centrada e descontrolada

"Todas elas juntas num só ser."

Vê Guimarães

Dona de casa desesperada, assistente social, viciadas em séries policiais. Ainda acredito "é na rapaziada" e por vezes acho que sou escritora...
"Eu sou daqueles que vão até o fim." Mário de Sá Carneiro

Ah Maria...

Ela é Maria Ribeiro. Colunista da revista TPM/TRIP, do jornal O Globo, apresentadora do programa Saia Justa exibido pelo canal GNT, diretora de documentário, atriz carioca, mãe, esposa, filha, amiga, jornalista, escritora de livros... Parafraseando-a: uma "gênia".


maria.jpg Voando alto. Sempre!

Maria é o tipo de mulher aguerrida, que sabe o que quer. Cheia dos encantos e mistérios, ao mesmo tempo infantil e muito madura, ela expressas sus opiniões de forma clara e concisa. Difícil não parar para ler ou ouvir o que ela têm a dizer.

Conheci Maria efetivamente como profissional de televisão quando ela interpretou Rosane, mulher do Capitão Nascimento no filme Tropa de Elite (2007). Dali em diante eu fiquei tão apaixonada por ela que resolvi pesquisar a respeito de seus trabalhos. Confesso que a parte televisiva em novelas não me agradou nada, mas ao me deparar com as colunas da Trip, os filmes e a maneira como ela tornava simples a troca de informações: cai de quatro. Tempo depois, com os adventos das redes sociais, passei a segui-la por todo canto. Eis que surgem mais descobertas: realmente ela é genial. A pergunta que não quer calar. Por que escrever sobre ela no meu primeiro post? Exatamente porque eu amo pessoas que inspiram outras e formam opiniões.

Recentemente Maria lançou o livro Trinta e Oito e Meio, um compilado de suas crônicas escritas para a revista Trip, onde ela se expõe, se dilacera, fala de si e de outras pessoas de uma maneira tão respeitosa e madura, que ficou difícil conter a emoção ao ler tais páginas. O olhar dela é simples, as vezes meio careta, porém trás à tona questões que por vezes ficam dentro de nós e jamais teremos coragem de dizer por conta das convenções sociais. O livro conta com ilustrações de Rita Wainer, que ter a missão de traduzir Maria em doces e ao mesmo tempo fortes imagens. Vale a pena ler cada linha.

No filme Entre Nós (2013), ela interpreta Silvana, uma jovem cheia de sonhos, romântica, que assim como os outros personagens do filme também quer ser escritora. A interpretação de Maria é riquíssima. Ela da voz ao texto com tanta veracidade que ao assistir o filme você jura que conhece Silvana. Se não passa isso pela cabeça do expectador, fica no ar a vontade de conhece-la.

Busquem Maria. Leiam Maria. Sigam Maria. Através dela vejam que ser fútil faz bem em muitas ocasiões. Ser inteligente não é sair por ai decorando tabela periódica e nem assistindo filmes cults. Ser chique não é viver num mundo cheio de glamour, mas sim compreender a necessidade do outro, entender que a diferença é normal e saudável. E além de tudo, se reservar o direito de não ter que opinar sobre tudo e todos.

Olhem para ela.


Vê Guimarães

Dona de casa desesperada, assistente social, viciadas em séries policiais. Ainda acredito "é na rapaziada" e por vezes acho que sou escritora... "Eu sou daqueles que vão até o fim." Mário de Sá Carneiro.
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/recortes// @obvious //Vê Guimarães