cinema pensante

Como um bom filme pode mudar a nossa vida

Sílvia Marques

Paulistana, escritora, idealista em crise, bacharel em Cinema, cinéfila, professora universitária com alma de aluna, doutora em Comunicação e Semiótica, autodidata na vida, filósofa de botequim, com a alma tatuada de experiências trágicas, amante das artes , da boa mesa, dos vinhos, de papos loucos e ideias inusitadas. Serei uma atleta no dia em que levantamento de xícara de café se tornar modalidade esportiva. Sim, eu acredito realmente que um filme possa mudar a sua vida! Autora do blog Garota desbocada. Lancei recentemente em versão e-book pela Cia do ebook o romance O corpo nu.

Se desarma, cara. A vida é uma guerra se você assim o quiser!

Tem gente que vive armada, pronta para alfinetar, para dizer diretamente ou nas entrelinhas de palavras aparentemente educadas que o outro vale menos, que as conquistas do outro tem menos importância. Por que viver armado? A essência da vida é o encontro.


fotos-do-gato.jpg

A vida é encontro!

Vocês notaram que algumas pessoas sempre têm quatro pedras nas mãos? Que se exaltam e se irritam com uma mega facilidade? Que necessitam desvalorizar e magoar as pessoas gratuitamente? E quando recebem uma resposta rude ou simplesmente são ignoradas, se sentem injustiçadas?

A gente colhe o que a gente planta. Ok. Muitas vezes somos gentis e levamos uma patada do nada. Acontece sim. Mas se você for uma pessoa amadurecida e confiante, vai superar a patada e seguir em frente. Se você alimentar e colocar tempero naquilo que te fizeram de mau, o seu sofrimento vai se prolongar por tempo indeterminado.

Chega um tempo em que aprendemos que é melhor ficar quieto. Tem gente tão baixa que não merece nem a nossa agressividade. Chega um tempo em que a gente descobre que não adianta falar se o outro não quer ouvir e que esperar o bom senso de certas pessoas é utopia.

Chega um tempo em que a gente descobre que cada um tem o seu tempo e o ignorante de hoje pode ser o sábio de amanhã, que o intolerante pode ter seu coração amolecido pelas agruras da vida, que nada é para sempre e que a felicidade é passageira e subjetiva.

Posso ficar feliz tomando um refrigerante enquanto outro pode se sentir insatisfeito durante uma maravilhosa viagem. Não entendo a necessidade gratuita que alguns tem de criticar, ofender, caçoar, apontar defeitos incuráveis ou simplesmente se colocar como superior aos outros.

Tem gente que vive armada, pronta para alfinetar, para dizer diretamente ou nas entrelinhas de palavras aparentemente educadas que o outro vale menos, que as conquistas do outro tem menos importância.

Tem mulheres que se retratam como irresistíveis mas quando uma amiga leva uma cantada , diz que foi uma brincadeira. Tem mulheres que não se solidarizam quando uma amiga é enganada pelo marido, mas piram quando o delas olha para outra mulher. Tem pessoas que adoram criticar e diminuir as conquistas e conhecimentos dos outros, mas fazem questão de ressaltar cada uma das suas pequenas realizações.

Tem gente que adora interferir na vida alheia, mas faz questão de ter sua privacidade totalmente preservada. Tem gente que enche os outros de perguntas indiscretas, mas nunca responde nada.

Por que viver armado? A essência da vida é o encontro. A essência da vida é a cumplicidade. A essência da vida é a reciprocidade. Quem vive armado, sem perceber, dá tiros no próprio pé, pois quando apontamos um dedo para o outro, três se voltam contra nós.


Sílvia Marques

Paulistana, escritora, idealista em crise, bacharel em Cinema, cinéfila, professora universitária com alma de aluna, doutora em Comunicação e Semiótica, autodidata na vida, filósofa de botequim, com a alma tatuada de experiências trágicas, amante das artes , da boa mesa, dos vinhos, de papos loucos e ideias inusitadas. Serei uma atleta no dia em que levantamento de xícara de café se tornar modalidade esportiva. Sim, eu acredito realmente que um filme possa mudar a sua vida! Autora do blog Garota desbocada. Lancei recentemente em versão e-book pela Cia do ebook o romance O corpo nu..
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/recortes// @obvious //Sílvia Marques
Site Meter