Duda Ribeiro

Opinador virtual, radicado no sul do Brasil, se debatendo contra as coisas pra não ser enraizado. Intrigado com as representações da realidade social nos filmes

Resenha: Criação de curta-metragem em vídeo digital

Resenha do livro “Criação de curta-metragem em vídeo digital: Uma proposta para produções de baixo custo”, escrito por Alex Moletta, publicado pela editora Summus em 2009.


IMG_1028 copy.jpg

Criação de curta-metragem em vídeo digital: Uma proposta para produções de baixo custo é um guia prático para a realização audiovisual através de tecnologias digitais. Alex Moletta, o autor, é graduado em filosofia e já trabalhou com teatro, educação, cinema, quadrinhos e tevê. Sua abordagem neste livro prioriza curtas de baixo custo no Brasil e sua linguagem é bastante acessível para não-iniciados, o que se deve também ao tamanho relativamente reduzido do livro (144 páginas) se em comparação com semelhantes.

A obra não dispensa leituras mais complexas e específicas (inclusive referencia algumas), mas traz uma boa noção do processo de realização como um todo: é útil para profissionais e interessados de diversas áreas no audiovisual e variados graus de experiência. Alex distingue e explica as funções no set de filmagem e as fronteiras entre as tarefas e responsabilidades de cada um, temas que podem não ser muito claros aos olhos dos cinéfilos não-habituados com a realização. Essa amplitude de assuntos se percebe logo no Sumário, que divide pragmaticamente as etapas do processo:

Prefácio; Introdução; 1. Um caminho para a produção em vídeo de baixo orçamento; 2. O roteiro; 3. A direção; 4. A fotografia; 5. Sobre a produção; 6. A montagem e a finalização; Conclusão; Referencias

O livro considera a falta de dinheiro para investir no filme e ocasionalmente evoca o perigo de “não conseguir o que foi proposto” (p.104). Contra isso, propõe soluções criativas e um planejamento vívido na fase de pré-produção, embora ao mesmo tempo sóbrio em relação às condições dadas. Segundo o autor, não se trata de desqualificar o processo cinematográfico, mas de qualificar o vídeo digital de curta-metragem (p.11). Ainda, o autor procura salientar a importância da colaboração e coesão do grupo para produzir bom cinema com recursos limitados.

Embora escreva de maneira acessível para um público amplo, também introduz alguns termos técnicos, trata de questões burocráticas (p.111), e, dessa maneira, escapa de se enquadrar em uma abordagem rasa. Traz informações úteis sobre os formatos de vídeo, preciosas dicas de mais de 20 “Sites interessantes” na web, comenta as leis de incentivo (um assunto que pode abrir muitas portas e que muitas vezes é mal estudado) e etc.

alex moletta.jpg

No meu entender, o curta-metragem não é nada mais que uma síntese, que representa uma realidade experimentada e vivida pelo personagem, condensada num único e breve momento. É nisso que devemos pensar quando criamos ou realizamos um projeto nesse formato. (p.137)

É interessante perceber que na época do lançamento de Criação de curta-metragem em vídeo digital eram consideradas sofisticadas as tecnologias de Full HD e Blu-Ray, que hoje são bem mais acessíveis e comuns. Ao passar dos anos, a tendência é que as ferramentas específicas ao processo de realização em audiovisual se tornem progressivamente mais baratas e complexas, e dessa maneira se torne ainda mais usual e qualificada a criação neste formato. Paralelamente, fica clara a importância que o autor atribui à internet como difusora do audiovisual através do Youtube e outros canais. Tudo indica que também o papel da rede na vida cotidiana se adense através dos anos seguintes. Se soma à essa facilidade de veiculação dos filmes a proliferação de festivais de cinema pelo Brasil e mundo, demonstrando uma constante demanda global por filmes de qualidade.

aaa.jpg

Curiosamente o livro que tenho em mãos alega 2ª ed na capa e 3ª ed na segunda página, então não sei como me referir exatamente à ele.

Enfim, o trabalho é bastante interessante tanto para realizadores iniciados quanto para curiosos no processo de realização de curtas-metragens. Não é extenso e nem prioriza algum aspecto em específico, dessa maneira servindo como uma espécie de panorama geral sobre o assunto. Embora nesses 6 anos algumas das informações ali postas estejam defasadas (como a menção à Programadora Brasil, atualmente inativa), certamente a obra de Alex Moletta pode ser interessante e esclarecedora, especialmente se combinada com leituras direcionadas.


Duda Ribeiro

Opinador virtual, radicado no sul do Brasil, se debatendo contra as coisas pra não ser enraizado. Intrigado com as representações da realidade social nos filmes.
Saiba como escrever na obvious.
version 3/s/cinema// @destaque, @hplounge, @obvious, @obvioushp //Duda Ribeiro