brincando com letras

Sobre ver o mundo com um pouco mais de poesia

Ellen Pederçane

Fotógrafa que largou o escritório para se encontrar. Amo o amor e tudo que ele me traz. Tenho um coração meio nômade, com espaço pro mundo inteiro. Sonho despretensiosamente que minha brincadeira com as letras alcance corações por aí. Respiro para não pirar, medito para melhor sorrir.

Devaneio sobre a brevidade da vida

O correr da vida embrulha tudo.
A vida é assim: esquenta e esfria,
aperta e daí afrouxa,
sossega e depois desinquieta.
O que ela quer da gente é coragem

Guimarães Rosa - Grande Sertão Veredas


DSC_3394_.jpgFoto: da autora

Correria. Alvoroço. A cada piscar de olhos a vida correu. Os bebês nasceram, cresceram, estão falando. Os nossos gostos mudaram e nossas escolhas tomaram rumos inimagináveis. Como já cantava Cazuza "o tempo não para". Parece que a rotação tratou de fazer piruetas mais velozes. Parece que a translação é uma corrida no entorno do Sol. Ou nos perdemos no tempo ou não sabemos mais lidar com ele. Corremos e corremos, por tantas vezes não aproveitamos mais tudo que surge em nossa estrada.

Parece que junto de nós ao nascer vem um cronômetro que começa a fazer dos segundos mais rápidos ao longo do nosso crescimento. Amanhã está tão próximo e tão distante. Estamos tão certos do amanhã e por tantas vezes ele nos surpreende. Boas surpresas. Outras nem tanto. É tudo breve demais. Essa brevidade do tempo é um mistério que, por vezes, nos assombra. Hoje estamos aqui, amanhã não sabemos. Hoje temos planos, amanhã não sabemos se vamos executá-los. A cada dia a vida nos acomete de formas variadas nos lembrando: precisamos aproveitar toda oportunidade que nos bate à porta.

A vida só parece diminuir o ritmo quando estamos enlouquecidos à espera de uma certa coisa, uma resposta, um acontecimento. A ansiedade tem o dom de tornar a correria da vida em passos tão vagarosos que até desejamos a loucura da brevidade. O tempo da espera só parece rápido quando chega ao fim. De ambas as formas, sentimos na pele todo o caráter efêmero da vida. Toda urgência que nos consome, toda vontade de devorar a vida por medo daquele tic tac acelerado que corre pelo cronômetro da vida desde o nosso primeiro choro ao chegar neste planeta. Talvez seja o medo nosso maior inimigo nessa existência, esse medo de que o tempo não seja o suficiente para viver tudo aquilo que se deseja. E a pergunta que fica: é possível que o tempo seja realmente suficiente ou nós que somos medíocres com ele?

Vejamos: não seria de maior proveito viver a vida de uma forma leve ao invés de delegar funções aos outros que participam de nossas vidas? Todos nós temos problemas e muitos de nós perdemos o tal do tempo buscando no outro a solução de tudo. Buscando no outro que ele aja como esperamos, dentro das funções emocionais que jogamos no colo deles (como uma bomba, diga-se de passagem) e se tornam até desumanas, inclusive. Não pegamos a responsabilidade de aproveitar o tempo que nos é concedido. Não assumimos a responsabilidade por nossa própria vida. Deixamos a vida nos levar e ela não nos leva aos devidos lugares se não dissermos onde queremos ir.

Talvez devido a nossa pequenez sejamos tantas vezes surpreendidos pela efemeridade da vida. Só no susto repensamos os valores.Olhamos com mais atenção para nossos atos e escolhas, conscientes da necessidade de saber doar-se da melhor forma e também da importância de ser receptivo.

Por mais que algumas histórias apareçam tão longas, a vida é realmente breve. Essa deve ser uma lembrança constante. Uma lembrança que nos remeta a sacralidade do hoje. O tempo é agora. A vida é hoje e não amanhã. Todo dia devemos acordar e escolher o nosso melhor. Escolher dar amor e levar amor por cada chão pisado. Todo dia devemos dar a devida importância a quem merece. Todo dia devemos aprender a lidar com aqueles que, a princípio, não merecem tanto assim de nós. A vida passa e não precisamos esperar as partidas para deixar o coração dos outros transbordando junto ao nosso. Se hoje fosse seu último dia, quem realmente sabe o valor que tem para você?

E é nesse tempo correria que a vida cresce e floresce. É assim que vamos nos tornando tudo aquilo que estamos dispostos a ser. Todo dia é uma conquista. Todo dia é para ganhar asas. Todo dia é de se lembrar dos amores que ficam em nossas vidas. Todo dia é de se agradecer as horas vividas e as horas dormidas. Todo dia é que você pensar o que podemos fazer para que uma vida mais justa seja possível para todos nós. Todo dia a mão na massa. E que seja lembrado sempre que não estamos aqui só de passagem, mesmo com toda essa brevidade. O que importa não é o quanto de tempo se tem e sim se estamos vivendo bem nesse espaço insano de pressa e mistérios que nos é dado.


Ellen Pederçane

Fotógrafa que largou o escritório para se encontrar. Amo o amor e tudo que ele me traz. Tenho um coração meio nômade, com espaço pro mundo inteiro. Sonho despretensiosamente que minha brincadeira com as letras alcance corações por aí. Respiro para não pirar, medito para melhor sorrir. .
Saiba como escrever na obvious.
version 4/s/recortes// @obvious, @obvioushp //Ellen Pederçane
Site Meter