brincando com letras

Sobre ver o mundo com um pouco mais de poesia

Ellen Pederçane

Fotógrafa que largou o escritório(e a Arquivologia) para se encontrar. Amo o amor e tudo que ele me traz. Tenho um coração meio nômade, com espaço pro mundo inteiro. Sonho despretensiosamente que minha brincadeira com as letras alcance corações por aí. Respiro para não pirar, medito para melhor sorrir.

Tempo de passagem

Dezembro é o mês da reflexão, mês do desejo de mudar, desejo ansioso pelo ano que está por vir! É tempo de promessa, de renovação, de esperar do ano que se aproxima que ele será melhor do que aquele que está no fim. Será que nós estamos melhores para ano que vai chegar?


DSC_8094_.JPGFoto: da própria autora

“Adeus, ano velho....feliz ano novo”. 365 dias ou às vezes 366. Mas quando chega dezembro é um festival de “acaba logo! Que o novo ano seja melhor! E blá blá blá”. A gente tem essa mania boba de depositar todas nossas fichas no ano que vai chegar e esquecer tudo de bom que vivemos naquele ano que está para a se findar. Como sempre a mente está fixa nos erros, no ônus, mesmo que no fundo nós saibamos que os mal bocados ainda perdem pra quantidade de coisas boas que vivemos. A diferença é que o negativo, o que fere, deixa marcas evidentes, há em nós uma dificuldade de aceitar o que, à priori, parece ruim.

E passamos uns 30 (ou mais) dias implorando por um ano novo mais feliz. Um 2017, 2018, 2019, 2020 e por aí vai. Lamuriamos em tempo de continuar vivendo. Lamuriamos e já sabemos que daqui há um ano estaremos mais uma vez chorando nossas pitangas. Todo dezembro é mês de repensar, de esperar, de acreditar que o melhor está por vir. Dezembro é quase um hoje que não existe. Dezembro é a porta de passagem para amanhã. Amanhã é um novo ano, amanhã nos sentimos zerados, prontos pros novos desafios. Ai, esse amanhã é quase um milagre que ansiamos com todo o ser.

E pelo amanhã, dezembro é o mês do repensar. É o mês de revisitar o que passou. Encontramos-nos a organizar mentalmente o que não queremos carregar para o futuro que já é quase presente. Limpamos a casa a espera dessa nova visita. É ótimo permitir-se ser uma versão melhor para o ano que se inicia. É hora de renovar as inspirações, as músicas que servem de trilha sonora, os sonhos possíveis e descartar os que por hora não servem de trampolim pra nada. É hora de deixar claro pra si (mais uma vez) com quem podemos contar e quem é boa companhia só para o chope do fim de expediente. O que vale a pena carregar pro ano novo ou largar no ano velho...sim, aquela história que você ainda carrega nas costas sem a mínima necessidade, já passou da hora de ficar pelo caminho.

mafalda.jpg

O pós-reflexão é satisfatório: seguimos. Maduros estamos para os novos aprendizados, para os novos fins e os novos começos. O que mais nos entusiasma é poder botar em prática aquilo tudo que juramos a nós mesmos que aprendemos. Agora vai! Afinal, aprendemos que “a hora certa” é essa a qual temos a honra de viver. Estamos dispostos a lutar por nossa felicidade como jamais estivemos. É ano novo. Vira o calendário, mudamos dígitos, acrescentamos um ano. É nosso o rito de passagem, afinal somos nós os contadores de tempo.

Carregamos no peito uma esperança que deveria durar 365 dias, mas talvez só dure até o carnaval. Após o carnaval, diremos: e o ano começa...de daqui há pouco já é dezembro. Esquecemos de carregar por todo o ano esse leveza do início. O tempo não se transforma em um passe de mágica. Um dia é uma folha nova na história de nossa vida. Todo dia é novo. Todo dia merece essas borboletas no estômago que uma passagem de ano proporciona. Todo dia podemos renovar as esperanças. Sem precisar ser em um 31 de dezembro qualquer.

E todo ano fazemos igual. Todo ano escolhemos a cor da roupa pra ter mais amor, mais grana, mais paz, mais tudo. Viajamos, vamos à festas, fazemos festas. Fechamos os olhos 23:59 e pedimos tudo que queremos em um minuto. Abrimos os olhos, estoura a champanhe, abraçamos os amigos, a família, os amores. Agradece a Deus, afinal, o ano velho se acabou. É primeiro de janeiro, vida velha nova! E uma lista de promessas de muitos itens a serem cumpridos e dessa vez vai! Aaaah, se vai! Estamos decididos. A vida está novinha em folha, prontinha pra ser degustada. E daqui a 364 dias faremos tudo de novo. Roupa nova, lista nova, esperança nova depois de revisitar tudo o que fizemos e o que não fizemos. Que venham as ondas de 00:00 pra gente pular e depois correr pro abraço, por fim é ano novo!


Ellen Pederçane

Fotógrafa que largou o escritório(e a Arquivologia) para se encontrar. Amo o amor e tudo que ele me traz. Tenho um coração meio nômade, com espaço pro mundo inteiro. Sonho despretensiosamente que minha brincadeira com as letras alcance corações por aí. Respiro para não pirar, medito para melhor sorrir. .
Saiba como escrever na obvious.
version 2/s/sociedade// @obvious //Ellen Pederçane
Site Meter