cinema pensante

Como um bom filme pode mudar a nossa vida

Sílvia Marques

Doutora em Comunicação e Semiótica, psicanalista lacaniana, escritora e atriz. Indicada ao Jabuti 2013. Idealizadora da Pós em Cinema do Complexo FMU.

www.psicanalistasilviamarques.com

Como lidar com pessoas excessivamente críticas

Se valorar pelo olhar do excessivamente crítico é cometer suicídio existencial. Escute as críticas. Analise-as. Conserve o que é bom e sensato. O que for excessivo, desconsidere e siga em frente.



atitudes - 1.jpg

Se valorar pelo olhar do excessivamente crítico é cometer suicídio existencial

Sabemos que críticas construtivas permeiam as relações mais significativas da nossa vida. Não é possível educar um filho sem corrigí-lo. Não é possível um professor ensinar um aluno sem mostrar seus pontos fracos. Entre irmãos, primos e grandes amigos existe liberdade para a troca saudável de sugestões que visam o aprimoramento do ente amado.

O problema é viver num constante estado de tensão devido ao excessivo número de críticas. Pais muito críticos educam filhos perfeccionistas no mau sentido da palavra ou o oposto radical: pessoas altamente inseguras, que muitas vezes disfarçam a sua autoestima baixa por meio da ironia.

Um professor extremamente severo inibe os alunos, impedindo que os mesmos se expressem. É preciso dar uma margem de liberdade para o erro porque se alguém teme errar de forma patológica ele não tenta e acaba se atrofiando.

Pessoas que crescem em ambiente moralmente e religiosamente muito rígidos, sem espaço para o diálogo, também podem explodir em qualquer momento da vida na tentativa de romper com todo um esquema opressor.

Irmãos, primos e amigos muito críticos também, que nunca apoiam nem elogiam, podem servir como agentes castradores da criatividade e da espontaneidade alheia.

Tendemos a nos desenvolver mais e melhor perto de pessoas menos julgadoras e com pensamento mais aberto. Quando alguém tem padrões muito fechados de sucesso, bem estar, beleza, moralidade, ignorando outros olhares e criticando quem foge um milímetro das suas expectativas, dificulta o crescimento de quem está ao redor.

Se a crítica é necessária para a pessoa saber onde pode melhorar, o elogio é fundamental para criar e fortalecer a autoconfiança e o desejo de se atirar na vida cada vez mais e melhor.

Em relações de amizade e eróticas também devemos buscar sempre por pessoas que nos ajude a alçar voos cada vez mais altos. Mas ás vezes precisamos conviver com pessoas excessivamente críticas, que acabam projetando seus próprios temores e lacunas nos outros. Como lidar com isso? Fortalecendo o seu ego. Filtrando o que a pessoa diz e absorvendo apenas o que parece sensato. No meio do mar de críticas, algumas valem a pena ser consideradas. Aquilo que é excesso, jogue fora. Não é preciso brigar. Apenas escute, desconsidere e siga em frente. Tome cuidado para confrontar quem critica demais . Normalmente são as pessoas com mais dificuldade para aceitar uma.

Mas como posso saber quais críticas devo considerar? Fortalecendo seu ego. Mas como o fortaleço? Por meio do autoconhecimento. Descubra quem você é. Descubra seus pontos fortes e fracos. Descubra o que é prioritário para você, o que você deseja manter ou descartar. Mas como posso me conhecer? Existem muitos caminhos. Esta é uma descoberta extremamente pessoal.

Maneiras que costumam funcionar são a terapia, a autorreflexão, conversas com pessoas próximas e sensíveis, fazer algum tipo de arte como terapia. Por meio da arte sem pretensões profissionais, muitos conteúdos reprimidos vem à tona. Às vezes, precisamos conciliar mais de uma estratégia e fazer um bem bolado em busca de uma vida com mais qualidade.


Sílvia Marques

Doutora em Comunicação e Semiótica, psicanalista lacaniana, escritora e atriz. Indicada ao Jabuti 2013. Idealizadora da Pós em Cinema do Complexo FMU. www.psicanalistasilviamarques.com.
Saiba como escrever na obvious.
version 10/s/recortes// @obvious, @obvioushp //Sílvia Marques