cinema pensante

Como um bom filme pode mudar a nossa vida

Sílvia Marques

Paulistana, escritora, idealista em crise, bacharel em Cinema, cinéfila, professora universitária com alma de aluna, doutora em Comunicação e Semiótica, autodidata na vida, filósofa de botequim, com a alma tatuada de experiências trágicas, amante das artes , da boa mesa, dos vinhos, de papos loucos e ideias inusitadas. Serei uma atleta no dia em que levantamento de xícara de café se tornar modalidade esportiva. Sim, eu acredito realmente que um filme possa mudar a sua vida! Autora do blog Garota desbocada. Lancei recentemente em versão e-book pela Cia do ebook o romance O corpo nu.

Gozar é preciso

É preciso gozar na frente de uma piada despudorada, rindo alto, de forma deselegante e deliciosa. É preciso gozar diante da beleza poética de um quadro, da dor insuportável de uma música linda, da delícia de ser tocado por mãos que te desejam.


shutterstock_134407094.jpg

Não, caro leitor. Meu texto não é sobre sexo. Filhos, netos, sobrinhos, todos castos e livres da maldade do mundo, podem lê-lo sem causar males terríveis à suas virtudes.

Gozar é preciso. É preciso gozar comendo uma porção de fritas com maionese, Ketchup e mostarda sem culpa regada a cerveja trincando de gelada. É preciso gozar comendo queijo provolone à milanesa sem pensar num infarto. Com saúde ou não, todo mundo morre. É preciso gozar numa cama macia e quente numa noite fria e de chuva, vibrando por não ter que levantar cedo.

É preciso gozar na frente de uma piada despudorada, rindo alto, de forma deselegante e deliciosa. É preciso gozar diante da beleza poética de um quadro, da dor insuportável de uma música linda, da delícia de ser tocado por mãos que te desejam.

É preciso gozar diante de um livro surpreendente, de uma conversa sarcasticamente inteligente, de uma taça de vinho bebida com prazer pagão, de um abraço feito de amizade.

É preciso gozar diante de um filme incrível visto da tela do computador sob um edredom macio. É preciso gozar sob um banho renovador de chuva. É preciso gozar com o gosto revigorante do primeiro gole do café amargo numa manhã preguiçosa.

É preciso gozar porque conseguiu uma cadeira no metrô. É preciso gozar porque é sexta-feira á noite. É preciso gozar porque ainda tem gente que nos inveja, que considera a nossa vida perfeita.

É preciso gozar diante do cheiro do bolo de banana assando, do café coando, da pipoca estourando, do riso explodindo na boca, do beijo com gosto de talvez, quem sabe, por que não?

É preciso gozar com o sol na cara, o vento nos cabelos, a chuva na blusa transparente. É preciso gozar do ridículo da vida, do ridículo de nós mesmos. É preciso gozar intensamente, loucamente. A vida é um momento.


Sílvia Marques

Paulistana, escritora, idealista em crise, bacharel em Cinema, cinéfila, professora universitária com alma de aluna, doutora em Comunicação e Semiótica, autodidata na vida, filósofa de botequim, com a alma tatuada de experiências trágicas, amante das artes , da boa mesa, dos vinhos, de papos loucos e ideias inusitadas. Serei uma atleta no dia em que levantamento de xícara de café se tornar modalidade esportiva. Sim, eu acredito realmente que um filme possa mudar a sua vida! Autora do blog Garota desbocada. Lancei recentemente em versão e-book pela Cia do ebook o romance O corpo nu..
Saiba como escrever na obvious.
version 2/s/recortes// @obvious //Sílvia Marques