asas e segredos...

Porque o segredo é dar asas à criatividade!

Lucifrance Carvalhar

Escritora, sonhadora, amante da arte, literatura e da vida! Psicóloga, formada em Letras e Pedagogia e autora dos livros "Quando eu voltar a ser adolescente" e "Festa de Quinze Anos". Escreve poemas, contos e crônicas!

A felicidade exige caminhos e quem faz é você

Muitas vezes a única coisa que realmente precisamos é sermos felizes. Não adianta procurar as razões, apenas temos que nos entregar à felicidade e seguir o nosso caminho, acreditar no futuro e entrar no novo vagão que a vida coloca na nossa trilha.


vagão.jpg

Outro dia uma pessoa me disse que é importante entrarmos e aceitarmos o novo vagão que a vida nos oferece.

A felicidade muitas vezes depende disso, das nossas aceitações que levam à resiliência para que as coisas novamente possam dar certo. O que adianta persistir no erro se prevemos o que vai acontecer lá na frente? Como se prender a um relacionamento seja ele de amizade, amoroso ou profissional quando tudo mostra que já não há mais o que fazer?

Infelizmente, as pessoas costumam insistir nas relações desgastadas apenas por medo de enfrentar o futuro, o desconhecido, o que é novo, permanecendo assim no sofrimento. É comum os casais se tolerarem porque não querem sair do comodismo de viver outro relacionamento, de ter que se submeter durante um tempo a viver sozinho e se conhecer porque muitas vezes não sabem nem quem ele realmente é.

Na vida profissional isso não é diferente! Quantas pessoas não permanecem por anos no mesmo emprego apenas porque não querem ir atrás de outro trabalho, preferindo receber o mesmo salário e reclamar das mesmas coisas todos os dias? O novo é sempre assustador e a vida pede isso: inovação constante!

A inovação pode trazer tristeza e felicidade, porém exige mudanças, principalmente de posturas e atitudes para que todos embarquem numa nova jornada e sigam um novo caminho.

Assim como a tristeza, a felicidade também cobra um preço, que na maior parte do tempo é mais alto, pois para ser feliz é necessário enfrentar o seu mundo interior, sair da zona de conforto, perguntar-se sobre o que está certo e errado e se vale a pena mudar. Sim, porque a felicidade cobra mudanças de atitudes, ela é dura conosco, quer que pensemos sempre no nosso bem e no nosso melhor!

Muitas pessoas pensam que ser feliz é fácil, porém estão enganadas, porque a felicidade exige esforço, riscos. E quem quer correr riscos quando acha que está tudo bem? Quem quer sair do conhecido quando tem medo de olhar para algo que não sabe o que vai ser?

Uma psicóloga uma vez me disse que nós só vamos saber o que há atrás da porta se formos lá ver, pois do contrário nada iremos encontrar e vamos ficar na mesmice do nosso cotidiano! E quem quer olhar atrás da porta? Quem está disposto a abrir a porta e ver o que há atrás dela? O que irá encontrar? Será que será bom? Será que isso trará sofrimento?

Nem sempre estamos dispostos a isso! E sabe por quê? Porque nos acomodamos, preferimos não abrir a porta para ver coisas novas porque tememos o que pode estar ali, já que isso poderá chocar-se com as nossas vivências. Sofremos por não querermos abrir a porta, olhar para uma nova janela, por não querermos nos deparar com nós mesmos e trazer questionamentos sobre o que somos, pagando, assim, um alto preço por isso!

A vida constantemente nos surpreende, pedindo para abrirmos as portas, nos dando vagões novos para decorarmos e seguirmos na nova viagem, a fim de que sejamos felizes, que batalhemos pelo nosso melhor! Se não entrarmos em um vagão, outros irão passar na nossa trilha e cabe a nós decidirmos em qual iremos seguir e quem queremos ter como companhia.

Para isso precisamos correr riscos, olhar sempre atrás dessas portas que estão ao nosso redor e optar pela nossa felicidade, mesmo que isso implique deixar importantes coisas e pessoas para trás. Não dá para permanecer no sofrimento de relações que nada mais têm a nos acrescentar! Não dá para viver a contradição daquilo que não nos faz bem! Temos que descer do vagão, entrar em outro e seguir em outra trilha, aceitando as mudanças que a vida nos propõe!

Às vezes não dá para ficar procurando e investigando as razões do porquê a vida colocou aquele vagão no nosso caminho, apenas temos que entrar nele e aceitá-lo como nosso novo transporte para a nossa jornada!

Se isso é fácil? De jeito nenhum, pelo contrário é muito difícil porque exige mais esforço e dedicação, já que na maioria das vezes aquele vagão está vazio e solicita um recomeço, não aceitando as decorações e adornos que estavam no vagão anterior!

Alguns vagões já trazem adornos e pessoas, porém cabe a nós o complemento, o esforço sempre será nosso para o que faremos nele e qual aprendizado teremos. O vagão seguirá por diversos caminhos, levando-nos a surpresas, alegrias, mas também decepções e sofrimentos, afinal nem tudo são pétalas de rosas na longa estrada da vida! E quando chegar a hora de descer dele e entrar em outro vagão, a melhor saída é fazer isso e recomeçar se for preciso, seguindo novamente em frente na nova estrada!

A felicidade está em todos os vagões e só nós podemos esculpi-la! Ela sempre exigirá trabalho, pedirá mudanças porque quando nós mudamos, o mundo muda, tudo muda ao nosso redor e o vagão da vida é assim. Ele percorre caminhos e todos para a trilha da felicidade e do progresso!

Portanto, a felicidade sempre estará ao nosso alcance, o futuro é obscuro, mas deve ser enfrentado, porque o que precisamos mesmo é sermos felizes, mesmo que isso implique em renúncias em prol do que é melhor para nós!


Lucifrance Carvalhar

Escritora, sonhadora, amante da arte, literatura e da vida! Psicóloga, formada em Letras e Pedagogia e autora dos livros "Quando eu voltar a ser adolescente" e "Festa de Quinze Anos". Escreve poemas, contos e crônicas!.
Saiba como escrever na obvious.
version 5/s/recortes// @obvious //Lucifrance Carvalhar
Site Meter