The Decemberists - Poesia Musical

Alguns ingredientes tornam esta banda do noroeste dos EUA uma das mais notáveis do cenário musical independente. Com melodias que mesclam Folk, Country e Rock, o grupo dispõe ainda da poesia eloquente do vocalista Colin Meloy, que com seu vocal inconfundível narra as mais variadas e memoráveis histórias.


01_The_decemberists.jpg © The Decemberists.

De todas as formas de arte existentes, a de contar histórias é provavelmente uma das mais antigas. Além de ser uma necessidade inerente ao ser humano, há inúmeras possibilidades criativas para realizar esta prática. Quanto à poesia e literatura, com grande notoriedade nos séculos passados, a beleza intelectual dos enredos, e a riqueza de detalhes, estão entre os elementos mais cativantes. Já no caso da música, seu maior destaque está na estética sonora - na beleza das melodias que os instrumentos podem proporcionar, em conjunto ou separados. Unir estas duas atividades criativas não é uma tarefa fácil, ainda mais se abordarem emoções complexas e marcantes. Talvez, por isto, The Decemberists seja tão importante.

Formado em Portland, no estado americano do Oregon em 1999, o grupo logo se destacou com um estilo técnico voltado para o folk, junto com letras que traziam de maneira literata e inteligente diversos tipos de narrativas. Muito desta combinação de sucesso se deve ao líder do quinteto, o vocalista Colin Meloy. Além de grande conhecimento musical, seu vocabulário rebuscado e formação universitária em Letras, Teatro e Escrita Criativa refletem diretamente em sua carreira. Junto com o multi-instrumentista Chris Funk, a tecladista Jenny Conlee, o baixista Nate Query e o baterista John Moen, ele traz algo único para o cenário independente.

02_decemberists_photo_1.jpg © The Decemberists, (Wikicommons, Mike Mantin).

O conteúdo das canções do quinteto é bastante variado. Do depoimento sofrido de um legionário em meio a guerra em The Legionaire’s Lament do disco de estreia Castaways and Cutouts (2002), até a comovente poesia de Colin para seu filho com autismo em Rise To Me - de seu último trabalho The King Is Dead (2011) - nada escapa dos ávidos músicos. Impressiona como a banda torna determinados temas únicos, como a nostalgia do álbum Her Majesty the Decemberists (2003), a vingança e as críticas à postura de seu país em Picaresque (2005), o romantismo em The Crane Wife (2006) e a loucura em The Hazards Of Love (2009). É como se estes assuntos fizessem parte de um universo à parte, mesmo sendo corriqueiros para muitos.

Outro aspecto da banda que merece destaque é sua grande capacidade técnica. Em suas gravações observamos arranjos compostos com excelência melódica e características que não se resumem somente ao folk. Se The Rake Song revela-se um rock visceral sobre um pai assassino, The Mariner’s Revenge Song retrata o plano de um jovem aprendiz de marinheiro para vingar a morte da mãe, em um compasso similar a Polka. Em Sixteen Military Wives, um enérgico protesto contra as atitudes dos EUA com relação à guerra é trazido com trompetes e traços do Jazz, enquanto Down By The Water faz uma avaliação da juventude em ritmo Country.

03_decemberists_photo_2.jpg © The Decemberists, (Wikicommons, WFUV Radio).

Para confirmar todas estas particularidades, basta assistir a uma apresentação do grupo ao vivo. Além da impecável voz de Meloy, dos backing vocals e do instrumental afiado, todas as músicas tocadas no palco proporcionam uma experiência singular. A emoção empregada pela banda faz com que haja uma forte conexão com todos aqueles que estão presentes em seus shows. Como resultado, é comum que fãs e admiradores dos mais diversos lugares se reúnam para vê-los e para cantar o repertório junto com eles, sabendo todas as canções de cor.

Com tantos pontos positivos, é bom saber que há um grupo capaz de aliar excelência musical e primor poético. Não que seja o único. Muitas outras bandas e músicos de talento conseguem feitos similares. Mas, existe algo nos The Decemberists: uma aura única, que congrega os diversos elementos necessários para se fazer boa arte.

04_decemberists_photo_3.jpg © The Decemberists, (Wikicommons, Eric Samson).

05_decemberists_photo_4.jpg © The Decemberists, (Wikicommons, Anirudh Koul).


jeferson scholz

é fascinado pela cultura pop em todas as suas esferas de manifestação, por música, cinema e nerdices em geral.
Saiba como escrever na obvious.

deixe o seu comentário

Os comentários a este artigo são da exclusiva responsabilidade dos seus autores e não veiculam a opinião do autor do artigo sobre as matérias em questão.

comments powered by Disqus
version 3/s/música// @obvious, @obvioushp //jeferson scholz