renato menezes

Renato Menezes vive no mundo, talvez porque leia J. L. Borges e Clarice Lispector. É possível que também por isso, acredite na imortalidade e no infinito. Sempre pensa que nasceu, na verdade, no século XIX. Lê os existencialistas franceses e deseja um dia andar por um caminho de tijolos amarelos. Ri de tudo, mas simula riso quando contam piadas. Pipoca é sua refeição preferida e música é o seu único vício

Últimos artigos publicados