Bert Stern, o fotógrafo do desejo

Parte da primeira linhagem dos "fotógrafos-celebridade", o norte-americano Bert Stern não foi apenas o último fotógrafo de Marilyn Monroe, mas foi também o fotógrafo do desejo, do sex-appeal, do prazer, da beleza. Conheça agora um pouco mais da obra deste artista que faleceu em 2013.


01_bert_stern.jpg © Bert Stern, "Bloom" Jean Shrimpton.

Filho de imigrantes judeus, nascido no bairro do Brooklyn, em Nova York, a 3 de outubro de 1929, Bertram Stern teve seu primeiro emprego no correio da revista Look, onde fez amizade com um fotógrafo do quadro de funcionários, o jovem Stanley Kubrick. Quando se tornou diretor de arte na Mayfair, Stern aprendeu a manipular filmes, pranchas fotográficas e a tirar suas primeiras fotografias. Seu primeiro trabalho profissional como fotógrafo foi para uma agência de publicidade nova-iorquina, numa propaganda para a vodka Smirnoff, em 1955 - um sucesso absoluto, que fez com que a Smirnoff vendesse mais vodka do que jamais imaginou.

Da campanha da Smirnoff até Hollywood e ao mundo da moda foi um pulo. Aos 25 anos, Stern criou o conceito do "fotógrafo-celebridade", ao lado de azes da fotografia da segunda metade do século XX como, por exemplo, Irving Penn e Richard Avedon.

Bert tinha qualidades invejáveis num fotógrafo. Suas imagens eram, ao mesmo tempo, conceituais e comunicativas ao extremo, visualmente limpas e graficamente simples, mesmo que se representassem assuntos sofisticados. Ele concebeu conceitos pioneiros que seriam - e são até hoje - muito copiados. Além disso, era um homem apaixonado e obcecado pelo que fazia, pela imagem - as quais transmitem principalmente o desejo material e sexual, os desejos do próprio fotógrafo.

Ao lado do diretor Aram Avakian, Bert dirigiu o documentário Jazz on a Summer's Day, estreado em 1960. O filme era um registro do Festival de Jazz de Newport de 1958. Em 1999 a Biblioteca do Congresso dos Estados Unidos declarou o filme "culturalmente significante" - selecionando-o para preservação no National Film Registry.

05_Bert_Stern_for_Vogue_1967.jpg © Bert Stern para a Vogue, 1960 (Flickr).

Em 1959 Bert se casou com a bailarina de fama internacional Allegra Kent. Da união que durou dezesseis anos nasceram três crianças.

Marilyn Monroe não foi nem de longe a causa do sucesso de Bert Stern. Na realidade, ela seria apenas mais uma das dezenas de beldades que passariam por sua vida. O fator X foi Stern ter sido o último a fotografá-la, um mês e meio antes da morte da atriz. Foi a morte de Marilyn que criou toda a mística em torno da última sessão de fotos - fonte inesgotável de inspiração para outros tantos profissionais nos últimos 50 anos. O que gerou, também, cópias grotescas. O legado do último fotógrafo de Marilyn Monroe é muito maior que as fotos que ele tirou da sua principal musa, mas, é também a ela que Bert deveu muito de sua fama. Em entrevista à Vanity Fair francesa, no começo de Junho de 2013, pouco antes de morrer, Stern comentou seus principais trabalhos - e obviamente - os dias em que fotografou Marilyn em Junho de 1962.

