cinema pensante

Como um bom filme pode mudar a nossa vida

Sílvia Marques

Paulistana, escritora, idealista em crise, bacharel em Cinema, cinéfila, professora universitária com alma de aluna, doutora em Comunicação e Semiótica, autodidata na vida, filósofa de botequim, com a alma tatuada de experiências trágicas, amante das artes , da boa mesa, dos vinhos, de papos loucos e ideias inusitadas. Serei uma atleta no dia em que levantamento de xícara de café se tornar modalidade esportiva. Sim, eu acredito realmente que um filme possa mudar a sua vida! Autora do blog Garota desbocada. Lancei recentemente em versão e-book pela Cia do ebook o romance O corpo nu.

Dez filmes para quem não tem preguiça de pensar-parte 13

Chegamos à décima terceira parte da nossa listinha instigante. Se você não tinha nada em mente para fazer nas férias, seus problemas acabaram. E as listinhas continuarão enquanto tiver munição e leitores interessados nas sugestões. Hoje, indicarei alguns filmes de culturas bem diversas a fim de estimularmos os nossos interesses antropológicos.


018-raise-the-red-lantern-theredlist.jpg

Cena do filme Lanternas vermelhas

1. Lanternas vermelhas, de Zhang Yimou

Nos anos 1920, na China, um homem muito rico mantém 4 esposas ou concubinas que fingem viver em harmonia, mas se odeiam. Um retrato contundente sobre a alma feminina com seus arquétipos em uma linguagem sutil que contradiz os interiores furiosos.

2. A partida, de Yojiro Takita

Vencedor do Oscar de melhor obra em língua estrangeira em 2009, A partida mostra com muita sensibilidade e delicadeza o significado do sepultamento no Japão.

3. Bom dia, Rámon de Krystian Ferrer

Mexicano muito pobre tenta a vida na austera Alemanha, onde ele faz amizade com uma bondosa e solitária senhora que mudará a sua vida. O filme mostra com muita delicadeza as dificuldades do choque entre culturas, principalmente quando as pessoas em questão não dominam uma língua em comum.

4. Contra a parede, de Fatih Akin

Jovem turca residente na Alemanha faz um casamento de mentira com homem turco para poder viver livremente, mas o que parecia em princípio um plano perfeito gerará muitas complicações irreversíveis.

5. Montanha cega, de Mang Shan e Yang Li

Revoltante filme sobre uma jovem chinesa, recém-formada, que em busca de emprego acaba sequestrada por casal de criminosos e vendida como esposa para um homem que vive em uma região desprovida de mulheres.

6. Balzac e a costureirinha chinesa, de Dai Sijie

Coprodução entre a China e França que mostra fatos da vida do diretor do filme. Dois rapazes chineses de classe média se apaixonam por jovem costureira analfabeta e a iniciam no mundo da Literatura por meio dos livros de Balzac. O filme se passa no final dos anos 1960 , no período em que Mao Tse-Tung promove a reeducação dos jovens que ele considerava burgueses.

montanha-cega-31.jpg

Cena do filme Montanha cega

gegen-die-wand-contra-parede-filme-alemao-1024x403.jpg

Cena do filme Contra a parede

7. Em nome de Deus, de Peter Mullan

Três filmes foram traduzidos para o Português como Em nome de Deus. Nesta lista, me refiro ao filme que teria como nome "As irmãs Madalena" se tivesse sido traduzido ao pé da letra. Um filme completamente revoltante sobre jovens da República da Irlanda que servem como escravas em lavanderias cuidadas por freiras. O filme se passa nos anos 1960 , mas a última lavanderia foi fechada na Irlanda em 1996. O critério para prender as jovens era qualquer aborrecimento que as mesmas davam aos seus pais ou responsáveis, como por exemplo, ter relações sexuais antes do casamento.

8. A excêntrica família de Antonia, de Marleen Gorris

Filme que derrubou O quatrilho na disputa pelo Oscar de melhor obra em língua estrangeira, A excêntrica família de Antonia com linguagem bastante fluida mostra quatro gerações de mulheres marcantes , que levam vidas complicadas, mas que nunca perdem a garra. O filme é holandês e podemos perceber uma maior naturalidade em relação ao tema do sexo.

9. Leviatã, de Andrey Zvyagintsev

Pesadíssimo e altamente crítico filme russo que utiliza uma metáfora poderosa para retratar todo o horror gerado por políticos corruptos em uma pequena cidade.

10. Pantaleão e as visitadoras, de Francisco J Lombardi

Baseado no romance homônimo de Vargas Llosa, Pantaleão e as visitadoras, por meio de um erotismo rasgado faz uma vigorosa crítica às instituições e à corrupção típica dos países da América Latina.

filmes-2507-fotos-7302.jpg

Cena do filme Em nome de Deus


Sílvia Marques

Paulistana, escritora, idealista em crise, bacharel em Cinema, cinéfila, professora universitária com alma de aluna, doutora em Comunicação e Semiótica, autodidata na vida, filósofa de botequim, com a alma tatuada de experiências trágicas, amante das artes , da boa mesa, dos vinhos, de papos loucos e ideias inusitadas. Serei uma atleta no dia em que levantamento de xícara de café se tornar modalidade esportiva. Sim, eu acredito realmente que um filme possa mudar a sua vida! Autora do blog Garota desbocada. Lancei recentemente em versão e-book pela Cia do ebook o romance O corpo nu..
Saiba como escrever na obvious.
version 2/s/cinema// @obvious, @obvioushp //Sílvia Marques
Site Meter