arquitetura é vida

A vida é arquitetura e a arquitetura é vida

Maria Eneida

Arquiteta e Urbanista, mas que busca nas artes e nas reflexões da vida os conceitos para ser cada dia melhor, produzindo uma melhor arquitetura, com enfoque no viver, avistando a beleza, a bondade e a verdade

Os movimentos de parada

Parar, com intuito de caminhar. Essa é a razão de certos movimentos que somente a alma alcança.


Existe um momento na vida em que parece que você se vê em uma longa estrada, com muitos desvios e atalhos, com pedaços mais difíceis que outros, com tonalidades mais escuras no anoitecer ou com luminosos raios de um sol de verão. Pois é, mas você se encontra ali.

E mais uma vez você começa a entender as direções e as conquistas que apreciaria ter, ou desenvolve algumas ilusões ou até mesmo sonhos e algumas pedras rolam no meio do caminho e você para.

Nesse momento existe um ar que você precisa respirar. Vem como uma brisa que vai passando lentamente pelo seu corpo e você se dá conta que chegou em um momento único. Aquele momento de parar.

Na vida nos confrontamos com tantas coisas que nos tiram a paz e o sono, ou nos deixam extasiados e extremamente eufóricos e ainda aqueles momentos que somente as lágrimas conseguem explicar.

Por isso que quando uma estrada te mostra um ponto de parada, de ares renovados, não existe como não parar. E sabe, essas paradas estão muitas vezes nos olhares de quem nos ama, nas palavras doces e nos momentos conexos em que a vida pode passar, mas que você necessita ali pelo menos um momento parar.

Acredito na necessidade dos seres humanos encontrarem suas paradas. Aquelas que podem passar horas dialogando, compreendendo, decifrando, discutindo, entrelaçando e porque não enfim, amando.

Existem paradas que distribuem uma familiaridade, com cheiro de roupa limpa e casa arrumada, com bolo quente saindo do forno e um cheirinho de canela no ar e nessa simplicidade ela se comunica.

A beleza de um momento de parada, faz com que a vida ganhe sentido, e se compreenda como um sentido de viver e que somente no fim terá explicação.

2899465547_5b2a6932d4_large.jpg

Quem nunca se encontrou em um olhar? Quem nunca se encontrou em um coração? Quem nunca se apaixonou e viveu? Quem nunca, atire a primeira pedra.

Os movimentos de parada são necessários, porque neles se encontram os valores que cada momento na vida pôde ter. Ali se encontram as chaves. Essas essenciais ao viver, podendo ser as do ficar ou do partir, do amar ou do deixar, do chorar ou do sorrir, do viver ou do fugir.

E como identificar uma parada, se na madrugada ela vem, ou ainda se nunca virá?

As paradas da vida são os movimentos que alma se encarrega de fazer.

Nossos olhos de travessos humanos muitas vezes se esquecem de olhar e ali se comunicar com uma essência que trará as respostas mais revolucionárias do viver.

Se um dia uma dessas paradas te fez avistar coisas grandes e você, travesso, as deixou passar, chegou a hora de correr atrás.

Uma chance pode te seguir uma vida toda, mas a oportunidade de agarrá-la é única e se algo te prende, esqueça dentro de uma caixa bem lacrada nessa estação e busque a vida, com suas artes, que ali sim vale a pena ter uma única parada, como um farol que ilumina sua vida.


Maria Eneida

Arquiteta e Urbanista, mas que busca nas artes e nas reflexões da vida os conceitos para ser cada dia melhor, produzindo uma melhor arquitetura, com enfoque no viver, avistando a beleza, a bondade e a verdade .
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/recortes// //Maria Eneida