brincando com letras

Sobre ver o mundo com um pouco mais de poesia

Ellen Pederçane

Fotógrafa que largou o escritório para se encontrar. Amo o amor e tudo que ele me traz. Tenho um coração meio nômade, com espaço pro mundo inteiro. Sonho despretensiosamente que minha brincadeira com as letras alcance corações por aí. Respiro para não pirar, medito para melhor sorrir.

Friends e suas protagonistas empoderadas

Friends é um seriado que ainda é o queridinho de muitos mesmo após 12 anos do seu fim. E suas histórias e piadas continuam bem pertinentes. A importância da história das três mulheres protagonistas é indiscutível, mulheres no controle da própria história.


british-people-love-friends-body-image-1468609902-size_1000.jpg

Friends é provavelmente o sitcom estadunidense mais relevante dos últimos tempos, mesmo não estando no ar há 12 anos (último episódio foi ao ar em 2004) a série é ainda muito presente quando se trata de televisão e cultura pop. A série que conta o dia-a-dia de seis amigos com muito humor, cativa corações mundo afora até os dias de hoje. Rachel, Mônica, Phoebe, Joey, Chandler e Ross passaram por poucas e boas durante os 10 anos da série. Filhos, casamentos, divórcio, carreiras, desencontros amorosos e a amizade zombeira e fiel das personagens principais.

Em especial, as personagens femininas passaram por inúmeras mudanças e viveram muitos dilemas que tanto acercam o universo feminino até o momento atual. Três mulheres livres, independentes perante a situações que incomodam e são tabu na sociedade, sendo aplaudidas e amadas por suas escolhas. De gravidez indesejada, passando por barriga de aluguel e adoção, discussões saudáveis eram trazidas pelo trio com leveza. 9ad9498e9e1951e01f93c30cba4b47cf.jpg Rachel era a clássica menina popular, extremamente mimada e dependente dos pais. Em um momento de lucidez percebe que não pode prosseguir com uma relação por conveniência e foge do próprio casamento. Começa sua vida longe da família como garçonete e ao longo da série busca trabalhar com o que gosta e se torna uma grande executiva da área da moda. Mesmo que Ross e Rachel seja um casal queridinho de muitos fãs da série, em muitos momentos o relacionamento tem pontos abusivos (obsessividade e controle), tanto que foi recheado de idas e vindas pelo fato de que Rachel não se subjugara à Ross. E ainda se torna mãe solteira, enfrentando o julgamento do pai e mais uma vez não casando por conveniência. Certamente, é uma das personagens que mais cresceram ao longo das temporadas.

Mônica era a clássica filha preterida pelos pais que endeusam o filho mais velho. Descontava na comida e por isso foi uma adolescente obesa, competitiva e criou traços obsessivos: tudo dela deveria ser perfeito. Era uma romântica que se dava mal em muitos relacionamentos e não abria mão dos sonhos, inclusive terminou um grande amor (Richard) por divergência de planos. Para uns ela seria “a chata”, mas ela só sabia o que queria. Tanto que encontrou o amor onde ela menos esperava: no amigo que morava no apartamento da frente, Chandler, com quem se casou e foi o companheiro dos sonhos, aquele que enfrentou com ela a infertilidade: algo tão delicado em um universo onde as mulheres são tão julgadas por escolher ter ou não filhos. E juntos chegaram a adoção. Personagem daquelas fortes, que tem um coração do tamanho do mundo.

Phoebe tem uma história completamente a parte. Pai abandonou, mãe suicida, morou na rua, não tem boa relação com a irmã gêmea. E sempre foi uma alma livre e cheia de amor, mesmo com suas maluquices. Durante a maior parte do seriado, ela não teve nenhum relacionamento sério, se apaixonou por um cara que ia se mudar para Rússia na primeira temporada e somente se envolve novamente na nona temporada, com Mike, com quem se casa e forma a família que sempre quis ter. Foi namoradeira durante as outras temporadas e aceitou ser barriga de aluguel para seu meio irmão, dando luz à trigêmeos. Era massagista e cantora na cafeteria nas horas vagas, com músicas tão doidinhas quanto ela. E apesar de toda “maluquice”, no fundo ela só queria uma família e uma vida normal, como diz em seu próprio casamento. A personagem de vida mais difícil e de maior intuição. depressing.jpg Todas as três são mulheres fortes, que lutaram por suas vontades em meio a uma piada e outra. Ao longo da história outras personagens femininas também deixaram sua marca, como o casal de lésbicas Carol e Susan e a criação do Ben por elas. Mulheres empoderadas passando pelos desafios da vida, como cada uma de nós, lidando com julgamentos, machismos, problemas familiares e tudo mais. E sempre escolhendo o caminho que parecia mais justo e desejável para cada uma delas. E sempre tendo o apoio de uma para com as outras.

Nem só de risadas essa série que é uma das mais queridas do público vive. É claro que pensar certas questões com um pouco de humor fica ainda mais leve e agradável. Essa é a mágica da arte: poder tratar tantos assuntos das formas mais variadas. E esse peso das personagens é só mais um motivo para amar essa série. E para amar essas três mulheres incríveis criadas por Martha Kauffman e David Crane.


Ellen Pederçane

Fotógrafa que largou o escritório para se encontrar. Amo o amor e tudo que ele me traz. Tenho um coração meio nômade, com espaço pro mundo inteiro. Sonho despretensiosamente que minha brincadeira com as letras alcance corações por aí. Respiro para não pirar, medito para melhor sorrir. .
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/cinema// @obvious, @obvioushp //Ellen Pederçane