brincando com letras

Sobre ver o mundo com um pouco mais de poesia

Ellen Pederçane

Fotógrafa que largou o escritório(e a Arquivologia) para se encontrar. Amo o amor e tudo que ele me traz. Tenho um coração meio nômade, com espaço pro mundo inteiro. Sonho despretensiosamente que minha brincadeira com as letras alcance corações por aí. Respiro para não pirar, medito para melhor sorrir.

Além das (im)perfeições

Vivemos conectados a todo tempo. Consumimos informação que não conseguimos filtrar. Entramos na pilha de ser o que querem que sejamos.Temos uma vida online demais. Até que ponto vale ir para ter uma vida perfeita em mídias sociais?


DSC_6084.jpgfoto: da autora

Amor é constante busca em nossos dias. Queremos amar, queremos ser amados por todos, queremos romance, queremos amigos e queremos mais e mais. Admiração, perfeição, tudo dentro do padrão cibernético de gente feliz e com vida sem problemas. Vida sem sal, vida contando curtidas, esperando reconhecimento...de quem? Vida de acordo com padrões e regras de beleza e corpo perfeito. Regras sobre o que devemos usar, o que comer, o que devemos ser. E seguimos as regras, afinal buscamos nos encaixar naquela vida perfeita. Queremos amor e sucumbimos ao que nos ditam para receber amor e nem recebemos isso.

Não sabemos o outro lado da moeda, acreditamos piamente na verdade apresentada nas mídias sociais. Por trás de cabelos perfeitos e sorrisos constantes podem-se encontrar vazios crônicos. Sofrimento, calmantes e fugas diárias como qualquer outra vida comum. Relacionamentos às vezes falidos, solidão em sua pior forma e tanto mais que não se pode imaginar.

Enquanto essas regras nos são impostas na mesa, se espalha ainda mais sofrimento naqueles que estão fora desses padrões e tanto querem se inserir nesse mundo nada real. Enquanto buscam corpos lindos como o que nos disseram que devemos ter, morrem meninas cheias de vida em mesas de cirurgia, apenas sonhando em encontrar roupas bonitas para o seu tamanho. E tantas outras lutam contra a bulimia e a anorexia, pelo mesmo motivo. Tantos de nós já não amamos o cabelo lindo com o qual nascemos, porque para o mundo perfeito ele é feio. Outros querem aumentar tudo e mais um pouco. AH, também querem ter: o carro mais bonito, as viagens mais deslumbrantes. Não podemos viver sem par. Quando temos um par, há de se provar tamanha felicidade conjunta a todo instante. E o ego segue buscando curtidas que não significam nada.

A gente quer se sentir inserido no padrão. A gente quer apenas ser querido. E tanto sofrimento para chegar lá. Lá onde? Não se sabe. Sofremos mais para eliminar os problemas do que por conviver com eles. Afinal, onde há espaço para alguma insatisfação nessa vida perfeita? A gente compra a ideia. A gente paga o pato. A gente cria problemas maiores por não aceitar a vida como ela é. Não lutamos por dias melhores, lutamos para criar uma outra história, outra realidade linda e impecável. Dentro da perfeição permitida.

Tudo fica mais árduo.Tudo fica mais triste. Tudo perde seu natural encanto quando é comparado ao outro. Comparado àqueles que postam felicidade full time. Família perfeita, amores perfeitos, histórias perfeitas. Nada disso existe. Nossa beleza está até nos defeitos eu carregamos. Nossa beleza está na luta diária que cada um tem. Nossa beleza está em ser quem somos.

A beleza está em cada ação que fazemos por vontade nossa. A beleza mora naquele corpo que sonha com brigadeiro enquanto procura a nova dieta da moda. A beleza mora naquele pedido de desculpas após uma briga tola entre um casal, esse mesmo que prefere deixar o amor mais offline. A beleza mora naqueles pais que buscam dar o melhor para os filhos e erram como qualquer outro ser humano. A beleza está nesse amor que carregamos no peito e suas manifestações imperfeitas.

Esqueça as regras, somos únicos. O caminho de cada um é único. Alguns encontram a paz no cristianismo, outros na umbanda, outros na meditação e alguns numa caminhada na floresta. Uns cuidam do corpo na academia, outros preferem caminhadas. E todas as formas de encontrar o que quer que esteja sendo buscado é perfeitamente imperfeita. É nosso jeito, é nosso encontro, é fora das regras. É onde amamos e somos amados, sem curtidas e offline.


Ellen Pederçane

Fotógrafa que largou o escritório(e a Arquivologia) para se encontrar. Amo o amor e tudo que ele me traz. Tenho um coração meio nômade, com espaço pro mundo inteiro. Sonho despretensiosamente que minha brincadeira com as letras alcance corações por aí. Respiro para não pirar, medito para melhor sorrir. .
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/sociedade// @obvious, @obvioushp //Ellen Pederçane
Site Meter