beatrizbiellamartins

Literatura e Cinema

Beatriz Biella Martins

"A literatura antecipa sempre a vida. Não a copia, molda-a aos seus desígnios".
Oscar Wilde

O peso da Poesia Brasileira

Qual afinal é o papel da poesia? Entreter? Informar? Fazer refletir? Será que a poesia tem uma responsabilidade? É preciso tirar o peso da poesia.


Há tempos tenho escutado amigos dizer: "Não gosto da Literatura Brasileira", "Literatura Brasileira se resume aos livros obrigatórios do vestibular" "Leio porque preciso passar na prova"; já outras vezes escuto coisas piores, como por exemplo: "Literatura já é ruim, poesia então piorou"... Alguns ousam também dizer: "Poesia é coisa de mulher". Frases como essas me tiram o ar em determinado momento. Primeiro porque a nossa literatura, a Brasileira, é cercada de coisas riquíssimas, assim como as nossas escolas literárias. As escolas mostraram ao longo do tempo que a dependência da Literatura Portuguesa ficou para trás, principalmente quando apareceram os movimentos do Romantismo (com a prosa e poesia) e o Realismo. Hoje trago aqui, caro [email protected], o peso que precisamos tirar da Poesia Brasileira.

Com o advento da poesia no Brasil tivemos produções e autores muito importantes; as poesias tiveram suas divisões em: poesia existencial, poesia lírica e poesia social. Só no Brasil temos praticamente todo o alfabeto de poetas. A diversidade de estilos de poesia é enorme e muito importante de ser estudada, pois, a partir deste levantamento podemos compreender que poesia não é tudo a mesma coisa, muito menos coisa de mulher. Abaixo temos algumas categorias de poesia brasileira:

A poesia existencial trazia temas a partir de experiências de vida, angústias, dúvida, solidão, velhice e morte; essa é a famosa poesia Drummondiana (de Carlos Drummond de Andrade 1902-1987). Murilo Mendes e Vinícius de Moraes (o poeta eternamente apaixonado) também fizeram parte deste tipo de poesia. Podemos perceber com essa poesia e aprender que a poesia nunca se trata só de versos combinados, muito menos só de ritmo e sonoridade; poesia se trata da vida, da observação, dos detalhes quase que imperceptíveis. O Brasil foi um país que já passou por muitas perturbações e momentos de angústia sem fim, sem enxergar uma luz no fim do tunel, exatamente como vivemos agora em 2017 com a tão falada crise econômica e política, no momento em que o país enfrenta um golpe que começou em 2016. A poesia traz, para a vida de quem a lê, uma luz no fim do túnel. A poesia existencial tem o papel de questionar, incomodar e gerar mudança.

A poesia lírica traz uma curiosidade sobre um poeta, Gregório de Matos apesar de ter nacionalidade portuguesa nasceu em terras Brasileiras (no Brasil Colonial). Pasmem. A poesia lírica é centrada na primeira pessoa do discurso, onde sua expressão é marcada por subjetividade e quase sempre o conteúdo são emoções do sujeito (o eu lírico). Com esta poesia podemos aprender que falar das emoções é uma coisa muito importante, e podemos fazer isso em poucas palavras, da forma como a poesia é feita: em versos, com poucas palavras mas muitos significados e diferentes interpretações.

A poesia social é o que muita gente faz hoje nas redes sociais e, às vezes, nem sabe. Os temas são questões sociais e políticas. No Brasil, em duas escolas literárias, Romantismo e Modernismo, temos dois grandes exemplos: a poesia abolicionista de Castro Alves e a poesia sobre A Segunda Guerra Mundial com Carlos Drummond de Andrade. Aliás, um bom exemplo de poesia social é o livro do próprio Drummond, A Rosa do Povo.

A poesia tem um peso enorme quando falamos dela, as pessoas em geral fazem cara de espanto quando alguém afirma "[email protected] é poeta/poetisa". É preciso tirar esse peso da poesia, essa responsabilidade dela, pois ela não está relacionada à formar palavras bonitas e proferir como se elas não fizessem o menor sentido; o quê da poesia é justamente que ela tem sentido, tanto para quem escreve quanto para quem lê. E quando a poesia não faz sentido? Até essa função ela tem, o sentido de não fazer sentido. A poesia está em um acervo permanente mas em constante mudança por meio dos olhos de seus expectadores.

"O que pensas e o que sentes, isso ainda não é poesia. (...) A poesia (não tires poesia das coisas) elide sujeito e objeto"

- Procura da Poesia (Carlos Drummond de Andrade)


Beatriz Biella Martins

"A literatura antecipa sempre a vida. Não a copia, molda-a aos seus desígnios". Oscar Wilde.
Saiba como escrever na obvious.
version 2/s/literatura// @obvious, @obvioushp //Beatriz Biella Martins