Marilyn Monroe, A última sessão de fotos - Los Angeles, junho de 1962

"Durante a sessão de fotos encomendada pela Vogue - que após a morte de Marilyn a nomeou de A última Sessão de Fotos (The Last Sitting), eu tirei mais de 2.500 fotos dela por três dias inteiros. Vestida, nua, com acessórios. Ela estava mágica e hipnótica...eu nunca a teria fotografado nua se ela não quisesse. Eu só imaginava a fotografia e é verdade que eu não a imaginava em roupas, mas vestindo simplesmente jóias ou um véu. Para a primeira sessão, em 23 de Junho de 1962, numa suíte do Hotel Bel-Air, nós tínhamos marcado o encontro ao meio-dia, mas ela não chegou até às três da tarde. Ela era mais bela do que eu imaginava. Agradável, também...ela havia retirado a vesícula biliar seis semanas antes, portanto, apresentava uma cicatriz abaixo do abdômen. Quando ela viu o véu transparente e as jóias preparadas perguntou: "Então, nós vamos fazer nus? Eu acho que você quer ser criativo". Eu fiquei surpreso, disse que sim. Ela ainda pediu a opinião do seu cabeleireiro, que respondeu: "Por que não?". Ela foi se preparar no banheiro, e quando votou nua sobre a echarpe transparente, lançou: "Nada mal para 36 anos, não?". Ela obviamente queria aproveitar o jogo. Ela tomou o champanhe que eu tinha encomendado à pedido do seu agente, e notei que seu maquiador pôs um pouco de vodka no copo. As horas passavam, e ela tornou-se ainda mais desafiadora. Eu não precisei fazer sugestões, ela inventava suas próprias poses. Nós continuamos até as duas da manhã, mas a Vogue julgou esta série muito provocante e encomendou uma segunda, mais formal."

06_Marylin_a_biography_by_norman_mailer_Stern.jpg © Bert Stern, "Marylin - Uma Biografia por Norman Mailer", (Flickr).

07_Actress_Marilyn_Monroe_Bert_Stern_for_Vogue_Magazine_in_1962.jpg © Bert Stern, Marylin Monroe para a Vogue, 1962 (Flickr).

08_Marilyn_Monroe_The_Last_Sitting_Bert_Stern.jpg © Bert Stern, Marylin Monroe, "The Last Sitting", (Flickr).

Marilyn - Segunda sessão

"Minha primeira pergunta à Marilyn foi: "Marilyn, como está sua vida amorosa?" E ela riu, a famosa e bela risada. Mas, ela nunca realmente respondeu. Naquela época, eu não percebi que ela já estava saudosa. Ela parecia realmente feliz e talvez contando com estas fotos na Vogue para "reviver" sua carreira. Claro, em retrospecto, eu acho que há uma certa fragilidade em algumas imagens, incluindo uma na qual ela esconde o rosto. Esta é uma das minhas favoritas. Esta foto de Marilyn num vestido Dior corresponde à segunda sessão que fizemos para a Vogue - que queria mais fotos de moda e não nus - para o portfólio que eles sonharam. Como na primeira vez, ela chegou duas horas e meia atrasada. Desta vez, eu encomendei um Château Lafite, ela posou por horas e horas com os vestidos. Então, no final, pedi à equipe que saísse. Marilyn estava enrolada, nua, num lençol, e deitada num sofá. Eu fiz uma série de fotos. Em seguida, ela caiu no sono. Provavelmente um pouco sob o efeito do álcool, e eu estava fora."

09_Marilyn_by_Bert_Stern_1962.jpg © Bert Stern, Marylin, 1962 (Flickr).

10_Actress_Marilyn_Monroe_Bert_Stern_in_his_Photo_Studio_for_American_Vogue_in_1962.jpg © Bert Stern, Marylin no estudio de Stern para a Vogue, 1962 (Flickr).

Um dos seus melhores e mais antológicos trabalhos foram as fotos publicitárias do filme Lolita (1962) de Stanley Kubrick. As fotografias da protagonista Sue Lyon - então com apenas 14 anos - publicadas na revista Look em 1960 tornaram-se icônicas. Stern criou a imagem inesquecível da ninfeta sexy chupando um pirulito e vestindo óculos de sol vermelhos em formato de coração.

02_Sue_Lyon_Lolita_1960_Look_by_Bert_Stern.jpg © Bert Stern, visual de Sue Lyon, "Lolita", 1960 (Flickr).

