café pósmoderno

Literatura, sociedade, psicologia e política.

Marcio Sales Saraiva

Marcio Sales Saraiva é escrevinhador. Lançou a novela “O pastor do diabo” (Metanoia, 2017), “16 contos insólitos” (Mundo Contemporâneo Edições, 2018), “Engenho de Dentro e outros contos de aprendiz” (Mundo Contemporâneo Edições) e, recentemente, saiu seu primeiro livro de poemas: "Santeria: jaculatórias poéticas para almas desassossegadas" (MCE, 2021).

"Um abraço no mundo" de Paulo Japyassú

Filosofia de vida, amor, sexo e humor. A "misturinha" do escritor Paulo Japyassú.


Paulo Japyassu.jpg

1- Quem é você?

Eu sou Paulo Japyassú, um cara que vive para os personagens. Que chora, mas prefere rir e fazer rir; que sonha e realiza, que viaja e aterrissa. Confuso e claro, novo e velho. Normal.

2- De onde veio a ideia de fazer este livro?

Eu queria escrever uma peça com dois personagens masculinos falando das dificuldades de ser homem, porque eu tinha uma pesquisa sobre o gênero masculino, que me levou a conhecer o trabalho assistencial feito com os homens que cumpriam pena pela Lei Maria da Penha e a outros materiais falando sobre como o homem tem dificuldade de expressar sentimentos, como vive oprimido pelo papel masculino, como ele não pode chorar, não pode fraquejar, um monte de coisas! Mas, a peça não dava certo: eu não queria mulher, mas a mulher vinha! Um dia, num bar, comecei a puxar papo com os caras e eles falaram sobre pegação, futebol, cerveja, mas não falaram muito de si. Um mundo guardado lá dentro do cara, que ele não bota pra fora normalmente, só para um camarada enxerido feito eu... Então, eu vi que tinha um material vivo bem aqui, no meu bairro! Peguei a peça toda errada e a transformei no romance, que fluiu facilmente, quando apareceu a Marilene, uma das personagens femininas. Em 2001, eu publiquei pela Francisco Alves, “Sempre que você me chamar”, que é uma viagem de autoconhecimento de três garotas; é uma estória toda cheia de mulheres, e até com uma narradora! Então, depois de passar um tempão escrevendo num ambiente de fantasia distópica, voltei ao realismo. Eu gostei muito e escrevi outro, se passando aqui no Engenho Novo, só que com personagens jovens. E nesse, “A Tiara da Condessa”, me apareceu a Luciana e o Xavier, o par romântico, porque eu adoro isso de namorar.

3- Qual é o tema deste teu livro?

É a solidariedade. É o surgimento e o fortalecimento da amizade entre homens e mulheres, com suas esperanças, medos, alegrias, perguntas, preconceitos, religiosidade, num ambiente fraterno em que o diálogo franco apara as arestas.

4- Você deseja que o leitor tenha entretenimento ou pensa em incomodá-lo?

Desejo que o leitor dê boas gargalhadas e reflita junto com os personagens e suas contradições. Um amigo leu o pdf e me disse: “a gente se vê muito neles; vai lendo e nem sente o tempo passar!”. Eles falam coisas profundas e falam bobagens, engajam-se e se alienam, acertam e erram nos seus comportamentos, como todo mundo... E é um livro ágil, leve, apesar de se passar durante a primeira onda da pandemia, em maio de 2020, o que não sei se incomoda ou alivia.

Paulo Japyassu livro.jpg

5- Você já ouviu comparações? “Você escreve como fulana ou beltrano, me faz lembrar ela ou ele...”. E isso te incomoda?

Não, nunca ouvi comparações até o momento, mas não me incomodaria... se me comparassem a autores de que gosto, é claro, como Fernanda Torres, Valter Hugo Mãe...

6- Com tantos livros por aí, por que eu deveria ler este?

Porque é bem divertido e traz reflexões importantes. É a minha “misturinha”: filosofia de vida, amor, sexo e humor. O tema romântico envolve a amizade e o namoro; tem passagens mais sombrias, outras mais luminosas, mas tem sempre colorido. Era para ser uma estória só de homens, mas as mulheres foram entrando e “futucando” os homens e eles se abriram, aprenderam com elas a expressar e a comungar seu eu profundo. É o “toque feminino” indispensável nesse mundo hirsuto. Acho que os leitores vão gostar mais do mundo depois da leitura; homem e mulher gostarem e respeitarem mais um ao outro.

7- Como posso adquiri-lo?

Através do site da Editora Metanoia. Veja aqui.

Onde encontrar Paulo Japyassú?

  • Seu e-mail de contato: [email protected]
  • Seu facebook: https://www.facebook.com/paulo.japyassu
  • Seu instagram: @paulojapyassu


Marcio Sales Saraiva

Marcio Sales Saraiva é escrevinhador. Lançou a novela “O pastor do diabo” (Metanoia, 2017), “16 contos insólitos” (Mundo Contemporâneo Edições, 2018), “Engenho de Dentro e outros contos de aprendiz” (Mundo Contemporâneo Edições) e, recentemente, saiu seu primeiro livro de poemas: "Santeria: jaculatórias poéticas para almas desassossegadas" (MCE, 2021)..
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/literatura// @obvious, @obvioushp //Marcio Sales Saraiva