chacoalhão

sublime cotidiano

Renan Berlitz

Publicitário por formação e desajustado por natureza. Apesar de ser supersincero e muito exigente, tenta viver uma vida mais leve

Carta aberta aos profissionais de RH frente à pandemia

A pandemia também revela o lado humano, ou não, dos RHs e das empresas.


job interview.jpg

Prezados profissionais de RH, empresas de recrutamento, headhunters, e demais responsáveis por processos seletivos,

Essa é uma carta rápida transmitir ou reforçar alguns aprendizados neste período. Caso a sua empresa, ou você, se identifique com essas situações, infelizmente você não será selecionado para dar sequência no processo de revolução digital.

Estamos no meio de uma pandemia mundial. Não peçam para os candidatos fazerem etapas presenciais, sendo que existem inúmeras de ferramentas online (e gratuitas) para entrevistas e processos remotos.

Outro ponto importante que gostaria de frisar é a otimização do tempo. Quando vocês pedem para alguém se deslocar só para repassar maiores informações pertinentes à vaga, como faixa salarial, alinhamento de expectativas e demais benefícios, você está perdendo o seu tempo, o da empresa e, óbvio, do candidato. Como diz aquela famosa frase: “tempo é dinheiro”, isso gera gastos que oneram para ambas partes, sem qualquer tipo de motivo plausível para tal. Informações técnicas podem ser repassadas facilmente com uma conversa de vídeo, e-mail ou mensagem de WhatsApp. Ninguém quer perder tempo à toa, muito menos nesse período de isolamento.

Coincidentemente, ou não, eu recebi 3 contatos de empresas de segmentos diferentes nesse período: uma de ensino EAD, uma de marketing digital e uma de assessoria de negócios. Todos os três são notoriamente focados exclusivamente em produtos e serviços que funcionam à distância, ou têm uma grande possibilidade de ser. Nenhuma delas sequer propôs que o processo fosse feito remoto, exigindo que a entrevista fosse presencial, curiosamente.

Isso nos leva ao terceiro ponto: os profissionais de RH são os cartões de visita das empresas. O primeiro pensamento que me passa pela cabeça nesses momentos é de que a empresa não está preocupada com o seu bem mais precioso: as pessoas. Aí você já se pergunta duzentas vezes se vai realmente querer trabalhar numa empresa com esse tipo de posicionamento. Qualquer empresa é feita de pessoas. Se são elas que vão fazer a empresa crescer e prosperar, por que o seu negócio ainda está preocupado só com o lucro?

Gostaria, encarecidamente, de pedir a todos vocês, profissionais de RH ou responsáveis por recrutamento e seleção que, quando vocês tiverem qualquer dúvida, todas as respostas ficarão fáceis se vocês lembrarem do significado de RH: recursos HUMANOS.

Grande abraço,

Renan

*Artigo de minha autoria publicado originalmente no LinkedIn.


Renan Berlitz

Publicitário por formação e desajustado por natureza. Apesar de ser supersincero e muito exigente, tenta viver uma vida mais leve.
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/sociedade// //Renan Berlitz