Elsa Afonso

Formada em Jornalismo. Entusiasta das palavras, das ideias e das escolhas. Consegue ver em tudo uma pontinha de comédia, e gosta de (escrever) coisas descabidas.

Antes de tudo, sejamos resilientes

Por definição, no sentido físico, resiliência é a propriedade de um corpo de recuperar a sua forma original após sofrer choque ou deformação.


resilience2.jpg

Não sabemos do que somos feitos até sermos postos à prova. Sabemos qual é, por vezes, o limite da nossa paciência, mas nunca sabemos até que ponto pode chegar a nossa raiva e tristeza. Assim tal como isso, também desconhecemos a capacidade do nosso poder interior, o poder de superar. O poder de enfrentar as vicissitudes com tranquilidade, e sem deixar fugir o chão.

Esta virtude tem nome. Resiliência. Por definição, no sentido físico, resiliência é a propriedade de um corpo de recuperar a sua forma original após sofrer choque ou deformação. No sentido figurativo, do qual aqui falamos, ela é a capacidade de superar, de recuperar de adversidades.

A resiliência está presente não só nos piores momentos, mas um pouco em todos os dias da nossa vida. Todos os dias somos postos à prova e cabe a nós manter a calma, manter o foco, e a força de vontade.

Ser resiliente não é lutar contra a corrente, é manter-se firme no lugar, no momento, nas convicções e na esperança. É ignorar a corrente.

Não se trata apenas de superar os desafios que vão surgindo, mas de manter serenidade perante os mesmos. O stress e a ansiedade não são amigos de ninguém e o resiliente sabe disso, tal como sabe que o pensamento positivo e a paciência (virtude mesmo) podem fazer a grande diferença para fechar mais um dia. O resiliente não tem medo dos dias que vêm, ele ou ela sabem que o tempo é um grande aliado.

É importante lembrar do amanhã, saber que há sempre um amanhã, e que se esse amanhã trouxer mais uma adversidade, então haverá o depois de amanhã, e tudo isto é um caminho.

A melhor forma de buscar esta resiliência, é recordar tudo o que já coseguimos superar na vida. Todas as batalhas ganhas. E lembrar do melhor que temos, seja família, amigos, amores, ou qualquer outra coisa que nos faça sorrir.

Tal como aqueles três pequenos pássaros cantaram a Bob Marley: "Não te preocupes com o que for, porque cada pequena coisa vai ficar bem". Então vamos lá, há sempre um desafio a cumprir para os resilientes.


Elsa Afonso

Formada em Jornalismo. Entusiasta das palavras, das ideias e das escolhas. Consegue ver em tudo uma pontinha de comédia, e gosta de (escrever) coisas descabidas..
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/recortes// @obvious, @obvioushp, @obvious_escolha_editor //Elsa Afonso