cinema pensante

Como um bom filme pode mudar a nossa vida

Sílvia Marques

Paulistana, escritora, idealista em crise, bacharel em Cinema, cinéfila, professora universitária com alma de aluna, doutora em Comunicação e Semiótica, autodidata na vida, filósofa de botequim, com a alma tatuada de experiências trágicas, amante das artes , da boa mesa, dos vinhos, de papos loucos e ideias inusitadas. Serei uma atleta no dia em que levantamento de xícara de café se tornar modalidade esportiva. Sim, eu acredito realmente que um filme possa mudar a sua vida! Autora do blog Garota desbocada. Lancei recentemente em versão e-book pela Cia do ebook o romance O corpo nu.

A amoralidade do Facebook

Muitos dizem que as redes sociais fomentam a inveja e as frustrações. Já tive esta opinião. Quem fomenta a inveja e as frustrações são as pessoas. Tanto aquelas que fazem um recorte favorável de suas vidas para despertar a inveja ou admiração alheia como aquelas que buscam apenas pelas informações pessoais dos usuários como forma de alimentar suas dores num processo masoquista.


10354.19433-Bebe-usando-o-computador.jpg

Antes que me acusem de criticar o Facebook, esclareço que amoralidade não é o mesmo que imoralidade. Ser imoral é ir contra à moral. Ser amoral é não poder ser julgado moralmente. Uma criança , por exemplo, quando faz algo errado por não conhecer a moral, está agindo de forma amoral. Determinados temas devem ser tratados de forma amoral por pairarem acima das nossas convenções como a legitimidade de um amor.

As redes sociais são como os meios de comunicação: são amorais, isto é, divulgam ideias tanto morais como imorais. Morais ou imorais são as pessoas.

Podemos usar o Facebook para estimular a alteridade, o respeito ás pessoas e culturas. Podemos usá-lo para divulgar conhecimento e informações úteis, da mesma forma que podemos usá-lo para fazer piadas racistas e homofóbicas, difundir o preconceito e o ódio, se autopromover em cima do nada.

Muitos dizem que as redes sociais fomentam a inveja e as frustrações. Já tive esta opinião. Quem fomenta a inveja e as frustrações são as pessoas. Tanto aquelas que fazem um recorte favorável de suas vidas para despertar a inveja ou admiração alheia como aquelas que buscam apenas pelas informações pessoais dos usuários como forma de alimentar suas dores num processo masoquista.

Se pararmos para pensar e analisar cuidadosamente , tem muitos posts interessantes no Facebook. Podemos encontrar links que permitem o download gratuito de livros, vídeos que combatem os estereótipos, que falam sobre temas ligados à educação, filosofia , criatividade, entre tantos outros assuntos importantes. Podemos encontrar matérias jornalísticas , recomendações de filmes, peças teatrais e shows. Podemos encontrar dicas de como nos alimentar melhor, de como otimizar o tempo e nos sairmos bem em uma entrevista de trabalho. Podemos encontrar pensamentos poéticos e filosóficos. Podemos encontrar piadas saudáveis e vídeos divertidos.

O grande problema do Facebook é que muitas pessoas ainda não entenderam o forte potencial que este meio apresenta para contribuir na divulgação e na construção do conhecimento, além do exercício da cidadania.

Usar Facebook não é coisa de gente fútil, à toa, que não tem o que fazer. Algumas pessoas fúteis realmente usam o Facebook, mas ele não foi feito para divulgar gente tomando sorvete e dizendo que acabou de ir ao banheiro. Como quase tudo na vida, ele apenas reflete quem está por detrás da tela. Se você apenas encontra atualizações bobinhas ou preconceituosas no Facebook, talvez seja o caso de repensar as suas amizades e contatos.


Sílvia Marques

Paulistana, escritora, idealista em crise, bacharel em Cinema, cinéfila, professora universitária com alma de aluna, doutora em Comunicação e Semiótica, autodidata na vida, filósofa de botequim, com a alma tatuada de experiências trágicas, amante das artes , da boa mesa, dos vinhos, de papos loucos e ideias inusitadas. Serei uma atleta no dia em que levantamento de xícara de café se tornar modalidade esportiva. Sim, eu acredito realmente que um filme possa mudar a sua vida! Autora do blog Garota desbocada. Lancei recentemente em versão e-book pela Cia do ebook o romance O corpo nu..
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/sociedade// @destaque, @obvious //Sílvia Marques
Site Meter