigos. Um deles foi Camille Corot, que lhe ofereceu uma casa onde pôde passar seus últimos anos de vida de forma serena e tranquila.

03_A_Famous_Motive.jpg © Honoré Daumier "Um Motivo Famoso", (Wikicommons).

04_El_Defensor.jpg © Honoré Daumier, "O Defensor", (Wikicommons).

05_Grand_Staircase_of_the_Palace_of_Justice.jpg © Honoré Daumier, "Grande Escadaria do Palácio da Justiça", (Wikicommons).

A filosofia naturalista acredita na futilidade da luta do homem contra a natureza e algumas das pinturas de Daumier sugerem isso. O artista costumava diversificar suas obras recorrendo a diferentes tendências e novas abordagens estéticas. De 1848 até 1871 ele foi um pintor impressionista. Uma de suas obras, Le wagon de troisième classe (A carruagem de terceira classe) mostra sua compaixão e sensibilidade por um grupo de pessoas pobres viajando de trem. Usou temas do cotidiano para provocar a discussão sobre as questões sociais mais amplas e também explorava temas literários, como o popular Dom Quixote. Suas esculturas são conhecidas por serem extremamente realistas e seu estilo é tão particular que quase não se detecta a influência de outros artistas. No entanto, foi marcado por Nicolas Toussaint Charlet (1792-1845), Gustave Courbet (1819-1877) e Peter Paul Rubens (1577-1640). Pintor do movimento realista, exaltava a visão materialista e positivista do mundo. Acreditava que somente a ciência poderia gerar explicações para o mundo e que algo como a transcendência ou o estado espiritual não poderiam ser admitidos.

10_Vagan_de_tercera.jpg © Honoré Daumier, "O Vagão da Terceira Classe", (Wikicommons).

Apesar de ser um popular caricaturista, Daumier foi um dos poucos artistas românticos que passou a vida praticamente desconhecido como pintor. Era encorajado apenas por amigos e teve sua primeira exposição individual organizada por eles um ano antes de sua morte. Em fevereiro de 1879 uma paralisia cerebral levou-o para sempre. Desenhista prolífico, deixou mais de 4.000 obras gráficas, 300 pinturas, 800 desenhos, 1000 xilogravuras e esculturas. Um dos mestres da litografia e do naturalismo.

06_The_Print_Collector.jpg © Honoré Daumier, "O Coleccionador de Gravuras", (Wikicommons).

07_The_Spectators.jpg © Honoré Daumier, "Os Espectadores" (Wikicommons).

08_Women_Running_from_Satyrs.jpg © Honoré Daumier, "Mulher fugindo da Sátira", (Wikicommons).

09_Crispin_y_Scapin.jpg © Honoré Daumier, "Crispin e Scapin", (Wikicommons).

11_Artist_in_front_of_His_Canvas.jpg © Honoré Daumier, "Artista de frente para o quadro", (Wikicommons).

12_Theater_Box.jpg © Honoré Daumier, "Camarote de Teatro", (Wikicommons).

13_The_Republic.jpg © Honoré Daumier, "A República", (Wikicommons).

14_The_Miller_His_Son_and_the_Donkey.jpg © Honoré Daumier, "O Moleiro, o seu Filho e o Burro", (Wikicommons).

15_Burden.jpg © Honoré Daumier, "Fardo", (Wikicommons).

16_escultura.jpg © Honoré Daumier, Escultura, (Wikicommons).

17_escultura.jpg © Honoré Daumier, Escultura, (Wikicommons).

18_escultura.jpg © Honoré Daumier, Escultura, (Wikicommons).

19_escultura.jpg © Honoré Daumier, Escultura, (Wikicommons).

20_escultura.jpg © Honoré Daumier, Escultura, (Wikicommons).


Margarete MS

Eu tenho um coração um século atrasado.
Saiba como escrever na obvious.

deixe o seu comentário

Os comentários a este artigo são da exclusiva responsabilidade dos seus autores e não veiculam a opinião do autor do artigo sobre as matérias em questão.

comments powered by Disqus
version 4/s/artes e ideias// @obvious, @obvioushp, @obvious_escolha_editor //Margarete MS