cinema pensante

Como um bom filme pode mudar a nossa vida

Sílvia Marques

Paulistana, escritora, idealista em crise, bacharel em Cinema, cinéfila, professora universitária com alma de aluna, doutora em Comunicação e Semiótica, autodidata na vida, filósofa de botequim, com a alma tatuada de experiências trágicas, amante das artes , da boa mesa, dos vinhos, de papos loucos e ideias inusitadas. Serei uma atleta no dia em que levantamento de xícara de café se tornar modalidade esportiva. Sim, eu acredito realmente que um filme possa mudar a sua vida! Autora do blog Garota desbocada. Lancei recentemente em versão e-book pela Cia do ebook o romance O corpo nu.

O abismo entre o pensar e o fazer

Remar contra a maré é para poucos porque a pressão social é devastadora. A sociedade nos impele constantemente para a mediocridade e para o ostracismo.


10mai2012---passaro-voa-na-direcao-da-lua-na-praia-de-ipanema-no-rio-de-janeiro-1336671818307_956x500.jpg

Sim, caro leitor. Existe um enorme abismo entre a fala e pensamento de muitas pessoas em relação às suas ações e escolhas. Recentemente, em sala de aula, perguntei aos meus alunos o que eles consideravam a verdadeira natureza de uma pessoa: como ela pensa e se sente ou como ela vive no seu dia a dia. As opiniões se dividiram, mas penderam mais para a primeira opção. A maioria acha que o que nos define é o nosso mundo das ideias.

Confesso que tinha a mesma opinião na época... a vida real soava como uma imposição externa que impedia as pessoas de serem elas mesmas, de se expressarem livremente e fazerem suas escolhas.

Hoje me parece que é a combinação entre nossos sentimentos e pensamentos com nossas atitudes e escolhas que formam realmente o que somos. Um libertário no pensamento, mas conservador e retrógrado na prática, não é um libertário impedido de ser libertário. É um conservador que deseja ser um libertário.

Ok. Algumas pessoas tem mais possibilidades de viverem suas vidas de forma autêntica. Meio familiar, social, educacional, religioso interferem enormemente em nossas escolhas. Remar contra a maré é para poucos porque a pressão social é devastadora. A sociedade nos impele constantemente para a mediocridade e para o ostracismo.

Por outro lado, a liberdade é uma porta trancada por dentro e só nós podemos abri-la. Se esperarmos que a família, a sociedade, nos concedam a liberdade , morreremos cativos de nossos próprios medos.

Uma vida autêntica se dá neste encontro íntimo entre nossas ideais e nossas atitudes. Tudo que foge a este encontro se torna uma existência esquizofrênica ( antes que me crucifiquem, uso o termo esquizofrênica de forma genérica). Alguém que não sustenta os discursos que professa tem uma vida medíocre.


Sílvia Marques

Paulistana, escritora, idealista em crise, bacharel em Cinema, cinéfila, professora universitária com alma de aluna, doutora em Comunicação e Semiótica, autodidata na vida, filósofa de botequim, com a alma tatuada de experiências trágicas, amante das artes , da boa mesa, dos vinhos, de papos loucos e ideias inusitadas. Serei uma atleta no dia em que levantamento de xícara de café se tornar modalidade esportiva. Sim, eu acredito realmente que um filme possa mudar a sua vida! Autora do blog Garota desbocada. Lancei recentemente em versão e-book pela Cia do ebook o romance O corpo nu..
Saiba como escrever na obvious.
version 3/s/recortes// @obvious, @obvioushp //Sílvia Marques