cinema pensante

Como um bom filme pode mudar a nossa vida

Sílvia Marques

Paulistana, escritora, idealista em crise, bacharel em Cinema, cinéfila, professora universitária com alma de aluna, doutora em Comunicação e Semiótica, autodidata na vida, filósofa de botequim, com a alma tatuada de experiências trágicas, amante das artes , da boa mesa, dos vinhos, de papos loucos e ideias inusitadas. Serei uma atleta no dia em que levantamento de xícara de café se tornar modalidade esportiva. Sim, eu acredito realmente que um filme possa mudar a sua vida! Autora do blog Garota desbocada. Lancei recentemente em versão e-book pela Cia do ebook o romance O corpo nu.

Por que é tão difícil amar?

Por que é tão difícil amar? Por que é tão difícil viver sem o amor? Criaram pílulas para tudo, menos para a dor e para o vazio intolerável de uma vida sem amor.


1 a al michelle pfeiffer e john malkovich.jpg

Cena do filme Ligações perigosas

Por que é tão difícil amar? Amar não. Viver o amor. Por que é tão difícil assumir com todas as letras que se ama alguém? Por que é tão difícil investir no amor, dedicar-lhe tempo, cuidado, o melhor do nosso afeto e bondade? Por que é tão difícil ficar com alguém que nos arrebata e nos faz experimentar sensações metafísicas neste mundinho real e medíocre?

Ás vezes, desconfio ( digo desconfio para não parecer arrogante) que o amor é o último motivo que une os casais. Alguns se unem para ter uma companhia simplesmente. Outros para dar uma satisfação social. Existem ainda aqueles que usufruem de algum benefício social quando namoram ou se casam.

Enfim, namora-se para ter um acompanhante para o cinema . Namora-se para mudar o status do Facebook. Namora-se para fazer sexo com a mesma pessoa e evitar doenças sexualmente transmissíveis. Namora-se preferencialmente quem tem a mesma idade , a mesma religião, quem mora perto...namora-se quem está mais à mão. Namora-se aquela pessoa que a família vai aprovar. Namora-se quem não desperta preconceitos na sociedade. Ninguém quer ser julgado, criticado ferozmente. Ninguém quer se encontrar às escondidas com o seu parceiro para evitar dores de cabeça por parte da família. Ninguém quer namorar quem é muito atraente e desejável para outras pessoas. No caso dos homens, muitos temem as mulheres boas de cama. Namorada boa é namorada frígida , que mal sabe como segurar o genital masculino. Parecem confiáveis.

Mulheres também temem homens muito atraentes , que roubam muitos olhares de cobiça. Homens e mulheres temem perder , serem trocados, enganados. E entre o que arrebata o coração, enchendo-o de alegria e aquilo que parece tranquilo e morno, opta-se comumente pelo morno. Por uma vida inexpressiva. Por um luar em preto e branco como diria Lauro César Muniz com sua fabulosa peça sobre um homem que deixa o amor colorido de uma cigana pelo casamento sem sal nem pimenta.

Que arrogância é a nossa ao acreditarmos que podemos encontrar um lugar seguro no mundo. Que arrogância é a nossa por acreditarmos que existem fórmulas fechadas e que com cautela e um eficaz planejamento detalhado, podemos evitar a dor, o caos , o desespero.

Por que é tão difícil amar? Por que é tão difícil viver sem o amor? Criaram pílulas para tudo, menos para a dor e para o vazio intolerável de uma vida sem amor. Compensa-se a solidão com sexo casual, emoções momentâneas e baratas. Compensa-se com os falsos amores sociais. Ás vezes me sinto o bom selvagem do livro Admirável mundo novo. E sozinha sigo escrevendo meus textos, vomitando as minhas verdades e sobrevivendo a um mundo que não entendo nem quero entender pois é cruel e superficial demais.


Sílvia Marques

Paulistana, escritora, idealista em crise, bacharel em Cinema, cinéfila, professora universitária com alma de aluna, doutora em Comunicação e Semiótica, autodidata na vida, filósofa de botequim, com a alma tatuada de experiências trágicas, amante das artes , da boa mesa, dos vinhos, de papos loucos e ideias inusitadas. Serei uma atleta no dia em que levantamento de xícara de café se tornar modalidade esportiva. Sim, eu acredito realmente que um filme possa mudar a sua vida! Autora do blog Garota desbocada. Lancei recentemente em versão e-book pela Cia do ebook o romance O corpo nu..
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/recortes// @obvious, @obvioushp //Sílvia Marques