cinema pensante

Como um bom filme pode mudar a nossa vida

Sílvia Marques

Paulistana, escritora, idealista em crise, bacharel em Cinema, cinéfila, professora universitária com alma de aluna, doutora em Comunicação e Semiótica, autodidata na vida, filósofa de botequim, com a alma tatuada de experiências trágicas, amante das artes , da boa mesa, dos vinhos, de papos loucos e ideias inusitadas. Serei uma atleta no dia em que levantamento de xícara de café se tornar modalidade esportiva. Sim, eu acredito realmente que um filme possa mudar a sua vida! Autora do blog Garota desbocada. Lancei recentemente em versão e-book pela Cia do ebook o romance O corpo nu.

Vamos falar sobre masturbação feminina?

Masturbação é uma fonte de autoconhecimento profunda e deliciosa. É prazer garantido. Obviamente, não tem a emoção de um ato sexual, mas é relaxante e faz bem para o corpo e a mente.


mulher-triste-Envergonhada-E-Decepcionada-Comigo Mesma_ O- Que-Fazer-Quando-Eu-Pecar-Edificados-na-Verdade.jpg

Lendo um texto divulgado pela página BBC Brasil, me espantei ao saber que o tema da masturbação feminina ainda é um tabu, até mesmo entre mulheres bem colocadas no mercado de trabalho, que exercem profissões mais descoladas como a de jornalista.

Não que eu seja um exemplo de liberalidade. Mas mesmo assim, há muitos anos falo tranquilamente sobre o assunto.

Masturbação é uma fonte de autoconhecimento profunda e deliciosa. É prazer garantido. Obviamente, não tem a emoção de um ato sexual, mas é relaxante e faz bem para o corpo e a mente.

Masturbação é algo extremamente natural e saudável. Não praticá-la gera estresse. E com a vidinha corrida que a maioria das mulheres leva, não me parece realmente necessário colocar mais uma fonte de estresse, não é?

Vou mais longe. Ter um parceiro sexual não invalida o ato de se masturbar. Uma coisa complementa a outra. Não é porque o seu namorado ou marido é excelente na cama , que você não possa brincar com você mesma. Masturbação não é um simples paliativo para falta de sexo. É uma conexão da mulher com ela mesma, com a sua mais profunda e instintiva intimidade.

Vou mais longe ainda. Têm homens que curtem muito ver a sua parceira se masturbando , pois quando uma mulher se toca abertamente, sem tabus, ela revela sem palavras que ela não teme o próprio prazer.

Na verdade, a masturbação é a ponta de um iceberg gigante. O problema não está na masturbação em si. O problema de fato está no prazer feminino. Ainda é um tabu social a mulher sentir prazer, principalmente sem a ajuda de um homem.

Homens se masturbam normalmente porque homens são vistos como seres individuais, autônomos. Nós não. O nosso prazer precisa estar sempre ligado a um homem, a um relacionamento, a um amor. Muitas de nós ainda se valoram pelo homem que nos acompanham. Não falo isso do alto de uma petulante superioridade. Muito pelo contrário.

O singular existe apenas para o masculino. Nós não existimos como seres individuais. Um homem sozinho optou. Uma mulher sozinha não tem opção. Esta é ainda a crença de muitas pessoas.

A masturbação feminina provavelmente deixará de ser um assunto embaraçoso quando começarmos a nos ver com mais autonomia e liberdade. Quando descobrirmos a nossa individualidade.


Sílvia Marques

Paulistana, escritora, idealista em crise, bacharel em Cinema, cinéfila, professora universitária com alma de aluna, doutora em Comunicação e Semiótica, autodidata na vida, filósofa de botequim, com a alma tatuada de experiências trágicas, amante das artes , da boa mesa, dos vinhos, de papos loucos e ideias inusitadas. Serei uma atleta no dia em que levantamento de xícara de café se tornar modalidade esportiva. Sim, eu acredito realmente que um filme possa mudar a sua vida! Autora do blog Garota desbocada. Lancei recentemente em versão e-book pela Cia do ebook o romance O corpo nu..
Saiba como escrever na obvious.
version 6/s/sociedade// @obvious, @obvioushp //Sílvia Marques
Site Meter