asas e segredos...

Porque o segredo é dar asas à criatividade!

Lucifrance Carvalhar

Escritora, sonhadora, amante da arte, literatura e da vida! Psicóloga, formada em Letras e Pedagogia e autora dos livros "Quando eu voltar a ser adolescente" e "Festa de Quinze Anos". Escreve poemas, contos e crônicas!

Aquela dor da separação irá passar, você só precisa acreditar!

Às vezes pensamos que aquela dor da separação não irá passar e que viveremos no luto para sempre! No entanto, apesar da demora, a dor passará, sairemos do luto e voltaremos a ser felizes! Pode ter certeza!


Separação.png

É naquele turbilhão, no olho do furacão, no meio da tempestade e no mais fundo do poço que pensamos que nossa dor nunca irá passar.

Lamentamos, choramos, perdemos noites de sono, comemos em demasia ou deixamos de comer, ficamos imensamente tristes, às vezes nos isolamos das pessoas ou falamos incessantemente daquela dor que nos aflige, daquela separação que tanto nos faz sofrer.

Parece que o mundo todo está contra nós, que ninguém entende a nossa dor e quando ouvimos alguém dizer que um dia ela irá passar, imediatamente pensamos “Isso não irá acontecer! Essa dor será eterna! Nunca mais serei feliz! ”

Só que o Universo é sábio e usa o tempo a nosso favor. É no meio da dor, do luto e do sofrimento, com lágrimas infinitas que vamos descobrindo o quanto somos fortes.

O luto do rompimento de uma relação é de extrema importância porque ele nos transforma, nos faz mergulhar no nosso íntimo, no nosso inconsciente, fazendo-nos perceber o quanto somos guerreiros.

É durante o luto que pensamos sobre tudo o que vivemos com aquela pessoa, sobre o que ela fez e também sobre o que fizemos, pois é um período de análise. Não dá para viver um rompimento sem passarmos pelo luto e pela dor. Eles fazem parte do nosso processo de amadurecimento durante uma fase que muitas vezes parece eterna.

No entanto, eles vão durar o tempo necessário permitido para a nossa evolução e progresso. Não adianta querermos adiantar o período de um luto porque estaremos nadando contra a correnteza e isso aumentará a nossa dor. Nada de ansiedade, vamos seguir o fluxo e deixar que o tempo seja nosso conselheiro e acalente o nosso coração.

Chore o que tiver que chorar, pense o que tiver que pensar, grite se tiver que gritar, fale se tiver que falar, recorde o que tiver que recordar, cutuque a ferida se quiser cutucar, sofra o quanto aguentar, porque no final disso tudo você perceberá que todo aquele sofrimento valeu à pena e que você saiu da tempestade como uma pessoa melhor, que aprendeu que nada é eterno e que as pessoas entram nas nossas vidas para que aprendamos algo. Você entenderá que tudo é ciclo e que quando ele se cumpre, não há mais o que fazer além de aceitar o seu término e fechamento!

Seja gentil com você, não tenha medo de sofrer e não se cobre. Deixe que o tempo se encarregue de curar suas feridas, de amenizar as suas dores. A cicatriz da ferida de um rompimento sempre existirá, mas ela deixará de doer. Acredite no tempo e na sabedoria do Universo porque só assim você sairá forte da tempestade e acreditará novamente que poderá ser feliz.

O tempo lhe mostrará isso e um dia quando você menos esperar, perceberá que aquela pessoa por quem você tanto sofreu já não faz mais parte da sua vida presente e que ficou guardada no livro da sua história.

Acredite sempre e tenha fé de que a aquela dor que lhe rasgou o peito, que despedaçou seu coração, que atingiu como uma foice o âmago da sua alma, que lhe tirou do eixo, irá passar!

Tenha esperança, porque quando você menos esperar estará sorrindo e nem se lembrando do quanto sofreu por aquele amor que tanto fez parte da sua vida, mas que hoje está guardado no fundo de um baú, no qual você nem sabe mais onde colocou a chave!


Lucifrance Carvalhar

Escritora, sonhadora, amante da arte, literatura e da vida! Psicóloga, formada em Letras e Pedagogia e autora dos livros "Quando eu voltar a ser adolescente" e "Festa de Quinze Anos". Escreve poemas, contos e crônicas!.
Saiba como escrever na obvious.
version 2/s/recortes// //Lucifrance Carvalhar