cinema pensante

Como um bom filme pode mudar a nossa vida

Sílvia Marques

Paulistana, escritora, idealista em crise, bacharel em Cinema, cinéfila, professora universitária com alma de aluna, doutora em Comunicação e Semiótica, autodidata na vida, filósofa de botequim, com a alma tatuada de experiências trágicas, amante das artes , da boa mesa, dos vinhos, de papos loucos e ideias inusitadas. Serei uma atleta no dia em que levantamento de xícara de café se tornar modalidade esportiva. Sim, eu acredito realmente que um filme possa mudar a sua vida! Autora do blog Garota desbocada. Lancei recentemente em versão e-book pela Cia do ebook o romance O corpo nu.

O amor sob cada olhar

Este artigo objetiva comentar o livro O amor sob cada olhar, projeto literário e pedagógico desenvolvido por estudantes com a minha coordenação. O objetivo do projeto foi fazer aspirantes a escritor terem o primeiro trabalho publicado por meio do esquema de uma cooperativa.


img021.jpg

Começo o meu post com o primeiro parágrafo do livro de contos coletivo O amor sob cada olhar, coordenado por mim.

“Inspirar sonhos e ajudar a transformá-los em realidade, talvez seja para mim a principal missão de um professor. Mais do que ensinar técnicas , conceitos e teorias, o professor deve inspirar os alunos em sua jornada pelo autoconhecimento e fortalecimento da vontade empreendedora que existe em cada um de nós” ( S.M).

Com pouquíssimo dinheiro, condições precárias de trabalho, um grupo de nove autores, me incluindo, resolvemos fazer um livro coletivo de contos que versa sobre o amor em suas mais variadas facetas. Amor hetero. Amor gay. Amor a Deus. Amor ultramarino. Amor após a morte. Amor hoje. Amor na Segunda Guerra Mundial. Amor brigadeiro. Amor chilli . Amor veneno. Amor proibido. Amor bandido. Amor fujão. Amor que já foi. Amor eterno.

O livro é formado por 9 contos curtinhos e dividido em três partes: Amores vingativos, Amores ideais e Amores reflexivos. Exceto eu, todos os autores iniciaram na literatura com este livro.

O primeiro conto se chama A cura das desenganadas e foi escrito por Thaís Domingues, uma estudante de jornalismo e assessora de imprensa com uma personalidade estilosa. Seu conto é impactante e lá no fundo muito triste porque é niilista.

O segundo conto se chama O ângulo torto do amor , de Camila Celly. A estudante bem comportada de Publicidade se arriscou em uma narrativa de vingança, mas no final, a personagem se redime e o estilo crente da autora se revela.

O terceiro conto se chama Ironia do destino e foi escrito por Maiara Pires. A roteirista global, extremamente romântica e adepta ao estilo melodramático, aceitou publicar um conto cruel, com um final surpreendente.

O quarto conto foi escrito por mim e se chama Amor e nada mais. Sou uma professora universitária que estava disposta a deixar tudo para trás para recomeçar a vida na Suíça ao lado do homem amado, autor da capa do livro. Meu conto narra o meu projeto idílico com algumas pitadas de fantasia.

O quinto conto se chama Quando não acreditava ser possível amar , de Cláudia Medeiros. Hostess em um salão de beleza decidiu narrar como conhecera o seu marido por meio de um conto simples e afetuoso.

O sexto conto se chama Amar, tarde! e foi escrito pela jovem e ultra sensível Lira Dicetaro. Estudante de Jornalismo, na adolescência recebeu premiações literárias. Lira mescla prosa e poesia com maestria. Um estilo de literatura mais sofisticado e hermético.

SILVINHALIRA.jpg

Foto de Léo Breda na noite de autógrafos do livro realizada na livraria Martins Fontes na Avenida Paulista. A jovem Lira e eu.

O sétimo conto se chama A carta e foi escrito por Yuri Wesley. O jovem estudante de Publicidade optou por um estilo mais histórico, narrando um amor sob os escombros da Segunda Guerra Mundial.

O oitavo conto se chama O verdadeiro amor e foi escrito por Leandro Brum Pinheiro, revisor da obra, autor do prefácio e atualmente diácono. Diferentemente dos outros contos, Leandro reverencia o amor a Deus num estilo simples e elegante ao mesmo tempo.

O nono conto se chama Uma última tragada e foi escrito por Agatha Dantas, uma cinéfila irreverente que revela por meio da sua literatura uma melancolia que o seu bem humorado rosto não transparece.

Muito mais do que literatura, O amor sob cada olhar é um projeto pedagógico. Em uma sociedade tão restritiva, com oportunidades tão escassas, resolvemos dar voz às nossas ideias e sentimentos. Quem quiser conhecer mais sobre o livro, acesse a página https://www.facebook.com/pages/O-amor-sob-cada-olhar/546576862155039?ref=hl


Sílvia Marques

Paulistana, escritora, idealista em crise, bacharel em Cinema, cinéfila, professora universitária com alma de aluna, doutora em Comunicação e Semiótica, autodidata na vida, filósofa de botequim, com a alma tatuada de experiências trágicas, amante das artes , da boa mesa, dos vinhos, de papos loucos e ideias inusitadas. Serei uma atleta no dia em que levantamento de xícara de café se tornar modalidade esportiva. Sim, eu acredito realmente que um filme possa mudar a sua vida! Autora do blog Garota desbocada. Lancei recentemente em versão e-book pela Cia do ebook o romance O corpo nu..
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/literatura// @destaque, @obvious //Sílvia Marques
Site Meter