canhotanavida

Vivendo na contramão

Luiza Costa

Escrevo com a mão esquerda. Não faço nada direito. Vivo na contramão. Uma antípoda.

Surpresas de Pietá

O inesperado proporciona experiências que tornam a vida mais... vida! E foi por acaso que conheci Pietá. Também foi pelos acasos da vida que o grupo carioca se formou. A internet foi decisiva na visibilidade do grupo que, através de crowdfunding, lança seu disco autoral Leve O Que Quiser. Respeitável público, surpreenda-se com Pietá!


Fazer planos e vê-los bem sucedidos dá sensação de vitória, mas quando as surpresas chegam sem esperar o que ganhamos é um presente da vida. E foi sem planejar, do inesperado, que Pietá foi concebido: o grupo formado, meio por acaso, entre salas de aula e ensaios por Juliana Linhares, Rafael Lorga e Frederico Demarca.

PietáLeve.jpg Frederico Demarca, Juliana Linhares e Rafael Lorga dão vida a Pietá - Divulgação

Também foi o inesperado que me levou a conhecê-los durante uma apresentação em Florianópolis, em 2014. Ainda que a experiência musical seja singular, tento redigir algumas linhas sobre o encontro às cegas com Pietá e as impressões que deixaram em mim e, arrisco a dizer, no público. Porque ao sair do pequeno teatro da década 30, onde o encontro aconteceu, percebi que não era a única que estava extasiada. Quando o público ia embora, poucos ousavam comentar sobre o show, ainda digeríamos a apresentação. À plateia faltavam palavras para dar conta do que havia acabado de presenciar. Juliana Linhares, jeitinho de menina e voz de mulher, nos roubou o fôlego e as palavras.

E tudo começou com as surpresas da vida, quando tratou de unir os integrantes da banda, que se conheceram nas salas do curso de teatro, no Rio de Janeiro, no início de 2012. Contam que se uniram por acaso, tocando vez ou outra depois da aula, eles com suas letras e instrumentos, ela com sua voz, ambos com o coração. E, como vindo do coração, a paixão bateu forte! O grupo foi formado sem que esperassem e, por incentivo dos amigos, se uniram como banda, sem planejar nasceu Pietá!

leveo.jpg Foto: Divulgação no Facebook de Pietá

O distanciamento temporal e aproximação (à distância) do trabalho da banda me permitiram apreciar a banda mais a fundo. Logo de cara, no topo da busca do Google, vi que Pietá venceu o FestValda de 2014 concorrendo com bandas do país inteiro. A premiação foi apenas o reconhecimento do que conseguem transmitir no palco. Palco que para eles não é só um lugar onde se faz música, acrescentam ainda elementos do teatro, com atuação e cenário significantes. Tudo fez sentido ao ver que todos os integrantes se identificam como atores-cantores. O show era mais que apresentação musical, foi pensado e produzido como espetáculo.

juliana linhares.jpg Cenário e atuação mesclam com ritmos e letras. Foto: Divulgação

Descobri ainda histórias e estórias do grupo, provando que a paixão avassaladora provocada na apresentação não era momentânea: Pietá têm tudo para se manter eterno. Eterno porque a música que cantam, e o modo como o fazem, te leva a viver aquele momento com intensidade, por completo. A alma entregue à música - perceptível pelo brilho no olhar dos músicos, na voz que vem de dentro, do fundo, mais do que com o coração, talvez com as vísceras, no fervor ao dedilhar o violão, na força imposta na percussão - essa alma, quase violenta, não tem validade, está em todos nós, é eterna.

Vem sem medo de avuar

Afluente entre Rios, o de Janeiro e o do Grande do Norte, Pietá cria e recria o bom. Nas suas músicas autorais combinam as letras e instrumentos dos cariocas Frederico e Rafael, sempre protagonizados pela voz da potiguar Juliana Linhares. Misturando neologismos, buscando nas raízes elementos resgatados da cultura brasileira - na simplicidade do falar, na força das crenças - provam que não há idade na música, mesmo jovens produzem com maestria.

Talvez o grande exemplo da potência musical de Pietá está nesta performance de Justino, apresentada no FestWalda e que rendeu 1º lugar ao grupo.

A intensidade na união letra-voz em A Vingança de Cunhã, letra de Thiago Thiago Mello e música Frederico Demarca, é de deixar qualquer um sem ar. Uma vingança se espera violenta, e ela se concretiza na música, que tem alma em arranjo instrumental e letra: “Desconjuro no fundo do furo, desnorteio buscando luar, desgraçada aventureira que me veio amaldiçoar”. Fácil, e delicioso, de imaginar na voz de Maria Bethânia ou de Cássia Eller - completa, vibrante, na interpretação de Pietá.

