café em prosa

Para dias de caneca, sofá, livro, artes e muita prosa.

Malu De Falco

Sou de amor por livros, café de museu, poltrona do Tate Modern, passagens aéreas, chocolate quente, cheiro de chuva, reler velhas cartas e vinho. Sou de vida e de oxímoros, extremamente a favor do bom humor

Só pode ser você

Não priorize quem age como quem não te prioriza. Não se diminua. Não tenha medo de ficar sozinha, você sabe que é incrível e sempre soube isso antes dele chegar. Se ele for melhor que isso, se ele mudar, se ele se tocar, isso é outra história. Não estamos falando de julgamentos, bondade também se aprende.
Estamos falando de salvação.


louca.jpg

Relacionamentos, em geral, trazem consigo diversas variáveis: homem mulher, entre amigos, entre familiares. Entretanto, o ponto em comum é que qualquer relacionamento envolve intimidade, e, com isso, necessariamente, deve existir, entre as pessoas que se relacionam, respeito. Parece clichê, não é? Mas veja: intimidade significa ter e fornecer permissão para alguém entrar em partes de sua vida que, em geral, você não deixa qualquer um entrar. Portanto, criar intimidade com alguém que não se conhece direito - lembrando que se leva muito tempo para conhecer uma pessoa- é sempre um risco. O fato de ser um risco NÃO significa que você não deva se envolver ou criar laços e vínculos. Como seres humanos, criar esses laços é emocionalmente importante, mas no processo de evolução da auto-estima e auto-conhecimento, existem sinais aos quais nem sempre estamos atentos que nos oferecem uma ideia de que estamos nos envolvendo com as pessoas erradas.

Quando deixamos pessoas de atitude abusiva acessar nossas partes mais íntimas, colocamo-nos em um pressuposto de estarmos passíveis a buracos mais intensos: são partes importantes de nós que estão sendo expostas, e, portanto, TODOS nossos sentimentos precisam ser validados e respeitados, ainda que a pessoa não concorde com a gente. Pessoas abusivas costumam validar apenas os pensamentos e sentimentos próprios, ou seja, a dado ponto, tudo que importa a essas pessoas é seu teor narcísico (elas mesmas). A pessoa com quem você se relaciona deve dar importância ao que você sente e deve querer fazer você se sentir melhor, te ajudar e, acima de tudo, agregar. TODO relacionamento tem problemas, e, às vezes problemas sérios, mas nem por isso são abusivos.

Em um relacionamento abusivo pode existir um abusador ou os dois podem agir de forma abusiva. O mais comum é que haja um abusador e um abusado. Outra coisa importante é que abusadores não são, necessariamente, pessoas ruins, sem caráter, sem coração ou imutáveis. Acontece que, quando se vive nesse relacionamento, você não deve esperar essa mudança já que você não é, visivelmente, capaz de estimular no outro essa transformação. Pelo contrário, esse relacionamento tende a destruir e desgastar partes suas, principalmente em termos de confiança, culpa, auto-estima e autovalorização. A opção de seguir ao lado de uma pessoa abusiva é sua, e não é fácil sair de um relacionamento assim.

Em geral (ou seja, não é sempre assim), relacionamentos abusivos começam da melhor forma possível: com pessoas intensas, evoluem rapidamente, fluem perfeitamente no começo. São milhares de mensagens e ênfase em sentimentos bons, as pessoas se sentem amadas e confiantes, e também acreditam que estejam seguras em um relacionamento que tem tudo para dar certo. Essa parte é fundamental para a consolidação do abusador.Lembrando que NEM SEMPRE O ABUSADOR TEM CONSCIÊNCIA DO QUE FAZ, mas essa deixa abre o precedente de que se está com alguém perfeito para você, o que gera confiança e intimidade. Então começam os problemas.

Quando duas pessoas discutem ou brigam em um relacionamento, isso gira, em geral, em torno do descontentamento de uma das partes, e, em uma relação saudável, mesmo não concordando com o parceiro, seu sentimento deve ser validado, ou seja, minimamente respeitado e levado em consideração, mesmo que o outro não concorde com isso. Portanto, não existe uma pessoa que esteja SEMPRE errada. Se você se sente sempre errada, algo está muito errado, porque ninguém deve poder entrar na sua intimidade e fazer uso disso para fazer você se sentir mal, culpado, errado e não merecedor de validação e amor. Ninguém deve usar informações pessoais que você eventualmente forneceu para te atacar, ou como argumento em uma discussão e, acima de tudo, ninguém tem o direito de te diminuir para fazer você caber em um amor hipotético.

