café pósmoderno

Literatura, sociedade, psicologia e política.

Marcio Sales Saraiva

Marcio Sales Saraiva é escrevinhador. Autor de “O pastor do diabo” (Metanoia, 2017) e organizador da antologia “16 contos insólitos” (Mundo Contemporâneo Edições, 2018), recentemente lançou seu “Engenho de Dentro e outros contos de aprendiz” (Mundo Contemporâneo Edições).

A travessia da poeta Celi Luz

A carioca Celi Luz é poeta premiada no Brasil e no exterior. Ela é convidada de diversas Feiras Literárias e também faz palestras sobre temas literários. Recentemente lançou o livro “Travessia” (Ed. Batel, 2020) e em breve sairá a segunda edição de “Na Morada do Tempo” (Ed. Oficina. Participa da diretoria da Apperj ( RJ). Celi Luz é membro da ASOL (Ilha do Governador, RJ), da UBE-RJ e do PEN Clube do Brasil.


celi 1.jpg

Nosso café pós-moderno é com a poeta CELI LUZ.

1- Quando você começou a escrever?

Comecei a escrever muito cedo. A minha mãe lia histórias pra mim, quando aprendi a ler, comecei a ler para ela. Depois, passei a ler para os meus irmãos, mais tarde, para os meus alunos etc. Reescrevia histórias. Escrevia quadrinhas, poemas sociais e de amor. Escrever sempre foi um ato de prazer. Lia prosa e poesia. E me apaixonei pela poesia.

2- Escrever é um dom ou consequência de muita leitura e transpiração?

Acredito que algumas pessoas tenham o dom de escrever, pois o fazem com prazer. Isso não quer dizer, que o ato de escrever seja feito só de inspiração. É consequência de leitura diversificada. Sempre é necessário burilar, revisar muitas vezes o texto. O que me inspira a fazer um poema é algo que me toca em especial, mas gosto de experimentar poemas em que tento a impessoalidade, tento diversificados sujeitos poéticos.

celi 50 poemas.jpg

3-Quais os clássicos da literatura que você mais admira? Quais autores e autoras influenciaram a sua escrita?

Na prosa, desde Monteiro Lobato, contos de fada, histórias em quadrinhos, Graciliano Ramos, Guimarães Rosa, Clarice Lispector.

Na poesia: Teresa D'Ávila, Walt Withman, Fernando Pessoa, Cecília Meireles, Manuel Bandeira, Carlos Drummond, Ferreira Gullar. São muitos, mas sinto que a autora que mais me influencia é Clarice Lispector.

celi clarice.jpg

4-E na cena literária atual… quem você já leu e gostou muito?

Na prosa, entre outros, cito: Nélida Piñon, Antônio Torres, Marina Colasanti, Luiza Lobo e os ensaios de Antônio Carlos Secchin e Alexandra Vieira de Almeida.

Na poesia, cito Carlos Nejar, Affonso Romano de Sant'Anna, Tanussi Cardoso, Salgado Maranhão, Adélia Prado, Astrid Cabral, Olga Savary, Diego Mendes Sousa, Luiz Otávio Oliani, Noélia Ribeiro, José Inácio Vieira de Melo, Adriano Espínola e Flora Figueiredo.

celi nelida pinon.jpg

5-Neste momento, qual é o livro que você está lendo?

Leio vários livros ao mesmo tempo. Estou lendo “Crítica sem juízo” de Luiza Lobo, “Tinteiros da casa e do coração desertos” de Diego Mendes Sousa, e estou relendo “A paixão segundo G&H” de Clarice Lispector, “Memórias de um leitor de poesia” de Antônio Carlos Secchin e “Escritos ao sol” de Adriano Espínola.

celi critica.jpg

6-O que você já publicou até aqui? Foi difícil publicar?

Estou em mais de 70 livros coletivos, revistas e periódicos. Publiquei 6 livros de poesia: “O Sol da Palavra”, Ed. Ibis Libris; “Bruno Berdistroki e Senhorita Eme” (infantil) , “Na Morada do Tempo”, estes dois pela Ed. Oficina; “Em Razão do Amor” (português/espanhol) e “50 poemas escolhidos pelo autor”, estes dois pela Ed. Galo Branco; “Travessia” Ed. Batel.

