café preto sem açucar

Uma pitada de fotografia, cinema e cultura.

Thainan Giumbelli

Apaixonada por fotografia desde a infância, sempre gostei de criar e compor cenários para fotografar se algo me influênciou no ínicio foi o cinema. Formada em fotografia pela Univali e apaixonada pela arte de escrever.

Ser,sendo,sido.

Guardei muita coisa sobre mim em papeis, pois não sabia como mostrar, mas agora me libertei, fui à própria personagem do meu filme em imagens.


O projeto envolve a poesia em imagens de auto-retratos. O meu eu, em “ser, sendo, sido” . As poesias falam sobre vícios, sensações e sentimentos, que algum tempo atrás havia apenas colocado no papel. O cenário foi minha própria casa. Resolvi de certa forma unir as duas coisas que eu mais amo fazer, escrever e fotografar. Com a ideia do projeto a principio, fui modelando buscando uma forma de como mostrar isso, sendo eu mesma. Busquei duas únicas técnicas durante o projeto que foram à longa exposição e a sobreposição de imagens. O meu conceito se baseia na libertação de estigmas, seguindo a linha contemporânea.

Infância


Infância

Das velhas coisas,
Encontrei a lembrança
Aprofundei-me na infância,
Ela ainda balançava,
Ela ainda me suportava,
Das velhas histórias infantis,
Que ali foram lidas no passado,
De quantas nem me recordo,
Mas a cadeira de balanço
Entra em ritmo,
Com o sentimento sincero,
Da mesma criança.


Livre

Livre

Dos pés seguros,
Da vida andei,
Mas, do andar mais alto,
Saltei,
Da reviravolta que o mundo dá,
Embarquei,
Desembarquei,
Deixei,
A bagagem pesada,
A leve levei
Leviana insensatez.

Desvaneio

Devaneio

Apelo da memória,
O corpo paralisa,
O espirito voa,
Sufocando-me,
Por dentro e por fora,
A cabeça é dançarina,
Espetáculo sem personagens,
Não precisa de ensaio,
Não decora passos dados,
Nem roteiros,
Retorna com os próprios pés,
Do inconsciente sonho,
Causando perturbação
Diagnosticada ilusão

Tempo


Tempo

Vendei os olhos,
Fugindo do tempo,
Tic-tac faz o relógio,
Segundos, minutos e horas,
Do lado de fora,
Do lado de dentro,
Tempo passa,
Tempo para,
Tempo no verbo,
Passado, presente, futuro,
No tempo convive,
Inconscientemente vicio,
Cronometro é da vida,
E o passa tempo é da morte.


Sussuros


Sussuros


Gritos dados aos ouvidos surdos,
Desespero vive da cegueira,
De alguns timbres perdidos em gestos,
Encontram-se barreiras,
Eu posso aceitar duvidas,
Mas não convivo com a incerteza,
Se até ossos fortes podem quebrar,
Porque as pessoas encontram medo,
Sobre o que se passa sobre suas cabeças?


Vicio


Vicio

Da contradição de princípios,
Algumas adormecidas,
A morbidez doentia,
Destruição de estereótipos
Construídas de consumo,
Consumida pelo mesmo

Solitária

Solitária

Tranquei a porta,
Libertando a alma,
Passeio da purificação,
Abrindo espaço,
Estampei meu rosto,
Em sua toalha,
Entre suas lembranças,
Guarde-me com cuidado,
Dos gritos e gemidos,
Que entram em transe,
Com a figura humana,
Com o branco,
Do meu melodrama.


Narcisismo

Narcisismo

Entre exibicionismos,
Encontrei-me,
Tremenda compaixão,
Da fixação corporal,
Transição anormal,
Entre eu,
E meu ser.

Personagem

Personagem

Do meu sido,
Aprendi sendo,
Meu crescer é de ser,
Características adeptas,
De personagens,
Em locais errados,
De vestes,
E caras e bocas,
De personalidades escondidas,
Habito de uma maneira,
Vício de mudanças,
Do drama estável,
Estática e imutável,
De divergências.


Thainan Giumbelli

Apaixonada por fotografia desde a infância, sempre gostei de criar e compor cenários para fotografar se algo me influênciou no ínicio foi o cinema. Formada em fotografia pela Univali e apaixonada pela arte de escrever..
Saiba como escrever na obvious.

deixe o seu comentário

Os comentários a este artigo são da exclusiva responsabilidade dos seus autores e não veiculam a opinião do autor do artigo sobre as matérias em questão.

comments powered by Disqus
version 2/s/literatura// @destaque, @obvious //Thainan Giumbelli