03_Sue_Lyon_Lolita_1960_Look_by_Bert_Stern.jpg © Bert Stern, visual de Sue Lyon, "Lolita", 1960 (Flickr).

04_Sue_Lyon_Lolita_1960_Look_by_Bert_Stern.jpg © Bert Stern, visual de Sue Lyon, "Lolita", 1960 (Flickr).

O sucesso meteórico de Stern coincide com a era de ouro da publicidade, campo no qual o fotógrafo foi muitíssimo bem sucedido. Mas foi definitivamente na fotografia de moda que ele se tornou uma lenda. Stern fotografou as mulheres mais bonitas da nossa era - estrelas do cinema como Elizabeth Taylor, Marilyn Monroe, Audrey Hepburn - ("Audrey não se levava à sério, e era muito distante da sua imagem de ícone. Ela era doce e muito atenta ao que eu precisava como fotógrafo"), Catherine Deneuve, Brigitte Bardot - ("Ela não era fácil como modelo, mas sua beleza transcendia qualquer coisa que eu já havia visto antes"), Sophia Loren - ("Ela estava no auge da carreira, e muito preocupada com o futuro e a sua vida pessoal. Mas ela era muito profissional, bela e selvagem como um animal, e sabia naturalmente como desenvolver e usar as luzes a seu favor"), Shirley McLaine, Jayne Mansfield, Romy Schneider, até Drew Barrymore e Lindsay Lohan; cantoras, incluindo Françoise Hardy, Jane Birkin, Madonna - (a quem ele chamou de "pretensiosa e barulhenta"); e top models, desde Veruschka Von Lendhorff, Twiggy - ("muito tímida, quase ingênua") e Jean Shrimpton, até mais recentemente Kate Moss - ("Provavelmente a melhor top model com quem eu já trabalhei. Tão graciosa e descontraída").

A vida do fotógrafo do desejo também foi assunto do documentário Bert Stern: Original Madman - dirigido por sua esposa, Shannah Laumeister em 2011.

Bert Stern faleceu em Nova York, no dia 26 de junho de 2013, aos 83 anos de idade.

11_twiggy_bert_stern.jpg © Bert Stern, Twiggy (Flickr).

12_Audrey_Hepburn_1963_Bert_Stern.jpg © Bert Stern, Audrey Hepburn, 1963 (Flickr).

13_Audrey_Hepburn_for_Vogue_1963.jpg © Bert Stern, Audrey Hepburn para a Vogue, 1963 (Flickr).

14_Elizabeth_Taylor-1962_Vogue_by_Bert_Stern.jpg © Bert Stern, Elizabeth Taylor, 1962 (Flickr).

15_Elizabeth_Taylor_1962_by_Bert_Stern.jpg © Bert Stern, Elizabeth Taylor, 1962 (Flickr).

16_1962_Vogue_by_Bert_Stern.jpg © Bert Stern, Vogue (Flickr).

17_David_Bailey_and_Veruschka_1961_Vogue_by_Bert_Stern.jpg © Bert Stern, David Bailey e Veruschka, Vogue, 1961 (Flickr).

18_Ewa_Aulin_US_Vogue_June_1968.jpg © Bert Stern, Ewa Aulin para Vogue, 1968 (Flickr).

20_2002_tirage_Fine_Art_Bert_Stern.jpg © Bert Stern, Kate Moss, Fine Art, 2002 (Flickr).

21_Drew_Barrymore_1994_Mirabella_by_Bert_Stern.jpg © Bert Stern, Drew Barrymore, "Mirabella", 1994 (Flickr).


deixe o seu comentário

Os comentários a este artigo são da exclusiva responsabilidade dos seus autores e não veiculam a opinião do autor do artigo sobre as matérias em questão.

comments powered by Disqus
version 1/s/fotografia// @obvious, @obvioushp //Vitor Dirami