blog do albino incoerente

falando sobre música, cinema, TV e literatura

Roberto Bíscaro

Roberto Rillo Bíscaro é professor universitário, doutor em dramaturgia norte-americana pela Universidade de São Paulo. Desde 2009 luta pelos direitos das pessoas com albinismo no Brasil, além de escrever sobre filmes, livros, séries e discos.

os segredos de camberra

Um suspense político australiano na Netflix


7481602-3x2-940x627.jpg

Geopoliticamente, a Austrália vive se equilibrando entre sua histórica aliança com os Estados Unidos, com quem divide a pátria colonizadora Inglaterra, idioma e supremacia caucasiana e sua interdependência econômica com a muito mais próxima China, sua maior parceira comercial e não muito amiga do Tio Sam. Essa tensão grita para ser tematizada em produções de suspense. Foi isso que os criadores da série Secret City usaram para as duas temporadas exibidas pela australiana Foxtel e anexadas à Netflix.

A jornalista política Harriet Dunkley inteira-se de trama subterrânea, que colocará sua liberdade/vida em perigo e envolverá espiões, políticos entreguistas querendo implantar medidas de cerceamento da liberdade de expressão e, claro, mortes. Para fomentar mais a discórdia, isso ocorre num momento especialmente delicado entre as relações sino-ianques.

Secret City é passatempo decente para quem curte thrillers políticos. Seu pecadilho não é a falta de originalidade – se esse fosse o critério, quase não veríamos TV – mas certa vagarosidade nos dois episódios iniciais. Uma série de suspense obviamente não pode entregar o jogo de início, senão não haveria motivo para prosseguir vendo, mas se pudéssemos entender alguma coisinha mais, teria sido mais eficiente. Não duvido que certa sensação de “coisa muito no ar” dos capítulos iniciais custe à Secret City alguns telespectadores.

Depois que engata a marcha, é até bem legal ver a pouco divulgada Camberra e perceber como a TV de lá segue o padrão da inclusão e diversidade, como a de sua irmã estadunidense. Tem personagem asiática e até transexual, plenamente incluída. Claro que é necessário atentar para as funções e destinos dessas personagens em relação a seus pares caucasianos para não cair no simplista “apareceu, já tá bom “.

A segunda temporada Secret City: Under the Eagle começa literalmente de forma bombástica e explosiva, dois anos após os eventos da temporada um.

Harriet sofrera as consequências de seus atos e encontrava-se desempregada. Aceita ser RP de uma política independente. Ao mesmo tempo, um soldado australiano está preso no Paquistão; uma moça corre assustada pelos rincões do outback e uma residência voa pelos ares. Aos poucos, esses e outros fios vão formando tecido muito mais denso, porque dessa vez envolve possível guerra em escala planetária.

Secret City: Under the Eagle é mais bem urdida que a fornada inicial e seu foco é mais diversificado. Harriet é protagonista, mas a ação está bem dividida entre outros jogadores. Novamente, é necessário paciência para esperar a montagem do quebra-cabeça e resignação para ficar no ar durante alguns episódios. Porém, o roteiro oferece reviravoltas interessantes, que manterão o interesse de fãs de suspenses políticos.

O que não dá muito para entender é a opção de matar uma personagem importante e antipática, fora de cena. Uma das surpresas do roteiro é essa eliminação - que terá repercussões, claro -, mas o expectador é notificado tão casualmente quanto num feed de notícia de celular. Seria o caso de mostrá-la; isso tornaria o show mais intenso.


Roberto Bíscaro

Roberto Rillo Bíscaro é professor universitário, doutor em dramaturgia norte-americana pela Universidade de São Paulo. Desde 2009 luta pelos direitos das pessoas com albinismo no Brasil, além de escrever sobre filmes, livros, séries e discos..
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/cinema// @obvious, @obvioushp, @obvious_escolha_editor //Roberto Bíscaro