Nas homenagens aos clássicos recriam, acrescentam o tempero de Pietá e apresentam versões como “Neguinho”, com ar ainda mais sombrio que a versão de Gal e casam com Abraçaço, de Caetano. Uma união ao mesmo tempo inesperada e óbvia, em que nos indagamos “Como ninguém pensou nisso antes?!”, mais uma deliciosa surpresa de Pietá.

Amizades e internet

Vivendo na efervescência cultural, que só o Rio de Janeiro consegue produzir, o grupo se fortalece nas amizades, no convívio com outros artistas, na troca de experiências e parcerias, dividindo palco para somar à música brasileira. Inclusive fui ao show de Pietá porque o grupo catarinense Caraudácia conheceu os cariocas no FestValda e os convidou para se apresentarem na Ilha da Magia: uma sucessão de acasos - bem sucedidos!

É, portanto, na amizade que se funda Pietá - dá só uma espiadinha na fanpage do grupo para ver quantas fotos e vídeos em que o grupo compartilha o palco e faz participações especiais. Instrumentistas e letristas fazem parte do repertório da banda, além das participações de Clarice Lissovsky e Lucas Canavarro, que produzem a parte visual e o cenário das apresentações. Vindos do teatro, não faltam elementos cênicos nos shows, desde o cenário cuidadosamente pensado até à atuação de Juliana Linhares, que em determinado momento da apresentação faz uma mistureba no liquidificador e de lá, do motor do eletrodoméstico, cria música!

O palco é lugar de experimentação: nas participações de diferentes instrumentistas, na busca de música em objetos improváveis, e, para além da interpretação, a atuação musical: dão vida à música.

Thumbnail image for Pietá carolina-viana1.jpg Foto: Carolina Viana

A internet foi outro grande aliado no sucesso de Pietá, assim como muitos músicos contemporâneos, encontraram na web a possibilidade de fazer música boa sem se vender e se render ao mercado. Assim, mostram quanta música boa existe e que não seria conhecida se não houvesse a internet – eu, por exemplo, os acompanho há quase um ano apenas à distância, obrigada internet!

O exemplo máximo da visibilidade na internet se deu com o FestValda, que em 2014 teve transmissão online para mais de 1,3 milhões de espectadores. E, para coroar, foi através da internet que Pietá conseguiu sair das ruas e palcos para se eternizar no mundo fonográfico: por meio de financiamento coletivo online o grupo grava seu primeiro disco, Leve O Que Quiser, todo produzido com músicas autorais, que sai do forno em setembro. O CD será lançado em parceria com o selo Porangareté, que aposta em jovens artistas da nova MPB como Chico Chico, filho da Cássia Eller, e Júlia Vargas, que fazem show de lançamento do selo no dia 15 de outubro.

Inesperados

Ainda brincando com o inesperado, de vez em quando o Pietá trata de presentear os cariocas com apresentações na rua. Como bom teatro de rua, hasteiam o estandarte do grupo, abrem a maleta do violão para contribuições e enchem os passeios carioca com música. "Ajudar o artista sobreviver na cidade grande", brincam.

As saídas são avisadas pelo Facebook do grupo, onde os seguidores podem saber sobre as apresentações improvisadas, mas grande parte seu público é quem está passando e é pego de surpresa! No YouTube é fácil encontrar vídeos de pessoas que conheceram Pietá por acaso na rua e não puderam deixar o momento passar sem gravar um vídeo.

O inesperado de Pietá está naquele oposto entre a leveza e o peso de ser. Se em um instante a voz de Juliana te leva à densa introspecção, de súbito sente-se a leveza na melodia cheia da brasilidade contagiante: impossível ficar parado. Com Pietá aprende-se a abrir-se para o novo, de se permitir novas experiências, às surpresas que a vida trata de por no caminho e melhorar nosso dia.

Pietá lança em setembro, Leve O Que Quiser com direito à turnê de lançamento, os shows de lançamento no Rio acontecem no dia 6 e 7 de outubro no Espaço Sesc, em Copacabana, e dia 13 de outubro no terceiro no Oi Futuro Ipanema, dentro do projeto A.Nota. A banda ainda fará o lançamento em Natal no Teatro Riachuelo, no dia 19 de novembro.

Agora é aguardar as novas músicas e o show. Vindo de Pietá tenho certeza que virão só boas surpresas!

leve o que quiser.jpg Capa do álbum Leve O Que Quiser, que sai fisicamente em outubro em parceria com o selo Porangareté

Atualização:::

O disco foi lançado no dia 16 de setembro e já está disponível para ouvir online e download gratuito no site de Pietá. E se era possível ficar mais lindo, ficou! Mais ritmos, mais instrumentos, mais amigos (inclusive com participação do mestre Chico César!), mais brasilidades: mais Pietá. Vamo lá? Leve o que quiser! www.bandapieta.com Pietá também disponibilizou o álbum completinho no Youtube, se liga no som!


Luiza Costa

Escrevo com a mão esquerda. Não faço nada direito. Vivo na contramão. Uma antípoda. .
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/musica// @obvious, @obvioushp //Luiza Costa