Está indo para o prelo a segunda edição do “Na Morada do Tempo”. É sempre difícil publicar, porque tem um custo elevado para o autor. Os meus livros mais recentes mostraram um aumento considerável de leitores. Isso me gratifica muito.

celi na morada.jpg

7-Se alguém desejar conhecer a sua produção literária, você recomenda começar por onde?

Pode começar pelo livro “Travessia” - Prêmio Álvares de Azevedo da UBE (União Brasileira de Escritores). Foi lançado on-line e já recebeu críticas favoráveis dos escritores Adriano Espínola e Diego Mendes Sousa.

celi travessia.jpg

8-Prosa ou poesia? Conto, novela ou romance? Quais são as suas preferências de leitura e de trabalho literário?

Minha leitura é diversificada. Desde conto, crônica, romance, ensaio, poesia até, outros não literários. Sou compradora de livro físico. Recebo também, muitos livros que são enviados por novos poetas, e por algumas editoras, já que participo de discussões de obras literárias. No momento participo do Café Literário do PEN Clube.

9-Se ainda não dá pra viver só de literatura, como você sobrevive?

Minha formação foi na UFRJ. Letras-Português-Literaturas, e pós-graduação em Linguística do Texto. Fui aluna do poeta Affonso Romano de Sant'Anna e do romancista Godofredo de Oliveira Neto que sempre me incentivaram. Sou Professora de Língua Portuguesa, aposentada da Rede Municipal do RJ. Sou casada, tenho 3 filhos e 3 netos.

10-Alguns escritores fazem depoimentos de cunho político. Outros defendem a “arte pela arte”, uma autonomia entre fazer literatura e o contexto sociopolítico. Em sua opinião, qual a relação entre arte (obra literária) e a política?

A arte não tem obrigação de qualquer natureza. O poema, por exemplo, serve para levar emoção, visualização, estranhamento. Acredito que a arte não fique isenta da ideologia do autor, mas não é necessário explicitar e muito menos panfletar.

11-Em que momento da vida, você sentiu... “eu sou escritora.”

Essa frase “eu sou escritora” só me convenceu depois que vi meu 1° livro publicado. São 6 livros publicados e a participação em mais de 70 livros coletivos. Participo de Feiras Literárias e saraus no Brasil e no exterior. Tenho um canal no Youtube para os meus videopoemas. Participo de live e saraus presenciais.

celi final.jpg

12- Ainda que eu não considere isso fundamental, mas já rolou algum prêmio?

No Brasil, não há muitos prêmios de poesia, e, alguns, se destinam a poetas iniciantes. Como escritora, tive a alegria de receber alguns prêmios. Tenho 2 livros premiados pela União Brasileira de Escritores (UBE) em concurso internacional. Diversos poemas premiados em concursos. Destaque em Poesia pela Secretaria de Educação no Projeto Poesia na Escola e no Polo Cultural da Casa D'Alma. Algumas láureas no Brasil e na Argentina.

13-Qual é o seu próximo projeto? Ainda este ano?

Está na Ed. Oficina, a 2ª edição do meu livro “Na Morada do Tempo” que virá com acréscimo do prefácio à 2ª edição, mais 40 novos poemas nessa temática espaço-tempo. Provavelmente ainda este ano. Em fase de organização: um livro de ensaio e outro de poesia.

Deixe algo para as nossas leitoras e leitores...

Deixo um poema (bilíngue) do meu livro “Em razão do amor” (Galo Branco, 2017).

Brasileiro

  • Um sol moleque
  • a rastrear
  • a alma de sereia
  • entre o mar e a praia
  • molejo
  • molejo
  • a bolinar a areia

Brasileño

  • Un sol sinvergüenza
  • rastrea
  • el alma de sirena
  • entre el mar y la playa
  • meneos
  • meneos
  • que mueven la arena.

celi final 2.jpg

Onde encontrar Celi Luz?

Facebook entre aqui.

Instagram: @luz.celi

Youtube, entre aqui no Canal Celi Luz.

E-mail:

Os livros de Celi Luz na Livraria Travessa. Entre aqui.


Marcio Sales Saraiva

Marcio Sales Saraiva é escrevinhador. Autor de “O pastor do diabo” (Metanoia, 2017) e organizador da antologia “16 contos insólitos” (Mundo Contemporâneo Edições, 2018), recentemente lançou seu “Engenho de Dentro e outros contos de aprendiz” (Mundo Contemporâneo Edições). .
Saiba como escrever na obvious.
version 2/s/literatura// @obvious, @obvioushp, @obvious_escolha_editor //Marcio Sales Saraiva