Isso quer dizer que uma pessoa abusiva não te ama? Não. Não existe um consenso sobre doenças e personalidade de abusadores, mas geralmente são pessoas autoritárias, que já demonstraram o mesmo comportamento explosivo e controlador com outras pessoas, inseguros e tem ação não coerente com seu discurso. Isso pode ser uma patologia ou um traço de personalidade mas, entenda, não cabe a você, atacada e sensibilizada como está, salvar a ninguém ou ajudar uma pessoa que te ataca o tempo todo. Entenda que, neste momento, não adianta também ninguém querer te salvar além de você, por mais que (provavelmente) sua família e amigos estejam te alertando há algum tempo.

Estar com alguém abusivo não significa que você seja inferior, burro ou sem percepção. Quando se trata de sentimentos, somos facilmente levados a crer que sentir o amor é mais importante do que se apegar a migalhas do comportamento dos outros. Além disso, abusadores são controladores. Não é normal quando o outro pode fazer tudo e você nada, mesmo quando ele diz que você pode mas, no fundo, você sabe que vai ter que encarar uma cara feia ou um silêncio incômodo. Não é normal você ter que respeitar esse silêncio mas nunca ter o seu respeitado. Não é normal abrir mão de coisas que você valorizava para estar com alguém, o tempo todo. Não é normal quando a pessoa te ofende, fala e te chama de palavras de baixo calão, te acusa de destruir sua vida ou te chama de louca. Você não é louca!

Não é normal que alguém te chame de fresca quando você não gosta de algo. Não é normal alguém te diminuir na frente das pessoas com piadas que você julga de mal gosto, e, acredite, seus amigos e sua família NOTAM isso, mas eles não querem te falar. Não é normal alguém te ofender, querer controlar o que você come, quanto você come ou mesmo que indiretamente, como você se veste. Não confunda cuidado com controle. Você não está louca! Não é normal você estar com alguém que maltrata ou ataca a própria família: lembre-se que um dia você vai ser essa família. Também não é normal estar com alguém que não se importe com o que você pensa, que o tempo todo te deixa de lado, não te dá atenção e te faz implorar por migalhas. Não é normal estar com alguém que diz tratar todos bem, mas não te trata bem. Não é normal estar em um relacionamento em que falar sobre seus sentimentos sempre seja seguido da frase "não quero falar sobre isso". Não, você não está louca.

Não vale a pena. Não vale a pena estar com alguém que só enfatiza seus defeitos, que diminuí sua autoestima e diz que é brincadeira, que fala que seus problemas são apenas seus e você tem que resolver, com quem divide a vida com você mas não te deixa a vontade para que você divida a sua.

Lembre-se que sim, o relacionamento já foi perfeito, e parecia ser ideal, mas os tempos áureos não vão se reaver. Não foi você que acabou com isso, por mais que o outro te culpe por isso. Não há o que você possa fazer para melhorar o que o outro não quer melhorar. Não existem culpados, mas existe respeito, respeito é primordial.

Nunca deixe alguém te ofender, nunca deixe um homem te chamar de louca, nunca. Não esteja com alguém que te culpa unicamente pelo relacionamento estar dando errado, exigindo que você mude e dizendo que você não é mais a mesma. O maior traço de um abusador é nunca (NUNCA) ter ideia de que está sendo abusivo e nunca assumir que está errado. Qualquer mudança que venha dele deve partir dele, e você não pode e nem consegue salvá-lo. Ele pode ser uma pessoa boa, pode ter uma família boa, uma essência do bem. Mas ele não está sendo bom agora. Ele não está sendo legal agora. Ele não vai mudar agora. Pode ser uma fase? Sim. Pode ser estresse? Pode. Influência dos amigos? Talvez. Mas em um relacionamento de adultos não existe certo e errado, existe conversa. Não existem loucos, existe sentimento. Não existem posturas autoritárias, e sim comunicação. O sentimento do outro deve ser respeitado e validado, e, querida, se você não está se sentindo assim, saí fora. Alguém precisa te salvar, e quem vai te salvar é você. Só pode ser você.

Não priorize quem não te prioriza e muitas vezes verbaliza que você não é sua prioridade. Alguém que diz isso no mínimo não sabe equilibrar as coisas. Não se diminua. Não tenha medo de ficar sozinha, você sabe que é incrível e sempre soube isso antes dele chegar. Se ele for melhor que isso, se ele mudar, se ele se tocar, isso é outra história. Não estamos falando de julgamentos, bondade também se aprende. Estamos falando de salvação.

Você não precisa mudar.

Não é para ser difícil.

Você não está louca. Você não é louca.

Você

Não

é

louca.


Malu De Falco

Sou de amor por livros, café de museu, poltrona do Tate Modern, passagens aéreas, chocolate quente, cheiro de chuva, reler velhas cartas e vinho. Sou de vida e de oxímoros, extremamente a favor do bom humor.
Saiba como escrever na obvious.
version 2/s/recortes// @obvious, @obvioushp //Malu De Falco